Bruna Vieira – Depois dos quinze

Publicado em 23.01.17

Depois dos quinze
Quando tudo começou a mudar
Bruna Vieira
Editora Gutenberg, 2012

Bruna Vieira tem 18 anos, é colunista da Revista Capricho e dona de um blog chamado Depois dos Quinze. Começou a escrever porque descobriu que o amor da sua vida era na verdade o amor de uma das centenas de fases que ela já viveu. Desde então, com a ordem das palavras escritas e compartilhadas nas redes sociais, Bruna superou a timidez, viajou para a Europa, fez duas tatuagens, mudou de vez para São Paulo e tornou-se uma das adolescentes brasileiras mais influentes da internet com milhares de fãs-leitoras-amigas-seguidoras. Nesse livro você encontra uma mistura de histórias, desabafos e segredos de uma garota que nasceu no interior, ama animais, usa boinas coloridas e ainda acredita no amor simples e verdadeiro.

Imagino que todos vocês devem conhecer a Bruna Vieira. Porém, para quem viveu no mundo da Lua nos últimos anos, a Bruna é a blogueira do Depois dos Quinze, blog que nasceu fruto de um pé na bunda – de forma bem direta mesmo. A verdade é que a moça, lá da cidade de Leopoldina, interior de Minas Gerais, estava tão desiludida com o amor, que precisava de um lugar pra escrever textos e desabafar o que ia em seu coração. Alô blogueir@os, quem se identificou? ;P Foi assim que surgiu o Depois dos Quinze que, alguns anos depois, se revelaria a sua fonte de renda e a origem de tantas mudanças em sua vida.

Quando a Bruna de mudou pra São Paulo, muitas coisas começaram a acontecer, inclusive a oportunidade de escrever seu primeiro livro de crônicas, intitulado simplesmente de Depois dos Quinze, pela editora Gutenberg – a mesma que publica sucessos de Paula Pimenta, por exemplo. Eu conheci a Bruna na Bienal do livro do Rio em 2013 e ela é uma fofa. *-* Tive seus dois primeiros livros autografados, que estavam guardados na minha estante até hoje, quando finalmente peguei o primeiro pra ler.

O livro é escrito para meninas e composto de crônicas curtas – somente a última é bem mais longa, e conta uma história mais complexa – e geralmente eles giram em torno de garotos, adolescência e esse período da vida em que os jovens estão em dúvida sobre tudo na vida. Um ponto positivo do livro é que ele é rápido de ler. Como são contos, lemos um após o outro, e quando nos damos conta, já se foram várias páginas. Porém, o ponto negativo fica por conta da superficialidade de todos os contos.

Não me entendam mal, eu li com 25 anos e pode ser que, por este motivo, eu não tenha me identificado com as crônicas escritas pela Bruna. Pode ser que uma menina mais nova, de seus 15 anos, vai identificar com o que está naquelas palavras porque ela está vivendo aquelas situações. Porém, eu compartilho a mesma opinião da minha irmã, que quando leu tinha seus 18 anos: as crônicas são rasas demais e não dizem muita coisa. Seria interessante se a Bruna alterasse um pouco os assuntos, pois ler tantas crônicas de meninas sofrendo pelo garoto que as fez sofrer é um tanto… sofredor. :|

Acho que a Bruna tem uma mão incrível para a escrita, mas falta ainda um pouco de amadurecimento para que ela consiga, digamos, seguir uma linha de pensamento mais clara. Acho que ela escreve com muita sinceridade, com toda a alma e coração, mas é justamente isso que, talvez, atrapalhe. É difícil acompanhar a linha de raciocínio, pois às vezes não consigo enxergar aonde ela quer chegar. Não vou dizer que o livro não é bom; ele é, para o seu público alvo bem específico. Se você é uma menina de 14, 15 anos e está sofrendo por um menino que ainda ama, talvez este livro te coloque pra cima e te faça enxergar seu próprio valor. ;)

Gabi Orlandin
Post escrito por: Gabi Orlandin

Sorteio de mimos!

Publicado em 21.01.17

Preparados? Vejam só o que eu preparei pra vocês:

 

 

É isso aí! :D Separei vários mimos super fofos e montei 3 kits, para presentear 3 leitores do blog! Os kits são compostos de caderninhos e fofuras de editoras que são ou já foram parceiras do blog. O sorteio será rapidinho, só até quarta-feira, dia 25 de janeiro, e o resultado sairá aqui nesse post mesmo, no dia seguinte. Para participar, é bem simples: resumidamente, o participante só precisa curtir a fanpage do Fluffy e assinar a newsletter (confirmando a assinatura), e depois preencher o formulário. Mas vamos lá, conhecer os 3 kits, porque depois vou mostrar todos os passos direitinho.

5 cadernetas e 1 chaveiro.

1 caderno de tamanho pequeno, 2 cadernetas, 1 bloco de anotações que vira uma maçã e um lápis.

4 cadernetas.

Mostrar mais

Gabi Orlandin
Post escrito por: Gabi Orlandin

Paula Pimenta – Princesa Adormecida

Publicado em 19.01.17
Resenha do livro Princesa Adormecida

Princesa Adormecida
Paula Pimenta
Editora Galera Record, 2014

Era uma vez uma princesa… Você já deve ter ouvido essa introdução algumas vezes, nas histórias que amava quando criança. Mas essa princesa sou eu. Quer dizer, é assim que eu fiquei conhecida. Só que minha vida não é nada romântica como são os contos de fada. Muito pelo contrário. Reinos distantes? Linhagem real? Sequestro? Uma bruxa vingativa? Para mim isso tudo só existia nos livros. Meu cotidiano era normal. Tá, quase normal. Vivia com meus (superprotetores) tios, era boa aluna, tinha grandes amigas. Até que de uma hora pra outra, tudo mudou.

Imagina acordar um dia e descobrir que o mundo que você achava que era real, nada mais é do que um sonho. E se todas as pessoas que você conheceu na vida simplesmente fossem uma invenção e, ao despertar, percebesse que não sabe onde mora, que nunca viu quem está do seu lado, e, especialmente, que não tem a menor ideia de onde foi parar o amor da sua vida. Se alguma vez passar por isso, saiba que você não é a única. Eu não conheço a sua história, mas a minha é mais ou menos assim…

Já fazia um bom tempo que eu queria ler uma história da Paula Pimenta. A autora é a mente criativa por trás da série de sucesso Fazendo meu Filme, que eu ainda não tive a oportunidade de ler. Então, quando me deparei com Princesa Adormecida em uma dessas promoções na internet, resolvi comprar para conhecer a escrita dessa autora que já tem muitos fãs no Brasil. Admito que demorei pra pegar este livro pra ler, mas quando peguei, não consegui parar. Se eu fosse somar todas as horas que eu passei lendo este livro, acredito que não passaria de seis horas. Ele é curtinho, mas me cativou de forma que um livro não fazia há meses. Vamos conhecer um pouquinho?

Resenha do livro Princesa Adormecida

A história começa com as recordações de Anna Rosa, no presente. Quer dizer, este é o nome dela no Brasil, porque ela acabou de descobrir uma vida que não sabia que era dela, e muito mais: que ela é parente próxima de um príncipe de um pequeno principado Europeu. A narração em primeira pessoa conta, no momento presente, as recordações do último dia da personagem, e o leitor fica sabendo de tudo o que lhe aconteceu até o dia de hoje. Após todas as lembranças, quando a princesa já está a par de quem ela realmente é, a narração volta ao presente, para revelar novos acontecimentos que mudaram todo o rumo da trama.

Assim como todo conto de fada, este também possui uma vilã em forma de “bruxa má”. Há uma maldição que corre desde o nascimento de Anna, que mudou todo o rumo de sua vida. Já fica claro desde o começo quem é a vilã e o que ela quer, mas Paula Pimenta deixa o leitor na dúvida em muitos momentos! Eu podia jurar de pé junto que a tal fulaninha estava metida em encrenca; depois, podia crer que outro personagem era do lado do mal. Mas aí vem a Paula e muda tudo – várias vezes! Certamente, isso foi o que mais gostei na história: a forma como ela mexe com os personagens e manipula as emoções do leitor, fazendo-nos amar e depois odiar o mesmo personagem.

Resenha do livro Princesa Adormecida

O que me deixou com um pé atrás, foi a história da bruxa um pouco forçada demais. Poxa, nenhum vilão pode guardar rancor por tanto tempo, sabe? Claro, em contos de fada eles podem. |D De qualquer forma, achei que a narração, ali, ficou um pouquinho faltante, e algumas partes poderiam ter sido melhor desenvolvidas, na minha opinião. Talvez eu pense isso justamente porque gostei tanto da história, que queria mais! E, de fato, é uma história para adolescentes, então não se poderia esperar algo melhor do que isso pra captar a atenção desse público alvo. :)

Para uma primeira experiência com Paula Pimenta, posso dizer que foi uma escolha feliz. Certamente vou desejar ler outros livros da autora no futuro.

Gabi Orlandin
Post escrito por: Gabi Orlandin

Sorteio: Caixa com 120 marcadores!

Publicado em 08.01.17

Hoje é dia de sorteiooooooooo!

Eu sei que muita gente adora e inclusive coleciona marcadores de páginas. Eu também me encaixo nessa categoria, mas nos últimos tempos, tenho sido adepta da máxima menos é mais. Sim, eu li o livro da Marie Kondo. xD Na verdade, eu já estava nessa vibe há meses, mas quando conheci a técnica de organização da autora, tentei colocar em prática as regras que ela aplica. Não posso dizer que deu totalmente certo eu fiz totalmente o que deveria, mas o que eu fiz foi super sucedido. Então, depois da mini revolução, separei minha coleção de marcadores em duas partes: os poucos que eu guardei pra mim, e todos os outros que eu guardava para sorteios de livros. E resolvi: chega de guardar para os sorteios. Eles se tornarão o próprio sorteio!

Então, abram alas para a caixa de marcadores mais linda, maravilhosa e cheia de charme que vocês já viram! *-*

Sorteio de marcadores literáriosCaixa presenteável (LINDA!) do livro Entre o amor e o silêncio, da autora Babi A. Sette.

Sorteio de marcadores literáriosOlha que lindeza: 120 marcadores sortidos pra você! Mas podem ter repetidos, tá?

E tudo isso pode ser seu e só seu! Para participar, é só seguir duas regras bem simples e fáceis:

  • 1. Assinar a newsletter do Fluffy.
  • O que é isso? Quando você assinar a newsletter, você começará a receber novidades do blog no seu e-mail. Mas não se preocupe: eu também odeio spam. Você receberá, no máximo, um e-mail semanal com o post mais recente e/ou novidades. Assim que você assinar, receberá um e-mail para confirmar a assinatura. Você precisa ir na sua caixa de entrada e clicar no link de confirmação. Assinaturas não confirmadas não vão valer para o sorteio. ;)


  • 2. Curtir a fanpage do Fluffy no Facebook. Se você ainda não curte, é só clicar no botão Curtir abaixo.
  • 3. Preencher o formulário abaixo.
  • A vencedora da caixa com 120 marcadores é…
    Danielle da Silva Negrão!

    Parabéns, Danielle! Entrarei em contato com você agora, e vou aguardar sua resposta em até 3 dias. ;)
    Para quem não foi sorteado dessa vez: tem novos sorteios vindo por aqui! Aguardem, acho que vocês vão gostar! *-*


    Mais informações:

  • 1. Prêmio: Caixa com 120 marcadores de livros sortidos (podem haver repetidos). O prêmio não poderá ser trocado, transferido para outra pessoa e/ou convertido em dinheiro.
  • 2. Participantes: Promoção válida para quem mora ou tem um endereço de entrega em território brasileiro. É válida apenas uma participação por pessoa.
  • 3. Datas: O sorteio inicia em 08/01/2017 e termina em 15/01/2017. O resultado será publicado neste post no dia seguinte, 16/01.
  • 4. Sorteio: Este sorteio será realizado através do formulário do Google Docs, e a escolha do vencedor se dará por sorteio aleatório no site Random.Org, entre todas as pessoas que estiverem inscritas. Todas as regras de participação serão conferidas antes do resultado ser validado.
  • 5. Contato ao vencedor: O vencedor será comunicado por e-mail e deverá responder o contato em até 3 dias. Caso não haja resposta dentro do prazo, o vencedor será desclassificado, e será sorteada outra pessoa em seu lugar.
  • 6. Divulgação do vencedor: Ao participar dessa promoção, todos os participantes automaticamente autorizam ter seu nome divulgado, em caso de vitória, tanto no blog quanto nas redes sociais a ele vinculadas.
  • 7. Envio do prêmio: O prêmio será enviado em até 7 dias e o prazo de entrega será estabelecido pelos Correios, a partir do código rastreio, fornecido ao ganhador. O blog não se responsabiliza por qualquer extravio por parte dos Correios, e caso o prêmio retorne, o vencedor fica responsável por pagar um novo envio.
  • Boa sorte a todos!

    Assuntos:
    Gabi Orlandin
    Post escrito por: Gabi Orlandin

    Paula Hawkins – A garota no trem

    Publicado em 23.12.16
    A garota no trem

    A garota no trem
    Paula Hawkins
    Editora Record, 2015
    378 páginas

    Submarino Saraiva

    Todas as manhãs Rachel pega o trem das 8h04 de Ashbury para Londres. O arrastar trepidante pelos trilhos faz parte de sua rotina. O percurso, que ela conhece de cor, é um hipnotizante passeio de galpões, caixas d’água, pontes e aconchegantes casas. Em determinado trecho, o trem para no sinal vermelho. E é de lá que Rachel observa diariamente a casa de número 15. Obcecada com seus belos habitantes – a quem chama de Jess e Jason –, Rachel é capaz de descrever o que imagina ser a vida perfeita do jovem casal. Até testemunhar uma cena chocante, segundos antes de o trem dar um solavanco e seguir viagem. Poucos dias depois, ela descobre que Jess – na verdade Megan – está desaparecida. Sem conseguir se manter alheia à situação, ela vai à polícia e conta o que viu. E acaba, não só participando diretamente do desenrolar dos acontecimentos, mas também da vida de todos os envolvidos.

    Este era mais um daqueles livros que estavam aguardando na fila de leitura há alguns meses. Fiquei sabendo que lançou o filme, fiquei ouvindo muitos comentários positivos, mas ainda não tinha conseguido encaixá-lo na minha rotina maluca. Até que eu pensei: “eu preciso saber o que esse livro tem de tão bom!”. De cara, a citação da People, impressa na capa, me deixou empolgada: “Se você gostou de Garota Exemplar, vai devorar este thriller psicológico”. Eu li Garota Exemplar e amei completamente aquele livro. Só que este… consegue ser ainda melhor!

    A história é contada através das idas e vindas de trem. Rachel tinha uma vida maravilhosa, mas de uma hora para outra, tudo veio ao chão. Mandada embora de sua própria casa, ela agora vive bêbada, está morando em um quartinho minúsculo na casa de uma quase-amiga e não aceita o rumo que sua vida tomou. Todas as manhãs e todos os finais de dia, quando o trem para no sinal vermelho, Rachel pode ver duas casas da sua janela no vagão: em uma delas, a de número 15, mora um casal jovem, para os quais ela inventou uma história de vida. Já a próxima casa, a de número 23, ela conhece em mínimos detalhes; essa já foi a sua casa.

    Rachel vive uma vida de mentira, vive escondendo seus problemas e não consegue controlar seus impulsos pela bebida. Até que, pela janela do trem, ela vê uma cena que não deveria ter visto. Quando, em uma única noite, mil coisas aconteceram ao mesmo tempo, Rachel pode ser a chave para descobrir a verdade. Porém, sendo uma alcoólatra, ela não tem credibilidade nenhuma para as autoridades. Então, como alguém que está passando por uma péssima fase na vida, vai convencer as pessoas de que o que ela viu foi real? Rachel vai montar um gigante quebra-cabeças dessa história, pra entender tudo o que aconteceu.

    Preciso dizer, antes de qualquer coisa: a narrativa desse livro é fantástica! A história acontece dentro do trem, para Rachel, e no decorrer da trama conhecemos outros narradores, que dão as suas versões da história somente para manter o clima de suspense. Temos um fragmento de narração de dentro do trem das 08:04. Depois, somente no trem da volta, no fim do expediente. Então, o que aconteceu entre esses dois momentos? xO Sim, Rachel conta o que aconteceu. Mas aí que mora o segredo: não dá pra parar de ler, justamente pra saber o que aconteceu.

    E na verdade, eu senti muita pena da Rachel durante toda a história. Todo esse problema da bebida tem um motivo, e ele é triste. Me compadeci pela forma como a vida deu vários tapas na cara dela, e torci para que ela conseguisse dar a volta por cima. Por ser tão diferente de personagens “comuns”, e por ter tantos problemas reais, a gente acaba se identificando com ela, mesmo que não tenhamos os mesmos problemas. Os outros personagens foram igualmente sensacionais, em especial os moradores da casa de número 15, que são essenciais para a história.

    A Garota no Trem é um livro que você não consegue largar, principalmente da metade para o final. Eu fiquei acordada até as duas horas da manhã, porque não conseguia parar de ler. Um acontecimento leva ao outro, e cada um deles é um boom na história – é impossível largar. Ninguém é quem parece ser, e o leitor vai duvidar de todas as pessoas. E aí, é tudo de tirar o fôlego. E o final é daqueles que você precisa parar, pensar e então compreender, pois é muito complexo – e não por isso é ruim, muito pelo contrário! A autora criou uma trama incrível, cheia de pontas soltas que, no final, se fecham. Um thriller psicológico, pra ninguém colocar defeito. Se você gosta desse gênero de literatura, A Garota no Trem é um prato cheio.

    Gabi Orlandin
    Post escrito por: Gabi Orlandin
    Subir!