Como foi a minha experiência de intercâmbio na EC San Francisco

Publicado em 26.05.16

Durante um mês inteiro, estive em San Francisco, na Califórnia (sim, é por isso que sumi do blog, hehe!). Além de turistar e me apaixonar cada vez mais pela cidade que eu já amava desde 2014, também aproveitei o tempo pra estudar inglês na cidade, buscando aprimorar o meu conhecimento da língua. E o que é melhor pra isso do que estar dentro de uma escola, né? Em outro post eu contei um pouco sobre como foi a minha escolha da escola, além da agência pela qual contratei o intercâmbio e a acomodação. No post de hoje, vou focar na minha experiência com a EC English, porque sei que muitos leitores do Fluffy têm interesse em fazer uma viagem pra estudar. Então continua lendo o post que vou contar tudo!

Minha experiência na EC de San Francisco

EC Intercâmbio San Francisco

A escolha da escola foi bem difícil, porque não sabíamos muito bem pelo quê esperar. Como marinheiros de primeira viagem, não sabíamos o que era melhor ou pior, então a ajuda da IE Intercâmbio foi fundamental. Eu e o Doug fomos em várias agências e também estivemos em contato online com algumas, buscando a alternativa que nos oferecesse maior credibilidade, conforto, bom atendimento e serviço. A IE Intercâmbio de Caxias do Sul se destacou em tudo isso. Eles nos ajudaram a encontrar a escola EC, que tinha uma grade curricular interessante (com turnos de aulas intercalados entre manhã e tarde), boa localização e uma estrutura física de encher os olhos (você pode ver tudo por dentro pelo Google). Então, no dia 14 de abril embarcamos para San Francisco e no dia 18 começamos as aulas.

O primeiro dia foi o introdutório: orientações sobre as aulas, teste de nivelamento, regras e dicas para aprender mais no tempo em que estiver lá e muito mais. A gente se sentiu em casa com toda a equipe. Além disso, nesse primeiro dia os novos alunos são convidados a almoçar com um Ambassador, ou seja, um aluno exemplo que orienta os estudantes e os ajuda no que precisarem. Neste primeiro dia, nós ainda temos um pouco mais de orientações na parte da tarde, dessa vez sobre a cidade, como: transporte público, dicas de onde ir (e onde não ir!) e várias dicas interessantes que só quem mora lá pode te dar. Ou seja: você se sente preparado para começar a sua estadia e as suas aulas. E, no que precisar, vai sempre ter a ajuda da equipe da EC. [happy]

EC Intercâmbio San Francisco

Mostrar mais

Gabi Orlandin
Post escrito por: Gabi Orlandin

Jojo Moyes – Depois de você

Publicado em 11.04.16
Resenha do livro Depois de você

Depois de você
Jojo Moyes
Editora Intrínseca, 2016
320 páginas
Conheça o hotsite do livro

Submarino Saraiva

Em Depois de você, sequência de Como eu era antes de você, Lou ainda não superou a perda de Will. Morando em um flat em Londres, ela trabalha como garçonete em um pub no aeroporto. Certo dia, após beber muito, Lou cai do terraço. O terrível acidente a obriga a voltar para a casa de sua família, mas também a permite conhecer Sam Fielding, um paramédico cujo trabalho é lidar com a vida e a morte, a única pessoa que parece capaz de compreendê-la.

Ao se recuperar, Lou sabe que precisa dar uma guinada na própria história e acaba entrando para um grupo de terapia de luto. Os membros compartilham sabedoria, risadas, frustrações e biscoitos horrorosos, além de a incentivarem a investir em Sam. Tudo parece estar se encaixando, quando alguém do passado de Will surge e atrapalha os planos de Lou, levando-a a um futuro totalmente diferente.

Desde o tempo em que li Como eu era antes de você, tenho a Jojo Moyes em alta conta. E não é para menos: além deste, todos os outros livros que li da autora (A garota que você deixou pra trás, Um mais um e A última carta de amor), ganharam lugares especiais dentre os favoritos da minha estante. Ou seja: todas as histórias da Jojo me encantaram de todas as maneiras. Porém, apesar de eu ansiar como quase nenhum outro o livro Depois de você, sinto que ele não foi tudo aquilo. Não tanto quanto os outros, e não tanto quanto eu esperava.

Quem leu Como eu era antes de você sabe que Louisa Clark é uma mulher bastante divertida em suas roupas engraçadas e coloridas, mas totalmente sem incentivo próprio; daquelas que precisam de alguém pra lhes dizer o que está há um palmo do nariz. Não posso negar que isso irrita um pouco, e se você se sente como eu, vai querer dar uns tabefes nela nessa continuação. Lou está sofrendo com a perda de Will, já viajou para a Europa em busca de um sentido na vida e agora está morando em um apartamento muito bagunçado de Londres e trabalhando em um pub de aeroporto que a faz usar roupas de borracha e perucas, no mínimo, esquisitas. Bem, digamos que ela não evoluiu muito desde antes de conhecer Will. Ou seja: parece que ele foi um capítulo bom na vida dela, e agora ela não consegue seguir em frente. De novo.

Tenho a impressão de que este livro é um amontoado de vários acontecimentos que regem a vida de Lou até o último capítulo. Uma queda do terraço é o primeiro deles, que desencadeia toda uma série de outros eventos. Com a queda (que todas as pessoas acharam tratar-se de suicídio), Lou precisou ir para a casa dos pais e, com isso, rever os fantasmas de sua vida com Will que insistiam em voltar com tudo. Para piorar a situação, quando Lou já estava de volta à sua vida parcialmente normal, surge em sua porta uma menina do passado de Will que vai mexer com todas as estruturas da vida de Lou.

As lembranças de Will não lhe saem da cabeça e parece que tudo fica, de repente, fora do normal. Entre o grupo de reabilitação, a garota misteriosa surgida do nada, o seu superior cada vez mais exigente, sua família tentando ajudar (nem sempre!) e um homem que aparece na vida de Lou, ela vai lutar para deixar tudo andando no ritmo, ou mais ou menos isso.

Resenha do livro Depois de você

Mostrar mais

Gabi Orlandin
Post escrito por: Gabi Orlandin

Anna Llenas – Diário das Emoções

Publicado em 07.04.16
Resenha do livro Diário das Emoções

Diário das Emoções
Anna Llenas
Editora Benvirá, 2015
256 páginas

Saraiva

O que você está sentindo agora? Esta parece uma pergunta fácil de ser respondida, mas na verdade não é. Durante toda a nossa vida nos ensinaram a pensar, a andar, decidir, mas nunca a sentir. Este diário serve exatamente para isso. Para que você aprenda a sentir suas emoções, a reconhecê-las e a expressá-las de maneira lúdica, prática, divertida e criativa. 99 atividades para você expressar suas emoções.

Alegria, tristeza, raiva, medo, calma. Não, essa não é uma resenha de Divertida Mente, mas vou mexer um pouco com os carinhas que comandam as suas emoções. [smile] Estou falando do livro Diário das Emoções, criado pela designer gráfica e ilustradora Anna Llenas, de Barcelona.

Então, este é mais um livro de exercícios? É sim, mas é mais do que isso. A maioria dos livros que conheço com essa temática têm como objetivo desestressar e aliviar a mente de quem colore ou recorta. Diário das Emoções vai um pouquinho além: ele te leva a reconhecer seus sentimentos e trabalhar com eles, como forma de aliviar a raiva, a tristeza, mandar embora o medo, extravasar a alegria ou vivenciar seus momentos de calma. E tudo isso não foi simplesmente inventado pela autora: além de ser formada em Design Gráfico e Psicologia Analítica, também é mestre em Arteterapia e Psicologia pela Arte. E é toda essa teoria que a levou a criar um livro que ajuda as pessoas a trabalhar com sus emoções, reconhecendo-as e sabendo como lidar com elas.

Resenha do livro Diário das Emoções

Resenha do livro Diário das Emoções

Resenha do livro Diário das Emoções

Mostrar mais

Gabi Orlandin
Post escrito por: Gabi Orlandin

Qual é o piso ideal para piscinas?

Publicado em 31.03.16

piso para piscinas

Olá, pessoal! A dica de hoje é para quem está planejando – ou sonha! – ter uma piscina em casa. Delícia, né? Mas vocês já pararam pra pensar que é importante escolher com cautela o tipo de piso que será usado nas laterais da piscina? Pois é, eu também nunca tinha pensado nisso, mas esse publipost vai esclarecer várias dúvidas e dar algumas dicas. Vamos lá?

Sabe aquele momento em que você vê o sonho da piscina se tornar verdade? Você reúne toda a família, faz um churrasco daqueles, convida os amigos, até o seu chefe, tudo para inaugurar a tão sonhada piscina da casa. Um lugar espaçoso, bonito e perfeito para realizar as confraternizações da família, as festas com os amigos e para passar aquele domingão quente se refrescando na água. Então, um dos convidados sai da piscina e vai pegar um lanche. Ele derrapa no piso molhado, bate a cabeça e vai parar no hospital com você de acompanhante. [ugh] Triste, não é? Pelo seu amigo e por toda a festa estragada. E sabe por que isso aconteceu? Provavelmente porque o piso da piscina não era de material antiderrapante.

Para evitar situações desagradáveis assim é importante escolher bem o tipo de piso para se usar nas laterais da piscina. Como nem sempre essa escolha é simples, separamos duas dicas valiosas na hora de tomar essa decisão. Vamos a elas!

Primeiro de tudo: atributos do piso

Algumas características devem fazer parte do piso escolhido, tais como ser atérmico e antiderrapante. O primeiro item se deve pelo fato dessa região ficar constantemente exposta ao sol, podendo esquentar e gerar desconforto ao seu caminhar sobre ela. O motivo da segunda opção foi exemplificado na situação mencionada acima: evitar tombos. [dead] E esses tombos podem ocorrer na saída da piscina, momento em que estamos mais molhados, ou mesmo ao se caminhar no entorno e se escorregar em alguma poça acumulada. É interessante avaliar o grau de permeabilidade do piso também, pois quanto maior, menos água fica acumulada na superfície. Desse modo, diminui-se os riscos de queda e a água ainda segue seu rumo natural junto à terra abaixo do piso.

Tipos de pisos

O material utilizado para se fazer o piso das piscinas varia, porém os mais comuns são:

piso para piscinas

  • Piso de cerâmica: um dos mais usados, pois pode ser facilmente adquirido em lojas de materiais de construção e tem o preço mais em conta. Na hora de escolher, verifique a durabilidade e resistência, pois com o tempo a cerâmica pode rachar, soltar pedaços ou deixá-los salientes. Também é indicado avaliar quanto à facilidade de limpeza, já que alguns modelos encardem ou mancham mais facilmente;
  • Porcelanato: esse material é menos poroso do que a cerâmica, o que não é tão bom, pois o torna mais impermeável. Contudo, isso pode ser contornado com um bom sistema de escoamento da água acumulada. Ele também é mais resistente e possui maior durabilidade do que a cerâmica;
  • Pedras: existem vários tipos de pedras que podem ser usadas para compor a borda da piscina, e cada tipo tem características próprias. Contudo, alguns itens que podem ser levados em conta são a durabilidade, resistência física, resistência a manchas, porosidade e facilidade de limpeza. Mas cuidado com as pedras lisas, pois não são recomendadas, tá?
  • Pisos especiais: existem tipos de materiais que são resultados de combinações de diferentes tipos de pedras, cimento e outros compostos químicos. Um exemplo é o piso Fulget, encontrado nos modelos tradicional e natural. A vantagem é que sua textura é mais áspera, o que o torna antiderrapante, e ele ainda possui boa durabilidade. Se encaixa bem em uma decoração mais moderna baseada em cores neutras. Deve ser tratado e limpado com frequência e corretamente, pois tem tendência a se sujar mais facilmente devido ao fato dele ser mais áspero.

    Além disso, ainda há possibilidade de se usar decks de madeira em combinação mista com o piso. Fica lindo, né? Me diz: gostou das dicas? [wink]

    Este post é um publieditorial.

  • Assuntos: ,
    Gabi Orlandin
    Post escrito por: Gabi Orlandin

    Eu vou fazer intercâmbio em San Francisco

    Publicado em 29.03.16

    Se alguém aqui acompanhou os posts da minha viagem aos Estados Unidos em 2014, sabe que cheguei ao Brasil totalmente apaixonada por San Francisco. Na verdade, é mais ou menos como diz aquela música: eu deixei meu coração em San Francisco. E agora chegou o momento de ir buscar! [heart]

    san francisco diário de viagem

    Quando estávamos planejando a viagem de 2014, eu imaginei que San Francisco seria mais uma cidade passageira, e que Los Angeles, Las Vegas, Santa Mônica e várias outras seriam infinitamente mais interessantes. Afinal de contas, San Francisco tem o que? Uma ponte laranja? Ai gente, como me enganei! San Francisco tem aquele jeitinho todo peculiar, todo especial que nos conquistou profundamente. Sabe quando chegamos em algum lugar e pensamos: “um pedaço de mim pertence a este lugar”? É como se uma parte de mim pertencesse à cidade da neblina, como é conhecida, e eu não pudesse passar mais muito tempo sem matar a saudade. A Golden, os Cable Cars, as ladeiras íngremes, o clima de tecnologia misturado com o cenário histórico. É tudo tão mágico, tão único e peculiar que a gente simplesmente precisava voltar.

    Então, na metade de abril, eu e o Doug estaremos partindo para passar um mês em San Francisco. Serão 30 dias de estudo de inglês, passeios, conhecimento e muito crescimento pessoal! Vamos estar por conta e vamos ter que nos virar pra fazer tudo o que precisarmos fazer. Será um grande aprendizado, principalmente neste momento tão movimentado em nossas vidas e decisões. E antes que vocês perguntem: NÃO, AINDA NÃO CAIU A FICHA! Estamos com os nervos à flor da pele, mas ainda não caiu a ficha de que faltam apenas duas semanas para este sonho começar! Estamos planejando essa viagem há exatamente um ano e sempre parecia tão, tão distante de acontecer. E, de repente: ESTÁ AQUI! Não consigo acreditar nem escrevendo isso pra vocês. Acho que só vamos nos dar conta de que realmente está acontecendo quando pisarmos no avião e aterrizarmos em San Francisco.

    E é claro que a ideia é postar várias coisas interessantes de lá pra vocês!

    A escola, a hospedagem e um pouco mais

    Nós não vamos somente para passear, queremos aprofundar o nosso inglês também. Já temos uma boa fluência, mas nada melhor do que estudar com os nativos do idioma e colocar em prática todos os conhecimentos, né? Por isso, desde o começo tínhamos em mente: vamos fazer intercâmbio! Nós pesquisamos inúmeras agências de intercâmbio e várias ofereceram propostas muito boas. Eram muitas escolhas. Todas as opções e variáveis tinham prós e contras, mas acabamos ficando com a agência IE Intercâmbio de Caxias do Sul, a escola EC e alugamos por conta no AirBnb.

    A escolha da agência: nós fomos bem atendidos em todas as agências que pesquisamos, mas foi a IE Intercâmbio que nos ofereceu o plano que estávamos buscando. Entre várias opções de escolas e turnos, encontramos uma que atendeu às nossas necessidades. Vimos que outras escolas também teriam a mesma oferta, mas não nos mostraram. Além disso, o que nos fez escolher a IE foi o atendimento super personalizado, especial e atencioso feito pelo pessoal de Caxias, em especial o Marcos que nos atendeu tão bem e nos ofereceu um cafézinho pra lá de especial! [smile]

    A escolha da escola: a EC tem várias sedes ao redor do mundo, e a de San Francisco fica numa área central muito boa. A estrutura é bem moderna (dá pra ver o interior pelo Google!), gostamos da grade curricular e o melhor: os turnos variados. Ou seja: um dia estudamos de manhã, outro de tarde. Assim ficamos com períodos mais longos pra aproveitar a cidade. Espero que isso não mude quando chegarmos lá (sabe quando a oferta é tão boa que até o santo desconfia?) [smile] .

    A escolha da hospedagem: seria BEM legal ficar em uma residência familiar e interagir com pessoas de San Francisco. Porém, como somos um casal e, digamos, não mais adolescentes, optamos por alugar algo por conta, pra ficarmos mais à vontade. Estávamos em busca de uma residência estudantil com quarto duplo, sem cozinha nem banheiro pra ficar mais em conta, mas percebemos uma coisa: a hospedagem de um apartamento completo saía mais barato do que um quarto de albergue para duas pessoas. Por isso fechamos um apartamento pequeno e simpático (assim espero, né?) pelo AirBnb. Para quem não conhece, nesse site você pode alugar diretamente com o proprietário.

    E pra finalizar esse post, dá play aqui no Spotify. Se o player não funcionar, veja pelo YouTube. E me desculpe, mas você vai passar dias cantando essa música! [smile]

    If you are going to San Francisco
    Be sure to wear some flowers in your hair
    If you are going to San Francisco
    You are gonna meet some gentle people there
    For those who come to San Francisco
    Summertime will be a love-in there
    In the streets of San Francisco
    Gentle people with flowers in their hair
    All across the nation such a strange vibration
    People in motion
    There is a whole generation with a new explanation
    People in motion people in motion
    For those who come to San Francisco
    Be sure to wear some flowers in your hair
    If you come to San Francisco
    Summertime will be a love-in there
    If you come to San Francisco
    Summertime will be a love-in there
    Se você for a São Francisco
    Certifique-se de colocar algumas flores em seu cabelo
    Se você for a São Francisco
    Você vai conhecer pessoas gentis lá
    Para aqueles que vão a São Francisco
    O verão será um amor lá
    Nas ruas de São Francisco
    Pessoas gentis com flores em seus cabelos
    Por toda a nação uma estranha vibração
    Pessoas em movimento
    Há toda uma geração com um novo esclarecimento
    Pessoas em movimento, pessoas em movimento
    Para aqueles que vem a São Francisco
    Certifique-se de colocar algumas flores em seu cabelo
    Se você vier a São Francisco
    O verão será um amor lá.
    Se você vier a São Francisco
    O verão será um amor lá.
    Gabi Orlandin
    Post escrito por: Gabi Orlandin
    Subir!