Um dia nublado em Yosemite

Publicado em 22.07.16

Durante a nossa viagem de um mês a San Francisco, fizemos outra pequena viagem de carro de 4 dias para outras cidades: Napa, Lake Tahoe e Yosemite. Napa é uma das cidades mais encantadoras que eu já vi, com suas ruas decoradas, o centrinho pequeno e hospitalidade nas pessoas; Lake Tahoe metade-Califórnia-metade-Nevada é gelado pra caramba, com o horizonte ainda branquinho da neve que ainda não derreteu; e Yosemite é um paraíso totalmente único e singular.

Yosemite é um Parque Nacional dos Estados Unidos, e está localizado na Califórnia, nas Montanhas da Serra Nevada. Segundo a Wikipedia, o parque tem 3.081km² e uma altitude que pode variar de 600 a 4.000 metros de altitude. O local é rico por espécies de plantas e formações geológicas raras (que são de tirar tirar o fôlego!). Como a intenção desse post não é dar uma aula sobre Yosemite, para saber mais, visite a página da Wikipedia. [smile]

Eu e o Doug tivemos apenas um dia inteiro para explorar o parque, pois tínhamos que voltar a San Francisco para mais uma semana de aulas, antes de terminar nosso intercâmbio. Chegamos à cidade de Mariposa, onde está localizado o parque, no domingo à tardinha, e aproveitamos para dar uma volta de carro no local e conhecer as redondezas. Isso foi muito válido, pois dessa forma foi possível ter uma ideia do que gostaríamos de fazer no próximo dia. Acontece que este primeiro dia estava com o tempo muito nublado, chovendo e muito, muito frio! Nunca imaginávamos que o dia seguinte seria de sol brilhante, céu azul e calor.

Porém, neste primeiro dia acabamos nos impressionando tanto com o lugar, mesmo encoberto de nuvens, que tiramos algumas fotos, e é isso que vocês verão nesse post!

look do dia invernoPeraí, deixa eu arrumar o cabelo que essa garoa desarrumou!

look do dia invernoPronto, tá lindo, bate a foto!

look do dia invernoO motorista e guia da viagem – também conhecido como meu namorado.

Mostrar mais

Gabi Orlandin
Post escrito por: Gabi Orlandin

Meg Cabot – Liberte meu coração

Publicado em 19.07.16
Resenha do livro Liberte meu coração

Liberte meu coração
Meg Cabot
Editora Galera Record, 2011
404 páginas

Submarino Saraiva

Sua Alteza Real, a princesa Mia Thermopolis da Genovia, cujos diários se tornaram sucessos de venda, agora mostra ao mundo inteiro seu primeiro romance — cheio de perigo, desejo e um amor que vencerá todos os obstáculos… com a ajuda da incrivelmente talentosa Meg Cabot!

Finnula é a caçula de seis irmãs e um irmão na Inglaterra do século XIII. Enquanto suas irmãs se contentam em fofocar sobre maridos, crianças e afazeres domésticos, Finnula é alvo de comentários maldosos de toda a vila por caçar nos terrenos do conde e por andar por aí em calças de couro justas! Mas de repente Finnula se vê envolvida numa complicação sem tamanho… Uma de suas irmãs acabou com o seu dote comprando vestidos e bugigangas, e a única forma em que as duas conseguem pensar para recuperar esse dinheiro é muito pouco usual… Sequestrar um lorde ou um cavaleiro rico que possa pagar um resgate! O que ela não esperava é que esse sequestro fosse criar mais problemas do que soluções: o cavaleiro recém-chegado das Cruzadas que é escolhido por Finnula vai acabar se mostrando alguém muito diferente do esperado, e a moça pode acabar tendo que abrir mão do resgate… e de seu coração.

A autora de Liberte meu coração é a genial, talentosa e incrível Meg Cabot, que também escreveu a série de livros Diários da Princesa, composto por 9 volumes que, posteriormente, viraram um filme. Porém, Meg Cabot coloca a si mesma apenas como ajudante nessa história, e diz que quem escreveu este livro foi a própria Mia Thermopolis, princesa da Genovia. Não sabe do que eu estou falando? Explico: Mia é a protagonista de toda a série de livros escrita por Meg e, no decorrer da trama, um de seus sonhos sempre foi escrever um livro. Pois bem! Liberte meu coração é a história escrita por essa personagem! [smile]

Resenha do livro Liberte meu coração

Resenha do livro Liberte meu coração

Vale começar a resenha esclarecendo que este livro não tem a ver com a série Diários da Princesa, além do fato de ter sido “escrito” pela personagem. A história é de época, e tem como protagonista Finnula Crais, irmã mais nova de uma família não muito bem vista para os costumes daquele tempo. Ela mesma não era uma mulher muito bem falada nas redondezas, afinal, qual é a moça que podia andar de calças? Além de não usar vestidos como era o costume, Finn também tinha o hábito de cavalgar e caçar, e diziam que tinha a melhor mira da região. Juntando isso ao fato de não se arrumar adequadamente e ter sempre seus cabelos vermelhos presos em tranças ou mesmo desarrumados, Finnula vivia metida em encrenca por caçar em locais proibidos e por, simplesmente, não ser uma “mulher normal”.

Acredito que só essa introdução à personagem já desperta o interesse de muitos leitores, não é? Quem é que não gosta de personagens fortes, destemidas e que desafiam as normas? Admito até que Finn me lembrou um pouco a Valente, do filme da Disney, por ter cabelos cor de fogo e por gostar de arco e flecha.

A história toda começa quando Finn sai em uma busca desesperada por um homem. Sim, um homem, mas não pra ela. Qualquer homem que fosse rico, para que pudesse sequestrar e pedir um resgate posterior. Ela fez uma promessa à irmã, que precisava desesperadamente de dinheiro, e não podia deixar de cumprir. Só que, o que começou sendo algo simples, tornou-se a maior encrenca na qual ela já se meteu. E a encrenca tinha nome, era alto, forte e muito irritante: Hugo Fitzstephen, o conde do solar onde sua família morava. Só que ela não sabia disso. Ainda.

Mostrar mais

Gabi Orlandin
Post escrito por: Gabi Orlandin

Livro de marcar filmes

Publicado em 06.07.16
Resenha Livro de marcar filmes

Livro de marcar filmes
Seu diário de viagens na telona
Increasy Consultoria Literária
Editora Verus, 2016
200 páginas

Saraiva

Muito mais do que uma simples lista de recordações, o Livro de marcar filmes traz sugestões e também propostas que vão agitar os fãs de cinema! A ideia aqui é criar um registro de experiências cinematográficas e descontrair esse tema tão democrático e que desperta tantas paixões, sem a pretensão de ser um manual técnico. De Hollywood a Bollywood, passando pelas produções latinas, europeias e asiáticas, a ideia é curtir o maior número possível de longas, se desdobrar em maratonas e reconhecer a beleza de cada obra, mesmo das mais diferentes. O Livro de marcar filmes é um lugar para anotar os filmes a que assistiu em diversas categorias, aqueles que conquistaram o seu coração e os que ainda quer ver, enquanto descobre os premiados, que nenhum cinéfilo pode deixar passar.

Você viu a minha resenha do Livro de marcar livros? Se sim, que ótimo; se não, corre lá dar uma espiadinha e depois volta aqui. Porque hoje, senhoras e senhores, é dia de cinema! [smile] Vamos falar sobre o segundo livro dessa série, que é dedicado inteiramente aos filmes que mais amamos. Chegou a hora de colocar as suas críticas e emoções cinematográficas da telona no papel. Vem comigo!

Resenha Livro de marcar filmes

Resenha Livro de marcar filmes

Resenha Livro de marcar filmes

A ideia do livro é que ele seja o seu guia durante o tempo que for (isso vai depender se você assiste muitos filmes ou não!), e guarde recordações e anotações dos filmes que você viu, que você quer ver, e ainda te dá sugestões para assistir – dos clássicos aos blockbusters. Se você é alguém que, sempre que vê um filme, quer comentar algum detalhe ou deixar registrada a sua opinião, então você precisa desse livro. Na minha opinião, às vezes é preciso anotar algumas coisas em lugares físicos e palpáveis pra poder ver depois. E esse livro serve exatamente pra isso!

O livro vai iniciar narrando a sua vida através do cinema: registre nele o primeiro filme que você viu (ou o primeiro que você lembra!), os favoritos da infância, da adolescência e, por que não, os personagens que a gente fingia ser! Todo mundo fingia, por um momento, ser algum personagem de cinema!

Na continuação, você encontrará a lista de todos os filmes ganhadores do Oscar, desde 1929 até 2015, com espaço pra você acrescentar mais quatro anos. É filme pra caramba! Porém, tenho que admitir que vi pouquíssimos dos que fazem parte da lista. Dois deles são O Silêncio dos Inocentes e Titanic (ok, quem nunca viu?) de 1992 e 1998, respectivamente. Viu, já tenho alguns pra riscar da lista! [smile]

E não para por aí! Se você curte aqueles filmes não tão falados, mas que são ótimas produções, pode conferir a lista dos ganhadores do francês Palma de Ouro ou mesmo dos brasileiros Grande Prêmio do Cinema Brasileiro e do Festival de Gramado!

Mostrar mais

Gabi Orlandin
Post escrito por: Gabi Orlandin

Oi, quem é você?

Publicado em 30.06.16

Oi, tudo bem?

Hoje estou escrevendo pra pedir a sua ajuda: montei uma nova pesquisa para conhecer melhor quem é o leitor do Fluffy, e adoraria se você respondesse! É um formulário de quatro etapas bem fáceis, só de assinalar, e não vai demorar mais do que alguns minutinhos. O objetivo é entender um pouco melhor o que pensa o leitor do blog, do que mais gosta e como é a rotina online. Você poderia me ajudar? [heart]

Lembrando que não tem nenhum campo para inserir seu nome, e-mail ou qualquer dado pessoal, ou seja, é uma coleta de dados anônima, ninguém vai ter acesso às suas respostas ou mesmo saber que foi você que respondeu. Só vai ajudar a deixar o blog um pouco mais a sua cara e a de todos os leitores! [happy]

Para responder, é só assinalar as respostas no formulário abaixo e clicar sempre em Continuar. Na última página, irá aparecer o botão Enviar. E é isso, sua resposta será adicionada!

Se, por algum motivo, o formulário não abrir, você pode clicar nesse link para abrir em uma nova página.


Muito obrigada pela sua ajuda!

Assuntos:
Gabi Orlandin
Post escrito por: Gabi Orlandin

Como usar seu celular no exterior com a Travel Mobile

Publicado em 29.06.16

Travel Mobile

Se você acompanha o blog há alguns meses, já sabe que viajei para os Estados Unidos em abril deste ano com meu namorado. Ficamos na cidade de San Francisco ♥︎ por um mês, estudando e vivenciando tudo o que a Fog City tem a oferecer. É um sonho, né? Olhando pra trás agora, parece que tudo não passou de um sonho mesmo. Todas as sensações vividas, sentimentos, aventuras, medos (sim, dá medo também!)… tudo parece ter sido nada mais do que um sonho bom – muito bom! Mas é tão gratificante saber que aconteceu!

E sabe o que é melhor? Saber que a gente pôde, no tempo que em que estivemos lá, estar em contato com todos os familiares e amigos aqui no Brasil. Mandar fotos incríveis e bonitas (e tinha muitas paisagens excelentes!), e assim fazer com que as pessoas queridas viajassem um pouquinho com a gente. [love] E isso não foi possível somente dentro de casa, onde tínhamos internet: nós tivemos acesso em todos os lugares graças ao serviço de excelente qualidade da Travel Mobile, que você vai conhecer nesse post.

Travel Mobile

A Travel Mobile é uma empresa americana que está atuando no ramo de telecomunicações desde 2012, com o objetivo de melhorar e facilitar a comunicação de turistas estrangeiros, assim como estudantes e pessoas que viajam a negócios. A ideia é descomplicar o processo de aquisição dos CHIPs pré-pagos de telefonia móvel, que a gente sabe que podem ser serviços bem complicados e caros com as empresas de telefonia do Brasil. Pelas duas experiências que tive, posso garantir que é simples, rápido e prático ter um CHIP da Travel Mobile e sentir-se seguro ao viajar pra fora do país.

E olha só: a empresa está presente em 20 países e oferece cobertura de sinal para os Estados Unidos, Europa, Canadá, Asia e América Latina. Dentro de cada um dos destinos, é possível ver os países que são atendidos através do site. Você está pensando em viajar? O destino é um dos locais acima? Então não perde tempo e já garante essa parte fácil e descomplicada da viagem. [wink]


Como foi a nossa experiência com a Travel Mobile

Juntamente com os CHIPs (que chegaram aqui em casa super rápido, diga-se de passagem!), recebemos um manual bem simples e prático da Travel Mobile, ensinando como é feita a instalação do CHIP, tanto em iOS quanto em Android. O procedimento é super fácil e rápido, e poucas depois da aquisição do plano, eu já estava com o celular pronto e habilitado para uso de dados e voz.

Ficamos com a operadora Lyca Mobile, e em San Francisco foram poucos os momentos em que ficamos sem conexão. A maior parte do tempo ficamos em cobertura LTE, o que, segundo a empresa, equivale ao nosso 4G MAX aqui no Brasil. Nada mal, não é? [smile] Em alguns locais específicos, a conexão caía para 4G ou mesmo 3G, mas no geral o sinal foi bem abrangente e nossa, super rápido mesmo!

Além de San Francisco, nós também viajamos para outras cidades: Lake Tahoe, Yosemite e New York. De todos os lugares, somente Yosemite não tem cobertura, pois é um parque nacional e não se pode encontrar qualquer sinal de conexão lá dentro, de qualquer operadora, inclusive nas redondezas. Nas outras cidades, não tivemos nenhum grande problema. Em New York ficamos com conexão lenta no topo de alguns grandes prédios, pois as antenas de telefonia são mais baixas e não alcançam o sinal, além de algumas estações de metrô. Apesar disso, foram pouquíssimos momentos sem conexão ou com velocidade lenta. Ficamos super contentes e realizados, tanto com o atendimento da Travel Mobile, quanto com o serviço prestado.

Travel Mobile

Espero que esse post tenha sido útil para você! E não se esqueça: antes de ir viajar, procure os serviços da Travel Mobile! Garanto (pelas duas experiências!) que você não vai se arrepender. [wink]

Gabi Orlandin
Post escrito por: Gabi Orlandin
Subir!