Rainbow Rowell – Eleanor & Park

resenha do livro Eleanor & Park

Eleanor & Park
Rainbow Rowell
Editora Novo Século, 2014
328 páginas

Saraiva

Eleanor & Park é engraçado, triste, sarcástico, sincero e, acima de tudo, geek. Os personagens que dão título ao livro são dois jovens vizinhos de dezesseis anos. Park, descendente de coreanos e apaixonado por música e quadrinhos, não chega exatamente a ser popular, mas consegue não ser incomodado pelos colegas de escola. Eleanor, ruiva, sempre vestida com roupas estranhas e “grande” (ela pensa em si própria como gorda), é a filha mais velha de uma problemática família. Os dois se encontram no ônibus escolar todos os dias. Apesar de uma certa relutância no início, começam a conversar, enquanto dividem os quadrinhos de X-Men e Watchmen. E nem a tiração de sarro dos amigos e a desaprovação da família impede que Eleanor e Park se apaixonem, ao som de The Cure e Smiths. Esta é uma história sobre o primeiro amor, sobre como ele é invariavelmente intenso e quase sempre fadado a quebrar corações. Um amor que faz você se sentir desesperado e esperançoso ao mesmo tempo.

Em meados dos anos 80, Park estava sentado dentro do ônibus escolar, lendo gibis e tentando se tornar invisível. A galera do fundão sempre fazia bagunça, em especial Steve, que incomodava todas as crianças que não eram de sua turma, mas Park tentava permanecer na sua. Dessa forma, ninguém o incomodava. Para Eleanor, era o temido primeiro dia em uma escola nova, em uma cidade onde não conhecia ninguém. Para Park, a menina pareceu grande, esquisita, desengonçada, até. Ele tinha um espaço livre no banco ao lado, mas não queria abrir mão de sua liberdade para dar espaço a… ela. Depois de vários minutos de indecisão, Park resolveu mandá-la sentar ao seu lado, pois ela estava visivelmente perdida. As coisas não começaram bem, até porque Eleanor, definitivamente, não fazia o tipo de Park. Ele, magro de cabelos pretos e olhos puxadinhos de coreano. Ela, grande de cabelos ruivos desarrumados e roupas esquisitas.

resenha do livro Eleanor & Park

O destino é uma coisa engraçada, definitivamente. É justamente onde a gente pensa que não pode surgir um amor que ele surge. Eleanor e Park não tinham muito em comum, mas ao mesmo tempo tinham muita coisa. Park emprestou gibis e CDs para Eleanor – além das pilhas. Eleanor tinha o CD player, mas não tinha pilhas. Eleanor não tinha muito a emprestar a Park, mas deu o seu coração, embora nunca tenha admitido em voz alta.

Com um enredo que mistura um amor puro, juvenil e sem maldades, Rainbow Rowell acrescenta o drama da vida de Eleanor, e seu único problema: o seu padrasto. Richie bate na mãe da menina, chama Eleanor de nomes que não deveria chamar e grita com os quatro irmãos menores. Além disso, a casa onde vivem é tão pequena e apertada que as crianças precisam dormir todas juntas, e o banheiro fica no meio da cozinha, praticamente. Eleanor tem vergonha dessa situação, e não quer compartilhar isso com ninguém. Também não queria se envolver com alguém por causa disso, mas a proximidade dela com Park foi algo muito forte, inevitável e de uma hora para outra.

“Assim que ele disse isso, ela abriu um sorriso. E, quando Eleanor sorriu, alguma coisa se partiu dentro dele. Isso sempre acontecia.”

“Não sou mais minha, sou sua; e se você resolver que não quer mais me ver? Como pode me querer como eu quero você?”

A forma como Rainbow leva esse romance é o que faz toda a diferença. Ao invés de explicar ao leitor exatamente o que acontece nas mentes e sentimentos dos personagens, a autora descreve pequenos atos, olhares e gestos que falam por si e transmitem a mensagem que muitos parágrafos não expressariam, deixando claro ao leitor o que eles sentem um pelo outro. Mãos que se encostam pela primeira vez, o cheiro de baunilha de Eleanor, a franja de Park que insiste em lhe cair nos olhos. São os pequenos detalhes que deixam essa história ainda mais bonita.

“Quando tocou a mão de Eleanor, ele a reconheceu. Ele soube.”

É um livro lindo, com uma história de amor fofa e um pouquinho nerd. Gostei dos dois personagens, apesar de não ter conseguido visualizá-los muito bem e a Eleanor me irritar um pouco às vezes, e fiquei triste junto com a menina quando ela sofria com maldades na escola. É uma leitura leve, que aborda questões como o bullying de forma inocente e com efeito. Eu só não gostei do final – e tenho certeza de que todos que leram têm a mesma opinião. Ai, que agonia! Odeio finais que ficam em aberto, sem um fim, e por isso tirei uma estrela da classificação (não me joguem pedras, por favor!). Mesmo assim, me arrisco a recomendar, pois a história vale a pena. Só não me culpem quando vocês terminarem a leitura e sentirem que lhes falta um pedacinho no peito.

“Sinto sua falta, Eleanor. Quero ficar com você o tempo todo. Você é a garota mais inteligente que já conheci, a mais engraçada, e tudo que você faz me surpreende. E gostaria de poder dizer que esses são os motivos pelos quais gosto de você, porque isso me faria parecer um ser humano muito evoluído… Mas acho que tem mais a ver com seu cabelo ruivo e suas mãos macias… E com o fato de você ter cheirinho de bolo de aniversário.”

Essa foi uma das resenhas mais difíceis de escrever, então provavelmente eu não consegui expressar tudo o que penso sobre o livro. Quem aí já leu, concorda com a minha opinião?

POSTS RELACIONADOS

24 comentários

  1. Responder

    Beatriz Cavalcante

    21/12/2014

    Essa era uma das resenhas que eu mais queria ver no Fluffy. Tanto é que procurei aqui antes de ler para ver sua opinião sobre ele e porque muita gente segue suas dicas e eu acho que todo mundo deveria ler esse livro maravilhoso. (menos, bia) haha 😛

    Foi tão incrível e tão especial para mim que eu nem sei dizer. Eu queria muito ele e ganhei de uma pessoa que era super especial sabe? E ai quando eu li foi puro amor. <3

    É uma história toda fofinha mas cheia de realidade que fez o coração doer no final. Sobre o final aberto: também odeio. Mas superei. HAHAHA

    Realmente, é muito difícil falar de eleanor & park e quando eu fiz a resenha também achei que não tinha falado tudo que eu gostaria. Agora que você leu Eleanor & Park leia Fangirl pq é tão bom quanto! 😀

    Beijos!

    • Responder

      Gabi Orlandin

      25/12/2014

      Bia, tão fofo da sua parte vir aqui ver se tinha recomendação minha! [heart] [heart] [heart]
      Eu não sei, fiquei confusa com esse livro, sabe? Claro que adorei muito, mas aquele final… [question] estou superando, assim como você.
      Agora estou correndo atrás pra ver se compro Fangirl também! Amei a escrita da autora e quero ler tudinho dela!
      Beijos.

  2. Responder

    Isa

    21/12/2014

    Eu ainda não li mas estou dividida porque sempre que leio resenhas, elas são negativas.. Não que a sua tenha sido mas mesmo sem ter lido acho que entendo porque deve ter sido difícil escrever e se expressar. Acho que por ler isso várias vezes de pessoas que leram esse livro, eu tenho evitado. Mas eu tenho que ler porque depois de Fangirl virei fã da escrita da Rainbow Rowell!!

    • Responder

      Gabi Orlandin

      23/12/2014

      Sério? Você leu resenhas negativas? [omg]
      Na verdade, tem muitas opiniões. Algumas pessoas me disseram que sofreram mesmo com o final, mas eu já estou meio que superando, sabe? Acho que foi até bom pra deixar aquele suspense no ar. E, se o livro não fosse tão bom, a escrita da autora já seria suficiente pra me fazer ler. Ao contrário e você, agora eu quero ler Fangirl haha! ❤︎

  3. Responder

    Cecília Maria

    22/12/2014

    Esse livro é incrível, apaixonante! E ele é aparentemente tão simples, tão puro e, ao mesmo tempo, profundo. Realmente uma leitura leve, com detalhes que fazem toda a diferença.
    Quanto ao final, eu até hoje fico na dúvida se gostei ou não. Essa história de deixar em aberto mexe com a nossa imaginação, com nossos sentimentos e às vezes acaba sendo bom, porque fazer isso de forma bem feita, sem parecer jogado é muito difícil, sabe? Mas também é angustiante!! A gente fica querendo saber se o que pensamos realmente aconteceu.
    Ganhei esse livro de presente de uma leitora muito querida do blog, o que só o tornou ainda mais especial. Amei cada trecho, assim como amei sua resenha.
    Beijo 🙂

    • Responder

      Gabi Orlandin

      23/12/2014

      Percebi que você sentiu mais ou menos a mesma coisa que eu. É uma coisa bem confusa, a gente não sabe de gosta ou não (do final), e a história toda é tão simples que chega a ser incrivelmente profunda. Incrível, né?
      Ai, que querida essa sua leitora! ❤︎ Imagino que deva ser ainda mais especial por causa do presente.
      Beijos!

  4. Responder

    Bárbara Carollo

    22/12/2014

    Oi Gabi,
    Já li várias resenhas sobre esse livro e percebo que as opiniões são divididas. De qualquer forma, ele está na minha meta para 2015!
    Adorei saber sua opinião, mas fiquei com um pouquinho de receio do final. Também não gosto de finais em aberto :/
    Espero que eu goste da leitura!!
    Beijos

    • Responder

      Gabi Orlandin

      25/12/2014

      Bárbara, as opiniões são bem divididas mesmo. Depois me conta o que achou, tá? 😉
      Beijos!

  5. Responder

    Carla Nascimento

    22/12/2014

    Tava esperando tua resenha, hahahahaha. Amei o que tu disse de que foram os gestos que mais contaram, acho que é isso mesmo. Aquelas coisinhas que a gente só percebe quando gosta de alguém, quem já amou entende. Eu gostei no final, porque foi tão trágico, desde o começo, que se terminasse com um ‘feliz para sempre’ ou uma morte, ou um ponto final definitivo, daria a impressão de que a história foi desperdiçada. O que eu falei na minha resenha (fui até olhar, que faz tempo que eu escrevi e nem tinha certeza, hahahaha) foi que terminou com esperança e cheio de possibilidades para os dois. [heart]

    – Mi gusta comer su cara, besos [confused]

    minha resenha: http://faltouacucar.com/2014/10/resenha-eleanorpark.html

    • Responder

      Gabi Orlandin

      22/12/2014

      Faz muito sentido, Carla! Não consigo imaginar um final melhor do que o original, apesar de eu detestá-lo. É ele que, junto com “todas as coisinhas”, fazem esse livro ser incrível.
      E sobre a citação: ela estava no meu rascunho, mas não sabia onde inserir na resenha e acabei tirando, HAHA.
      Vou lá ver a sua resenha.
      Besos. HAHA!

  6. Responder

    Aléxia Oliveira

    22/12/2014

    Ainda não li nada dessa escritora, mas estou louca para comprar os livros dela (principalmente agora, que está lançando um atrás do outro, rs). Sabe quando você escuta tanto as pessoas falarem bem de um livro, que incrivelmente você fica receosa em ler? Eu sofro um pouco com a síndrome da modinha, a mesma coisa aconteceu antes de ler ACEDE, e eu li e amei! Aposto que o mesmo vai acontecer com esse! Adorei demais a sua resenha, ficou ótima! E na hora que vi seu blog e a capa do livro, percebi que eles combinavam, haha. As cores e, pelo que você disse, o jeito fofo é idêntico ao teu blog ♥ Primeira vez que acho um blog parecido com um livro, rs.

    • Responder

      Gabi Orlandin

      25/12/2014

      Aléxia, também tenho um pouco de receio de modinhas, mas assim como eu amei ACEDE, também adorei Eleanor & Park. Normalmente eu deixo toda essa euforia baixar pra ler, mas dessa vez não consegui me segurar, de tanto ouvir o pessoal falando sobre ele. E a escrita da autora é incrível. Espero que, quando você ler, também goste muito.
      É mesmo! HAHA, meu blog é parecido com o livro, não tinha percebido. Que fofo! [love]
      Obrigada pela visita.
      Beijos.

  7. Responder

    Jessica M

    22/12/2014

    Não consegui fazer a resenha desse livro, é muito difícil. Me pareceu que ele simplesmente parou… na METADE! haha’
    Não gosto de livros sem finais, mas esse se superou [mad]
    Mas foi bem como você descreveu, não dá pra visualizá-los muito bem, mas a história transmite bem os sentimentos, o que é muito fofo.
    Gostei muito da sua resenha!
    Beijos!

    • Responder

      Gabi Orlandin

      22/12/2014

      Jess, foi extremamente difícil resenhar essa história, e eu demorei dias pra conseguir. Então, entendo porquê você não o fez. Eu ainda estou superando o final, haha!
      E é bom saber que não fui a única que não conseguiu visualizar os personagens. Ufa!
      Beijos.

  8. Responder

    Renata Carvalho

    22/12/2014

    Ouvi muita gente recomendar esse livro, embora eu não tenha lido ainda nenhuma resenha antes da sua.
    Parece ser uma história simples, mas cheia de significados onde percebemos o que está realmente acontecendo nos pequenos gestos. Eu também gosto de histórias simples assim, às vezes não precisa que uma história tenha grandes narrações para ser boa.
    É chato quando a história vem sendo boa, mas o final não corresponde as expectativas. Ainda assim acho que vou ler, deve ser algo bem fofo para pelo menos conhecer.

    Beijos,
    Livro de Memórias

    • Responder

      Gabi Orlandin

      23/12/2014

      É exatamente isso, Rê! Uma história simples (e ao mesmo tempo profunda) que faz a diferença nos detalhes. Se quiser, recomendo mesmo que leia, pois é um livro muito fofo! Dizem que o outro livro da autora, Fangirl, também é muito bom, mas ainda não li. [ugh]
      Beijos.

  9. Responder

    Francyane Freitas

    22/12/2014

    Eu sempre gostei de livros assim, mas fico meio apreensiva com o final em aberto. Eu só concordo com esses finais quando já lançou o segundo livro (caso tenha) porque aí eu já corro, compro e leio! rs

    Adoro seu blog!
    Beijo

    http://correioeletronico.wordpress.com/

    • Responder

      Gabi Orlandin

      25/12/2014

      Eu faço isso quando sei que é uma série, Fran! Eu espero pra comprar todos (ou ler todos, quando é parceria) quando todos os livros já estiverem lançados. Faço isso mais por medo de esquecer partes importantes da história. Na velocidade com que algumas séries são lançadas, isso certamente acontece. Mas acho que Eleanor & Park não vai ter um segundo livro, não. O final ficou assim mesmo… Mas com o tempo a gente se conforma 😀
      Obrigada pela visita! <3
      Beijos.

  10. Responder

    Amanda

    22/12/2014

    Gabi! Ai, ai, parece que esse livro é polêmico mesmo… Por que segundos depois que eu finalizei a compra dele, li uma resenha negativa sobre a história e me perguntei se tinha feito besteira. Mas a verdade é que eu AMEI Eleanor e Park de todo o coração. Eu sinto a Eleanor viva e o Park também (embora ela tenha sido mais forte que ele, emocionalmente para mim). Eu não sei se pode, mas eu queria deixar a resenha que também fiz do livro para você ver. [smile]

    http://superamorinha.blogspot.com.br/2014/08/eleanor-e-park-por-rainbow-rowell.html

    Agora eu acho que gosto de sofrer [cry] Gostei do final :/ Achei que a Rainbow encontrou a única forma de se despedir dos personagens “menos dolorosamente o possível” hahahah

    Beijo!

    • Responder

      Gabi Orlandin

      25/12/2014

      Amanda, também fiquei pensando sobre o final depois de escrever a resenha, e acho que qualquer outro final seria clichê demais ou triste demais, sabe? Acho mesmo que a autora fez um final perfeito, apesar de sofrido [cry]
      Claro que pode deixar a sua resenha aqui, vou lá ver agora!
      Beijos.

  11. Responder

    Stephanie

    22/12/2014

    Eu simplesmente amo tudo o que a Rainbow Rowell escreve. Confesso que esse livro não é um pouco trágico e triste demais para o meu gosto, mas as personagens me cativaram. Ou, simplesmente, como você falou, o jeito leve que a autora aborda temas sérios como o bullying.
    Adorei a resenha! [love]
    Beijos!

    • Responder

      Gabi Orlandin

      25/12/2014

      Eu não conhecia a escrita da Rainbow e, definitivamente, entre para o time dos apaixonados por ela. O jeito que ela escreve é tão… impossível de parar!
      Beijos.

  12. Responder

    Bruna Lombardi

    23/12/2014

    Esse livro [love] Estou louca para ler Gabi ! Sua resenha me deixou muito curiosa para ler,apesar de você achar que o final não agradou,acho que pela historia e pela curiosidade eu vou ler [heart]
    Amei a resenha e a escolha dos quotes.
    Beijos

    • Responder

      Gabi Orlandin

      25/12/2014

      Bruna, esse livro tem tantos quotes lindos que eu tive que me segurar pra não reescrever o livro todo aqui [dead]
      Quando você ler, quero saber o que achou, tá? 🙂
      Beijo!

ESCREVA UM COMENTÁRIO