Mark B. Mills – Esperando por Doggo

Publicado em 29.01.17
esperando por doggo

Esperando por Doggo
Um homem. Um cachorro. Um grande amor.
Mark B. Mills
Editora Novo Conceito, 2015

Dan achava que tinha uma vida feliz com Clara, mas, de uma hora para outra, ela desaparece inesperadamente de sua vida, deixando para trás apenas uma carta de despedida e um cachorro. A pequena criatura é incomum e sequer tem um nome definitivo, ele é simplesmente chamado de Doggo. Agora, Dan tem a missão de devolver Doggo, e, ao mesmo tempo, encontrar um novo emprego. A primeira missão parece ser fácil, a segunda, nem tanto. Com o passar dos dias, Dan começa a desfrutar da companhia de Doggo e não tem coragem de abandoná-lo. De forma singela, mas significativa, a presença do pequeno cão ajuda àqueles que estão ao seu redor. Doggo acaba tornando-se muito mais que um amigo de quatro patas, transforma-se em uma verdadeira fonte de inspiração para o trabalho e para a vida de Dan.

As primeiras 30 páginas de Esperando por Doggo me cativaram. Eu adoro livros com cachorros, então imaginei que este seria mais um xodózinho na minha coleção. Porém, logo depois dos primeiros capítulos, a história começou a tomar um rumo um pouco diferente. E, de certa forma, acabei me decepcionando um pouquinho. x(

A história começa com uma carta de despedida de Clara, endereçada ao seu namorado Daniel. Ela foi embora, ninguém sabe para onde, e só deixou um cachorro para Dan. Um cachorro bem feio, coitado, que na verdade ele nem queria. Foi ideia de Clara ter um cachorro. Então, na manhã seguinte, quando Dan o leva de volta ao canil, ele não consegue deixá-lo lá. E assim é o início de uma amizade – uma amizade que Doggo parece não aprovar e Dan apenas tenta fazer acontecer. Mas mesmo assim, é um começo.

Dan trabalha no ramo da publicidade, e em meio a todo esse caos em sua vida pessoal, ele também inicia em um novo emprego em uma pequena agência. Então, a partir disso começamos a ter conhecimento sobre seus colegas de trabalho, os cases em que ele precisa trabalhar e, principalmente, a sua colega de criação, Edie. Mas não é só isso: o leitor acompanha uma série de intrigas envolvendo o meio corporativo, como tramas envolvendo ciúmes e inveja, traições, intrigas e muito mais. Enquanto tudo isso acontece, Doggo acaba ficando um tanto em segundo plano, até os últimos capítulos do livro, quando ele volta à cena.

É verdade que Dan sempre envolve Doggo em tudo o que faz, e até o leva para o trabalho todos os dias, onde ele se torna o mascote de todo o pessoal da agência. Porém, o que me incomodou foram tantas coisas extras que aconteceram e que tiraram o foco do cachorro. Além disso, muitas vezes eu me perguntei o que o título tinha a ver com a história toda; no final esse mistério é solucionado, mas achei tudo uma coisa pequena demais, sem sentido demais para ter a honra de ser título.

A escrita do autor é também um pouco estranha – só porque não achei palavra melhor pra descreve-la. Muitas vezes, ele vai e vêm em pensamentos do personagem principal, e eu me perdia, sem saber o que estava acontecendo ali. Não posso dizer que ele escreva mal, mas não posso dizer que o estilo me agradou.

O livro tem uma premissa boa, a história não é ruim, mas achei que ficou mal feita. O foco poderia ter sido mais o Doggo, pois a história dele, e somente dele, poderia ganhar muito mais o meu coração, se fosse melhor desenvolvida. Então, tenho uma dica para quem tem interesse em ler: não se deixe levar pelo título, como eu fiz. Não imagine que seja uma busca por Doggo ou que estejam esperando algo dele, de fato. Leia sem pretensões, esperando apenas a história de um cara que está tentando se achar na vida.

Aviso aos que adoram cachorros mas não suportam ler livros em que eles sofrem (como eu): leiam sem medo. Nada de mal acontece ao Doggo, não precisam se preocupar. :)

Post anterior
Próximo post
 

Deixe o seu comentário!

|D xO xD x( D: ;P ;) :| :O :D :* :) 8) *-*

6 comentários

AMANDA ALMEIDA

31/01/2017

Oi Gabi, tudo bem?
Será que o problema do título não foi no ato da tradução?
enfim, amo livros com animais, em especial cães, e anotei a dica, mesmo o contexto fugindo um pouco e transformando o cachorro em coadjuvante.
Abraços,
Amanda Almeid

● Responder

Gabi Orlandin

Gabi Orlandin

February 12th, 2017

Oi, Amanda! Tudo bem, sim.
Acredito que não tenha sido a tradução não, pois é uma tradução de “Waiting for Doggo”. Sei lá, não sei se fui a única a achar isso do nome do livro…
É um bom livro apesar de tudo, sim. O meu maior problema foi esperar uma coisa e encontrar outra.
Abraços.

● Responder

Estefânia Prates

07/02/2017

Oiie Gabi, você acredita que livros/filmes com animais não me chamam a atenção? Nunca gostei e nem tive vontade de ler kk Será que tenho algum problema? rsrs OU é porque nunca peguei um pra chamar a atenção? Não sei rs
Bjs

● Responder

Gabi Orlandin

Gabi Orlandin

February 12th, 2017

Haha, não tem problema não, Estefânia! xD Talvez seja isso mesmo, nenhum te chamou a atenção até agora, e não tem problema nenhum nisso. Mas dê uma chance algum dia, normalmente são livros emocionantes.
Beijo.

● Responder

Carla Vieira

13/02/2017

Recebi esse livro de cortesia da Novo Conceito e também não curti muito a leitura haha
Achei que o foco seria Doggo, o que me decepcionou um pouco também!
Beijos

● Responder

Gabi Orlandin

Gabi Orlandin

February 20th, 2017

Que bom saber que não tive essa impressão sozinha! Hahah
Beijos.

● Responder

Subir!