Maria Fernanda Guerreiro – A filha da minha mãe e eu

resenha do livro A filha da minha mãe e eu

A filha da minha mãe e eu
Maria Fernanda Guerreiro
Editora Novo Conceito, 2012
272 páginas

Sensível e tão real a ponto de fazer você se sentir parte da família, A filha da minha mãe e eu conta a história do difícil relacionamento entre Helena e sua filha, Mariana. A história começa quando Mariana descobre que está grávida e se dá conta de que, antes de se tornar mãe, é preciso rever seu papel como filha, tentar compreender o de Helena e, principalmente, perdoar a ambas. Inicia-se, então, uma revisão do passado – processo doloroso, mas imensamente revelador, pautado por situações comoventes, personagens complexos e pequenas verdades que contêm a história de cada um.

Acredito que não deva ser uma tarefa das mais fáceis escrever um livro sobre famílias – e todos os problemas que envolvem esse assunto. Porém, Maria Fernanda Guerreiro conseguiu faze-lo com maestria, deixando o leitor grudado do primeiro ao último capítulo.

Logo nas primeiras páginas, já me senti cativada pela personagem Mariana, que é quem nos conta a sua história. Pela narração ser em primeira pessoa, podemos sentir as angústias, sentir raiva e nos emocionarmos com todos os acontecimentos da sua infância até a vida adulta.

Achei o livro interessantíssimo por abordar um período muito grande de tempo em poucas páginas, ao mesmo tempo em que abordou diversos problemas que podem ocorrer dentro de uma família. Em algumas partes, sofremos junto com os personagens, enquanto em outras vibramos para que tudo dê certo.

Só tenho uma consideração neutra a fazer, que foi em relação ao que o livro prometia versus o que ele cumpriu. De acordo com o título do livro, iríamos conhecer a menina que, antes de ser mãe, precisava rever seu papel de filha. Apesar dessas partes em que a relação mãe e filha ficavam evidentes, houve outros capítulos onde foram abordados outros assuntos, que não tinham relação com isso. É claro que entendo que faz parte de se conviver com uma família, e por um lado achei bom, já que mostrou como conviver com esses problemas. O único obstáculo que encontrei na leitura foi achar que essas partes que não eram entre mãe e filha ficaram desconexas, fora do assunto do livro. Não é que elas não precisavam estar ali, porque pareceu que isso ajudou na relação delas, mas poderia ser visto mais pelo lado de mãe e filha nessas horas.

Enfim, não é um livro surpreendente, mas a autora soube levar a história de forma a deixar o leitor satisfeito. É rápido de ler (li em menos de dois dias), flui muito bem e é literatura nacional. Tenho de admitir, aqui no final dessa resenha: não leio muito literatura nacional porque simplesmente me acostumei com a estrangeira, mas essa autora escreve muito, muito bem. Impossível você não se sentir tocado pela história de Mariana e sua família. Super recomendado para todos que tiverem interesse em uma história realmente boa e agradável de ler, sem se importar em ler sobre problemas familiares.

POSTS RELACIONADOS

33 comentários

  1. Responder

    Driely Meira

    04/08/2012

    Oiii
    Adorei a sua resenha Gabi..
    É uma pena você não ir no dia 11…Acho que é nesse dia que eu vou..:P
    Quero muito ler A filha da minha mãe eu, já tinha lido algumas resenhas e gostei muito do livro…
    Bjs
    http://shakedepalavras.blogspot.com.br

  2. Responder

    Lilian Britto (@morenalilica)

    04/08/2012

    Oi Gabi ^^
    Eu li “A Filha da Minha Mãe e Eu” já há algum tempo e adorei. Não sei se pelo fato de eu ser mãe de uma menina mais ou menos da idade da Mariana fez com que eu me identificasse demais com a estória, eu curti cada página e assim como vc, o li rapidamente.
    Gosto de estórias assim, com um toque de realidade 😉
    Parabens pela resenha, super bem escrita.
    Beijos, tenha um ótimo final de semana =*

  3. Responder

    Jéss

    04/08/2012

    Ainda não tinha ouvido falar do livro, mas confesso que depois de ler a sinopse e a sua resenha, fiquei interessada. O assunto (relacionamentos familiares) é algo do nosso cotidiano e livros assim sempre trazem lições que podemos empregar em nossas vidas. Sem falar que é literatura nacional, né!

    Enfim, ótima dica.
    Beijo. [happy]

  4. Responder

    Claris

    04/08/2012

    Já li várias resenhas desse livro e parece ser muito bom, é um nacional que eu tenho muita vontade de ler!
    Infelizmente não posso ir à Bienal em SP, sorte de quem vai poder conhecer todos esses autores maravilhosos! *-* Aproveita!

  5. Responder

    Bruna

    04/08/2012

    oii Gabi!

    adorei sua resenha, esse livro é um dos que ganhei na ceta de Férias da NC #8 pelo twitter (sim, fui sortuda) e espero ler em breve.
    e dia 18 nos encontraremos né? mal posso esperar pra conhecer minhas amigas queridas, o que inclui você

    megaa bjoo
    ;**

  6. Responder

    Jeniffer

    04/08/2012

    Esse foi um livro que eu não sabia o que esperar e que me surpreendeu pelo tema abordado, não li livros falando sobre família e relação de mãe e filha, e é, a leitura flui muito bem e a autora escreve muito bem mesmo, como você disse. Achei que os casos fora da relação mãe e filha contribuíram para abordar outros assuntos no livro intercalando com o assunto principal, eu gostei ><
    Pena que não estarei na Bienal em dia nenhum *cry* rs

    Beijos

  7. Responder

    Sammy

    04/08/2012

    Com certeza deve ser um livro bem tocante, e pelo fato de ser em primeira pessoa vamos sentir como se fosse nossa estória. Quando vi o lançamento do livro, pensei que fosse estrangeiro, não sabia que era de autora nacional [happy]

  8. Responder

    Babi Lorentz

    04/08/2012

    Ei, Gabi! Eu gostei bastante do livro. Achei interessante o jeito que a autora usou para falar sobre esse relacionamento meio estranho entre essa mãe e essa filha. Gostei de tudo o que foi mostrado, me impressionei com algumas partes e me emocionei com outras. Não cheguei a chorar, acho que o livro não faria isso comigo, mas gostei e li de uma só vez.
    E que bom que você vai estar na Bienal nos dias 18 e 19 porque vamos poder nos conhecer!
    Beijão

  9. Responder

    Endryelle Santos

    04/08/2012

    Este é minha próxima leitura. Eu empurrei essa leitura para agora, pois estava um pouco receosa por algumas resenhas não tão positivas. Veremos como será…

    Beijo grande :*

  10. Responder

    May

    04/08/2012

    Lembro que me surpreendi com esse livro quando o li, mas não pela história em si, e sim pelo fato de ele não ser tão carregado como eu pensei que seria. A leitura, apesar de abordar um tema forte, é extremamente leve, também o li em menos de dois dias, se não me engano, e adorei!

    Beijinhos,
    May :*

  11. Responder

    Estefanie Germanotta

    04/08/2012

    Nossa, parece ser muito lindo *-* Ótimo livro para mães e filhas. Confesso que adoro livros narrados em primeira pessoa e livros que fluem, que a gente lê rapidinho. Acho que ia gostar de ler esse. Adorei a resenha!

    Beijos.
    Coisas Fúteis

  12. Responder

    Raíssa Lins

    04/08/2012

    Isso também acontece comigo. Sempre é tão mais automático procurar literatura estrangeira que ler um livro nacional de vez em quando é bom, né? Achei a história bastante interessante, a proposta do livro de trabalhar a relação aparentemente conturbada entre mãe e filha é ótima.

  13. Responder

    Grazy Souza

    04/08/2012

    Oie Gabi.
    Eu ainda não sabia desse livro. A capa me deu uma impressão que o livro é triste, de tragédia. Talvez eu não gostasse muito desse livro por ter a impressão de ser bem linear, sem muitas fortes emoções, o que eu já não estou mais tão acostumada. Mesmo assim gostei muito da resenha.
    Beeijo e bom final de semana querida!!

  14. Responder

    Natália Maia

    04/08/2012

    Oi Gabi! (:
    Confesso que não tenho muita vontade de ler o livro simplesmente porque a história não tem nada que me atraia :T Sabe como é, aquele fator que me faz QUERER ler o livro. Mas as vezes uma boa narração nem precisa de uma história tão interessante assim, só o modo como o autor escreve já nos faz querer continuar lendo! Se algum dia tiver oportunidade, lerei 😀
    Natália Maia – viciadasemlivros.wordpress.com

  15. Responder

    Knoville Kaulitz

    04/08/2012

    fiquei com vontade de ler, o que seria eu sem as resenhas! [smile]

  16. Responder

    Tais

    05/08/2012

    Oi Gabi,
    Eu não gostei muito desse livro.
    Apesar de achar a história forte e emocionante senti falta de algo mais.
    Dia 11 eu estarei na Bienal, que pena que você não vai poder estar.

    bjs
    Tais
    http://www.leitorafashion.com.br

  17. Responder

    Maria Silvana

    05/08/2012

    Oie Gabi =)
    menina, eu não lia muito literatura nacional, mas esse ano estou me superando, claro que alguns ainda deixa a desejar, contudo a maioria estão sendo leituras ótimas.
    Ainda não li esse mais quero estar lendo em breve. [smile]

    Beliscões carinhosos da Máh-
    Felicidades nos Livros

  18. Responder

    Thaís

    05/08/2012

    Pelo que vi na sua resenha, parece ser um livro que satisfaz o leitor e como você mesma disse, não há nada de surpreendente, mas o simples fato do autor conseguir levar a história de uma forma boa, já me deixaria bem com a leitura. (:

    Gabizoca, tem um meme para você lá no blog!

    http://pronomeinterrogativo.blogspot.com.br/2012/08/memes-os-7-pecados-capitais-da-leitura.html

  19. Responder

    Débora Lima

    05/08/2012

    Oi Gabi!
    Minha mãe leu esse livro na minha frente e ela gostou bastante.rs
    Acho essa capa tão fofa, ela transmite um carinho entre mãe e filha tão perfeito. *.*
    Também fiquei surpresa quando soube que era literatura nacional. Uma pena que eu não vou na Bienal de SP. Eu ia adorar conhecer a autora pessoalmente.
    Beijos!

  20. Responder

    'raah

    05/08/2012

    ooi (:
    Eu nunca tinha ouvido falar desse livro, até porque, o gênero não me atrai muito. E também porque leitura brasileira é meio complicado de se lidar, rs. Mas colocarei na minha lista de livros para comprar, K.
    Beijos :*

  21. Responder

    Yara Andrade

    05/08/2012

    Gostei muito da sua resenha, mas confesso que esse livro não me atrai muito, mas eu tenho curiosidade em relação a ele, porque nunca li nada sobre família. Enfim, ótima resenha.
    Beijos.

    http://palavrasdeumlivro.blogspot.com.br/

  22. Responder

    Dud's

    05/08/2012

    oi querida,
    ainda não li este livro, mas tenho vontade.
    Sabe que eu sempre achei que se tratava de uma moça e a relação dela com a filha de sua mae (com outro casamento) o_O hahaha
    ótima resenha. Parece um livro que nos faz repensar as relações.
    ;*

  23. Responder

    Bianca Sampaio

    05/08/2012

    Oi, Gabi!
    Tô com o livro para ler e tinha me animado bastante para lê-lo, por causa de um assunto tão delicado. Mas pela sua resenha parece que ela não cumpre exatamente o problema entre mãe e filha. Em compensação, gostei de saber que a autora escreve muito bem, porque quero dar mais chances aos autores nacionais 😀

    Beijos!

    • Responder

      Fluffy - Gabriela

      05/08/2012

      Oi, Bianca!
      Não desanima, não. Não é que o livro não cumpre, é que ele às vezes, me parece que sai do assunto, mas ele cumpre, sim. Não sei se ficou entendido o contrário na resenha, mas é que é difícil explicar =S
      É uma leitura gostosa, só não é tuuudo aquilo 😉
      Beijos!

  24. Responder

    Cami

    05/08/2012

    Eu sempre fico em dúvida se levo ou não esse livro toda vez que passo na livraria! Mas agora que li a resenha, ele entra na minha lista de livros pra ler, não em primeiro, mas entra! 😀

    É engraçado essa coisa de literatura nacional x internacional. No meu caso, todas as literaturas internacionais são muito mais fluidas, ao contrário das experiências que tive com literatura nacional. Mesmo assim, devemos ‘quebrar’ um pouco esse preconceito e sempre tentar ler né? A gente pode acabar se surpreendendo!

    Beijos Gabi, boa semana!

  25. Responder

    Beatriz

    05/08/2012

    Acredita que eu entrei aqui no blog para perguntar em qual dia você ia ir na Bienal? Mas nem precisou né?. Tava querendo ir no dia 19 pegar autógrafo do livro Monster High quem sabe eu não encontro você por lá. hihi [smile]

    • Responder

      Fluffy - Gabriela

      05/08/2012

      Hahah, sério?! Que legal, se você me avistar por lá, chama! Sou meio desligada, sabe?! ^^
      Beijoca!

  26. Responder

    Blanc

    05/08/2012

    que pena que n vou na bienal..
    Nossa super livro, se for como escreveste deve ser realmente muito bom!
    😀

    beijos.
    Selene Blanchard
    Bacio,Moda & eu

  27. Responder

    Mari

    05/08/2012

    Oi flor,
    Ah esse livro eu ainda não li por falta de tempo, mas estou curiosa pra ler e ver essa relação de Mãe e filha, confesso que não é daquelas leituras que eu esteja muito ansiosa para ler..
    Adoei sua resenha como sempre ^^
    Beijos

  28. Responder

    Fernanda Souza

    06/08/2012

    Eu ultimamente ando procurando não criar muitas expectativas em relação aos livros para evitar decepções, mas por tudo que você escreveu, acredito que esse é exatamente do jeito que idealizei.
    Felizmente vou autografar meu livro, pena que ainda não li.
    Que bom que você virá para a Bienal.

    Beijos
    Fernanda Souza
    @LeitoraIncomum

  29. Responder

    Marcella Castro

    06/08/2012

    Digo logo que adorei a resenha! Eu nem tinha interesse de ler esse livro, pra variar julguei que fosse mais estilo auto-ajuda, sabe? Não que algo nele indique, mas o nome me pareceu que era o tipo de livro que desde o início quer passar uma lição de moral.. e como esse assunto de mãe e filha é algo bem delicado, pois a maior parte de nós tem algum probleminha que seja com os pais, seja porque não nos entendem, seja porque querem decidir por nós.. enfim, achei que por ser algo muito particular e, também, por julgar ser uma espécie de auto ajuda, deixei pra lá! Mas eis que leio essa resenha e mudo de ideia! Claro que no final terei aprendido algo com esse livro, mas qual livro não nos passa conhecimento? Todos de alguma forma passam né? E acho que esse tem muito a acrescentar e a história parece ser muito boa, além da escrita ser de fácil leitura! Enfim, já coloquei na minha lista de desejados! 🙂
    Bjs!

  30. Responder

    Ludmila

    06/08/2012

    Gabi,
    Gostei da sua resenha e tenho vontade de ler esse livro.
    Ele me chamou atenção desde que o vi pela primeira vez, a sinopse me chamou atenção, achei a capa bonita e sua resenha me deu mais vontade ainda para querer lê-lo.
    É isso…
    Beijos

  31. Responder

    Andressa

    06/08/2012

    Olá!
    Não preciso nem comentar que o seu blog é lindo né?
    Então, esse tipo de livro que se aprofunda em relacionamentos familiares não me atrai, definitivamente. =~~
    Parabéns pela resenha!
    beijos

    Andressa
    umdiaacadalivro.blogspot.com
    @umdiaacadalivro

ESCREVA UM COMENTÁRIO