Sara Pennypacker – Pax

Publicado em 19.08.16
Resenha do livro Pax

Pax
Sara Pennypacker
Editora Intrínseca, 2016
288 páginas

Submarino Saraiva

Peter e sua raposa Pax são inseparáveis desde que ele a resgatou, órfã, ainda filhote. Um dia, o inimaginável acontece: o pai do menino vai servir na guerra, e o obriga a devolver Pax à natureza. Ao chegar à distante casa do avô, onde passará a morar, Peter reconhece que não está onde deveria: seu verdadeiro lugar é ao lado de Pax. Movido por amor, lealdade e culpa, ele parte em uma jornada solitária de quase quinhentos quilômetros para reencontrar sua raposa, apesar da guerra que se aproxima. Enquanto isso, mesmo sem desistir de esperar por seu menino, Pax embarca em suas próprias aventuras e descobertas.

Alternando perspectivas para mostrar os caminhos paralelos dos dois personagens centrais, Pax expõe o desenvolvimento do menino em sua tentativa de enfrentar a ferocidade herdada pelo pai, enquanto a raposa, domesticada, segue o caminho contrário, explorando sua natureza selvagem. Um romance atemporal e para todas as idades, que aborda relações familiares, a relação do homem com o meio ambiente e os perigos que carregamos dentro de nós mesmos.

Pax emociona o leitor desde a primeira página. Um mundo repleto de sentimentos em que natureza e humanidade se encontram numa história que celebra a lealdade e o amor.

Admito: o que me fez ler Pax foi a capa. Ela me encantou logo da primeira vez que vi. Então, logo depois de ter decidido dar uma chance ao livro, eu li a sinopse. Um menino à procura de sua raposa. Época de guerra. Aí eu fiquei sabendo que era de capa dura e tinha ilustrações. Gente! É claro que eu ia querer ler! Aliás, eu ainda preciso escrever a resenha depois de dizer isso? Haha! Tá bem, vamos lá!

Resenha do livro Pax

A história é basicamente bem simples, mas cheia de significados. Peter é um menino órfão de mãe, que vive com o pai e sua raposa, Pax. Pax está com seu menino desde que foi resgatada, muito filhote e quase à beira da morte. Nós, leitores, não conhecemos a vida dos personagens nesse período, só entendemos pelo contexto, pois o primeiro capítulo já é de cortar o coração: Peter é obrigado a abandonar Pax no bosque, pois o pai está indo para a guerra e o avô do menino, com quem ele ia ficar, não poderia cuidar de um animalzinho.

Nós tomamos conhecimento dessa história pela visão da raposa que, com sua sagacidade e inteligência, detectou sinais de que as coisas não estavam certas. Isso, porém, não a salvou de ficar à sua própria sorte, no meio de um habitat que ela não conhecia. Por medo, Peter não se opôs ao pai, simplesmente aceitou aquela decisão, embora de forma contrariada.

Foi somente depois de descobrir um fato novo a respeito de seu pai, que Peter percebeu o erro que tinha cometido. Pax viveu com ele a vida toda, foi parte de sua existência e era seu companheiro em muitas empreitadas. A pequena raposa nunca viveu no bosque, fora de seu cercadinho; nunca precisou procurar comida; nunca precisou se virar sozinha. Como Pax iria sobreviver nesse cenário, e ainda mais com a guerra a caminho?

Foi com esse pensamento de urgência que Peter arrumou sua mochila e, antes de amanhecer, saiu em uma missão de resgate. Com um bilhete deixado ao avô e o pensamento em Pax, ele tinha fé que iria encontrar o seu fiel amiguinho ainda esperando, no exato ponto em que o viu pela última vez, com o olhar perdido e confuso.

Resenha do livro Pax

Mostrar mais

Gabi Orlandin
Post escrito por: Gabi Orlandin

Faltam só 10 dias! Participe do sorteio!

Publicado em 04.08.16

Gateiras de plantão: preparem os seus corações! Pois, se vocês ainda não conhecem, agora vão conhecer Jimi, um gatinho muito, mas muito fofo que tem menos de 10 dias pra se tornar famoso nas páginas de um livro infantil que ó, vai ficar bonitão! [love]

Jimi - O gato no telhado

Livro: Jimi – O Gato no Telhado

Talvez você tenha lido no post anterior aqui do blog, mas se não leu, vou resumir tudo aqui.

Jimi – O Gato do Telhado é um livro ilustrado em aquarela e criado pela ilustradora Renata Soares, de São Carlos, SP. Esse é seu primeiro projeto autoral, onde juntou duas de suas principais paixões: ilustrações lúdicas aquareladas e o carinho pelos animais, em especial, animais que não possuem um lar quentinho e amado para chamar de seu. [heart] O livro é baseado na história do gato da autora, o Jimi, e conta como o animalzinho apareceu de forma inusitada em sua casa, foi adotado e teve um final feliz.

Jimi - O gato no telhadoEsse é o Jimi real que inspirou o livro!

Conheçam a Rê (que é um amor de pessoa!) e o Jimi no vídeo abaixo. Aliás, o vídeo está uma fofura só. [heart]


Amei muito! Como faço pra ter um livro e concorrer ao sorteio?

A sua participação para a concretização do projeto é essencial! Quem quiser ajudar a tornar o livro realidade, pode apoiar financeiramente escolhendo uma recompensa com o valor que desejar (são vários mimos, além do livro). Se a meta for alcançada, todos os que ajudaram recebem a recompensa em sua casa. Se a meta não for alcançada, todo o dinheiro arrecadado será devolvido. Estamos agora com pouco menos de 10 dias, e ainda falta um pouco! Foi pensando nisso que a Rê criou um SORTEIO MARAAAAAA! Eu estou doida pra ganhar, vejam o prêmio:

Jimi - O gato no telhado

Que coisa mais linda, eu quero!

É super fácil concorrer:

1. Você precisa ser apoiador do projeto no Catarse, em qualquer recompensa a partir de R$30,00 (que inclui o envio do livro físico pra você).

2. Tendo apoiado o projeto, você só precisa ir na fanpage da Rê e comentar o nome do bichinho de estimação que você ama.

SÓ ISSO! Viu como é fácil? Quais são as vantagens pra você:
• Você ajuda um projeto que visa incentivar a leitura para crianças;
• Você ajuda as crianças a terem um carinho e zelo maior pelos animais;
• Você ganha, no mínimo, um livro todo ilustrado e lindão quando o projeto for concluído com sucesso;
• E ainda concorre a uma capa de almofada que é a COISA-MAIS-LINDA!



Clique aqui e ajude o projeto!

Você incentiva a leitura, adquire um livro super fofo e ganha vários mimos.

Gabi Orlandin
Post escrito por: Gabi Orlandin

Resenha do filme: A proposta

Publicado em 27.07.16
Resenha do filme A Proposta Sandra Bullock

A proposta
Atores principais: Sandra Bullock e Ryan Reynolds.
Gêneros: Comédia, romance.
Direção: Anne Fletcher
Duração: 1h48min
Lançamento: 10 de julho de 2009
País: EUA

Margaret Tate (Sandra Bullock) é uma poderosa editora de livros, que se vê em apuros ao ser comunicada de sua deportação para o país-natal, o Canadá. Para evitar que isto ocorra ela declara estar noiva de Andrew Paxton (Ryan Reynolds), seu assistente. Perseguido por Margaret há anos, ele aceita participar da farsa mas impõe algumas condições.

Era um dia daqueles, em que eu queria assistir um filme, mas não sabia qual escolher. Um era dramático demais, outro era aventureiro demais. Eu não queria nenhum complicado ou extenso. Até que cheguei a Miss Simpatia, lembram? É com a incrível Sandra Bullock como protagonista, mas eu já tinha assistido, então pula! Até que apareceu A Proposta, outro filme da atriz, de 2009, que eu nunca tinha ouvido falar. Sem nem mesmo ver o trailer, confiando na sinopse de uma linha do Netflix, dei play. E começou a diversão!

Resenha do filme A Proposta Sandra Bullock

A história gira em torno de Margaret Tate, uma editora de livros (entenderam porque gostei da sinopse?) odiada por todos os funcionários. Pra terem uma ideia, todos os dias, quando ela está chegando ao serviço, começam a surgir mensagens instantâneas de todos os seus funcionários, dizendo algo como “A bruxa está solta”. Esse é o nível do desgosto deles pela chefe. E ela é casca grossa mesmo. Só pensa em trabalho, nunca se atrasa, está sempre sabendo de tudo o que acontece e parece não ter uma vida fora da editora. Basicamente, ela parece não ter coração.

Até o dia em que ela se vê com o visto americano negado, e sendo deportada para seu país natal, o Canadá, em poucos dias. Não há nada que ela possa fazer, então terá que largar o emprego e toda a sua vida. E o pior nem era isso: era deixar a sua vaga na empresa para a pior pessoa que poderia ficar com o seu lugar – o assistente que ela odiava e, por acaso, tinha acabado de demitir. Mas, para Margaret, sempre há uma opção. É muito simples: se casar com Andrew Paxton – o próprio assistente. Pasmem!

Coagido de diversas formas e ameaçado de perder seu emprego, Andrew acaba aceitando essa loucura. Porém, o juiz está muito desconfiado de que esse casamento é forjado, e por isso fará entrevistas separadas para saber quanto um conhece sobre o outro. Então, para se conhecerem, Margaret vai conhecer a família de Andrew no Alasca, onde eles passam vários dias. Só que TUDO o que podia dar errado deu errado. É uma confusão atrás da outra, e a gente não pára de rir nunca!

Resenha do filme A Proposta Sandra Bullock

Com um senso de humor inteligente, A proposta foi um filme incrível do começo ao fim. Pra começar, temos a Sandra Bullock como protagonista que, por si só, consegue fazer as melhores caretas e ser engraçada do seu jeito único. Pra finalizar tanta maravilhosidade, o ator que interpreta Andrew Paxton é Ryan Reynolds, que descobri ser o ator de Lanterna Verde e um homem lindo-de-morrer quando está de terno! (Me desculpem, não resisti!). A atuação dos dois é perfeita: Sandra como a legítima chefe mal amada que só pensa em trabalhar, e Andrew como o cara que largou tudo no Alasca para correr atrás dos seus sonhos, mas acha a sua chefe a maior pé no saco.

Como se não bastasse um filme cheio de humor inteligente e ótimas cenas, temos um final que passa longe do clichê, em partes. Quando pensamos que ele terminará daquela forma que todos os filmes terminam, estamos bem enganados. Tem várias cenas em que pensamos: “ah, então é assim que acaba”, e o filme sempre tem uma nova surpresa. Eu adorei, do início ao fim. Preciso dizer que recomendo demais? [love]

A proposta: Trailer legendado

Gabi Orlandin
Post escrito por: Gabi Orlandin

Um dia nublado em Yosemite

Publicado em 22.07.16

Durante a nossa viagem de um mês a San Francisco, fizemos outra pequena viagem de carro de 4 dias para outras cidades: Napa, Lake Tahoe e Yosemite. Napa é uma das cidades mais encantadoras que eu já vi, com suas ruas decoradas, o centrinho pequeno e hospitalidade nas pessoas; Lake Tahoe metade-Califórnia-metade-Nevada é gelado pra caramba, com o horizonte ainda branquinho da neve que ainda não derreteu; e Yosemite é um paraíso totalmente único e singular.

Yosemite é um Parque Nacional dos Estados Unidos, e está localizado na Califórnia, nas Montanhas da Serra Nevada. Segundo a Wikipedia, o parque tem 3.081km² e uma altitude que pode variar de 600 a 4.000 metros de altitude. O local é rico por espécies de plantas e formações geológicas raras (que são de tirar tirar o fôlego!). Como a intenção desse post não é dar uma aula sobre Yosemite, para saber mais, visite a página da Wikipedia. [smile]

Eu e o Doug tivemos apenas um dia inteiro para explorar o parque, pois tínhamos que voltar a San Francisco para mais uma semana de aulas, antes de terminar nosso intercâmbio. Chegamos à cidade de Mariposa, onde está localizado o parque, no domingo à tardinha, e aproveitamos para dar uma volta de carro no local e conhecer as redondezas. Isso foi muito válido, pois dessa forma foi possível ter uma ideia do que gostaríamos de fazer no próximo dia. Acontece que este primeiro dia estava com o tempo muito nublado, chovendo e muito, muito frio! Nunca imaginávamos que o dia seguinte seria de sol brilhante, céu azul e calor.

Porém, neste primeiro dia acabamos nos impressionando tanto com o lugar, mesmo encoberto de nuvens, que tiramos algumas fotos, e é isso que vocês verão nesse post!

look do dia invernoPeraí, deixa eu arrumar o cabelo que essa garoa desarrumou!

look do dia invernoPronto, tá lindo, bate a foto!

look do dia invernoO motorista e guia da viagem – também conhecido como meu namorado.

Mostrar mais

Gabi Orlandin
Post escrito por: Gabi Orlandin

Meg Cabot – Liberte meu coração

Publicado em 19.07.16
Resenha do livro Liberte meu coração

Liberte meu coração
Meg Cabot
Editora Galera Record, 2011
404 páginas

Submarino Saraiva

Sua Alteza Real, a princesa Mia Thermopolis da Genovia, cujos diários se tornaram sucessos de venda, agora mostra ao mundo inteiro seu primeiro romance — cheio de perigo, desejo e um amor que vencerá todos os obstáculos… com a ajuda da incrivelmente talentosa Meg Cabot!

Finnula é a caçula de seis irmãs e um irmão na Inglaterra do século XIII. Enquanto suas irmãs se contentam em fofocar sobre maridos, crianças e afazeres domésticos, Finnula é alvo de comentários maldosos de toda a vila por caçar nos terrenos do conde e por andar por aí em calças de couro justas! Mas de repente Finnula se vê envolvida numa complicação sem tamanho… Uma de suas irmãs acabou com o seu dote comprando vestidos e bugigangas, e a única forma em que as duas conseguem pensar para recuperar esse dinheiro é muito pouco usual… Sequestrar um lorde ou um cavaleiro rico que possa pagar um resgate! O que ela não esperava é que esse sequestro fosse criar mais problemas do que soluções: o cavaleiro recém-chegado das Cruzadas que é escolhido por Finnula vai acabar se mostrando alguém muito diferente do esperado, e a moça pode acabar tendo que abrir mão do resgate… e de seu coração.

A autora de Liberte meu coração é a genial, talentosa e incrível Meg Cabot, que também escreveu a série de livros Diários da Princesa, composto por 9 volumes que, posteriormente, viraram um filme. Porém, Meg Cabot coloca a si mesma apenas como ajudante nessa história, e diz que quem escreveu este livro foi a própria Mia Thermopolis, princesa da Genovia. Não sabe do que eu estou falando? Explico: Mia é a protagonista de toda a série de livros escrita por Meg e, no decorrer da trama, um de seus sonhos sempre foi escrever um livro. Pois bem! Liberte meu coração é a história escrita por essa personagem! [smile]

Resenha do livro Liberte meu coração

Resenha do livro Liberte meu coração

Vale começar a resenha esclarecendo que este livro não tem a ver com a série Diários da Princesa, além do fato de ter sido “escrito” pela personagem. A história é de época, e tem como protagonista Finnula Crais, irmã mais nova de uma família não muito bem vista para os costumes daquele tempo. Ela mesma não era uma mulher muito bem falada nas redondezas, afinal, qual é a moça que podia andar de calças? Além de não usar vestidos como era o costume, Finn também tinha o hábito de cavalgar e caçar, e diziam que tinha a melhor mira da região. Juntando isso ao fato de não se arrumar adequadamente e ter sempre seus cabelos vermelhos presos em tranças ou mesmo desarrumados, Finnula vivia metida em encrenca por caçar em locais proibidos e por, simplesmente, não ser uma “mulher normal”.

Acredito que só essa introdução à personagem já desperta o interesse de muitos leitores, não é? Quem é que não gosta de personagens fortes, destemidas e que desafiam as normas? Admito até que Finn me lembrou um pouco a Valente, do filme da Disney, por ter cabelos cor de fogo e por gostar de arco e flecha.

A história toda começa quando Finn sai em uma busca desesperada por um homem. Sim, um homem, mas não pra ela. Qualquer homem que fosse rico, para que pudesse sequestrar e pedir um resgate posterior. Ela fez uma promessa à irmã, que precisava desesperadamente de dinheiro, e não podia deixar de cumprir. Só que, o que começou sendo algo simples, tornou-se a maior encrenca na qual ela já se meteu. E a encrenca tinha nome, era alto, forte e muito irritante: Hugo Fitzstephen, o conde do solar onde sua família morava. Só que ela não sabia disso. Ainda.

Mostrar mais

Gabi Orlandin
Post escrito por: Gabi Orlandin
Subir!