Corban Addison – Cruzando o caminho do Sol

resenha do livro Cruzando o caminho do Sol

Cruzando o caminho do Sol
Corban Addison
Editora Novo Conceito, 2012
448 páginas

Sita e Ahalya são duas adolescentes de classe média alta que vivem tranquilamente junto de seus familiares, na Índia. Suas vidas tranquilas mudam completamente quando um tsunami destrói a costa leste de seu país, levando com suas ondas a vida dos pais e da avó das meninas. Sozinhas, elas tentam encontrar um modo de recomeçar a vida. Mas elas não devem confiar em qualquer um… Enquanto isso, do outro lado do mundo, em Washington, D. C., o advogado Thomas Clarke enfrenta uma crise em sua vida pessoal e profissional e decide mudar radicalmente: viaja à Índia para trabalhar em uma ONG que denuncia o tráfico de pessoas e tenta reatar com sua esposa, que o abandonou. Suas vidas se cruzarão em um cenário exótico, envolto por uma terrível rede internacional de criminosos. Abrangendo três continentes e duas culturas, Cruzando o Caminho do Sol nos leva a uma inesquecível jornada pelo submundo da escravidão moderna e para dentro dos cantos mais escuros e fortes do coração humano.

Corban Addison, em seu primeiro romance, nos transporta para a Índia, para o mundo corrupto e enganador do tráfico humano. Conhecemos a história de Sita e Ahalya, duas irmãs muito unidas (você se apaixona por elas logo nas primeiras páginas) que, depois do tsunami destruir sua casa e levar toda sua família, viram suas vidas virar de cabeça para baixo. Elas foram sequestradas e vendidas a diversos criminosos, desde intermediários que só estavam ganhando dinheiro até criminosos traficantes de drogas e donos de “casas de sexo”. Por serem menores de idade e virgens, elas valiam muito dinheiro, e foram transportadas de um lugar sujo para outro ainda pior. Pior: elas presenciam e são submetidas a coisas que nunca pensaram que pudesse existir.

Nesse livro, conhecemos a fundo a vida que, não só Sita e Ahalya, mas muitas e muitas meninas, algumas menores de idade, vivem em todo o mundo. Algumas delas são enganadas por promessas de uma vida melhor; outras simplesmente são tiradas de suas casas, de suas vidas, para dar lucro a essas pessoas que comandam o tráfico. Fiquei chocada com as descrições tão bem feitas de Corban, como ele conseguiu transmitir um sentimento tão forte ao leitor deste livro. Ahalya e Sita tinham sonhos, tinham promessas de crescer, mas tudo é destruído por pessoas sem coração. Eu me choquei pela maldade de algumas pessoas que, infelizmente, não existem somente na ficção, mas estão por aí, em nossas cidades.

Os personagens do livro também são super bem construídos. Além das duas irmãs, temos o advogado Thomas Clarke, que sempre seguiu o sonho de seu pai, mas que não se vê feliz nesse estilo de vida. Indo atrás de seus sonhos, ele viaja para a Índia, onde acabará se envolvendo com tráfico humano, um problema crítico no país. E é aí que as duas histórias fundem-se em uma busca frenética, em uma corrida contra o tempo. E vidas estão em jogo. É nessa hora do livro que você esquece como se faz pra respirar.

O sofrimento das irmãs é quase tangível. Mesmo querendo ler o livro, ansiando pelo próximo capítulo, eu tinha medo de abri-lo e ler mais e mais tristeza – mas esse medo era algo bom, porque me mostrou o quão real a história foi pra mim. É um livro muito triste, porque, apesar dessas duas meninas serem somente personagens, esse tipo de vida (se é que se pode chamar de vida!) vivida por tantas meninas é real.

Você vai sentir seu coração apertar enquanto lê essas páginas, mas eu garanto que é uma leitura que você nunca, nunca vai esquecer! Ele nos traz uma bela lição de superação, de amor, de devoção. É o melhor livro do ano pra mim.

POSTS RELACIONADOS

49 comentários

  1. Responder

    Gabi

    08/09/2012

    É triste mesmo quando lemos algo assim e temos a consciencia de que aquilo é bem real. Não tive a oportunidade de ler o livro, e honestamente não é muito meu tipo de leitura. Mas nunca se sabe, já me surpreendi muito com esse tipo de livro e pretendo dar uma chance caso tenha oportunidade.

    Deu pra sentir que o livro passou uma sensação muito real pra você, e eu adoro esse tipo de coisa. Mostra mesmo muito talento do autor para nos fazer imergir na história assim.

    Beijitos

  2. Responder

    Poly

    08/09/2012

    Esse livro é LINDO *_*
    me emocionou demais!
    Mas não leia Belle logo em seguida porque eles têm a mesma temática (tráfico sexual) e a gente acaba tentando comparar o que é incomparável.
    Curta o clima dele um pouco 🙂
    Bjuxxxx

  3. Responder

    alice aguiar

    08/09/2012

    adoro livro q da pra tirar uma liçao de vida viu
    adorei a resenha, fiquei com vontade de ler o livro

  4. Responder

    Gladys Sena

    08/09/2012

    Quero ler esse livro, gosto de leitura baseada em fatos reais, apesar de ser algo triste, mas sempre nos leva a reflexão. Bjo.

  5. Responder

    Ludmila

    08/09/2012

    Olá Gabi! Ótima resenha! Esta é a segunda resenha que leio sobre este livro e que reforçou ainda mais a minha vontade e curiosidade para ler Cruzando o Caminho do Sol. Parece realmente ser uma história marcante e inesquecivel. Espero que eu consiga lê-lo em breve. Parabéns pela resenha! Beijos

  6. Responder

    Grazy

    08/09/2012

    Oie Gaby,
    Eu até gosto de livros com histórias marcantes, li alguns bem impressionantes e tenho outros ainda para ler, mas enquanto a esse eu não sei se conseguiria ir até o final.
    Quando eu li a sinopse, pensei que seria interessante. Mas quando li a resenha completa, acho que eu me revoltaria lendo. Pode ser que um dia eu possa embarcar em uma leitura assim, mas agora não é o momento.
    Mas gostei muito de sua resenha.
    Beeijo!

  7. Responder

    Dezi Faustino

    08/09/2012

    Oi Gabi.
    Confesso que de primeira não me interessei muito pelo livro, quando lia sobre ele e via ele em algumas lojas não era o tipo de livro que me chamava a atenção. Mas com essa tua resenha fiquei muito curiosa e louca pra ler, parece ser realmente um livro muitíssimo bom. Ótima resenha!
    Beijos.

  8. Responder

    kivia nascentes

    08/09/2012

    Eu já quase comprei esse livro na bienal mas acabei desistindo. Parece ser bacana e já até tinha esquecido dele, e com essa resenha super positiva voltei a ficar com vontade de ler , já marquei no skoob pra não esquecer.

    beijos e bom fim de semana.

  9. Responder

    Thami

    08/09/2012

    Gosto de livros assim, que me fazem sentir melhor *-* Gostei da resenha! E, agora fiquei louca pra ler ahhahaha

    Beijos!

  10. Responder

    kakau4ever

    08/09/2012

    Esse livro parece ter um história bem intrigante, que dá gosto de ler. Me interessei bastante.
    Bjoks

  11. Responder

    Leandro de Lira

    08/09/2012

    Oi Gabi!
    Adorei a resenha. Concordo com cada palavra sua. Eu curti muito a leitura também e instantaneamente o livro se tornou um dos meus favoritos. E acredito que é difícil esquecê-lo também.
    Abraço!

  12. Responder

    Flávia Soares

    08/09/2012

    Gosto de histórias assim, fortes. Me lembrou “O caçador de Pipas” e “A cidade do sol”, que aliás, são meus preferidos. Tem tantos detalhes, tão bem construídos, que parecem que aconteceu de verdade. Os personagens são tocantes e você sente junto com eles. Gostei desse, já está na minha lista.

    beijos.

  13. Responder

    Patrícia

    09/09/2012

    Eu adorei o tema, quero ler. Tenho muita curiosidade sobre a Índia, e apesar de ter temas pesados, me deu muita vontade de ler [happy]

  14. Responder

    Caroline

    09/09/2012

    Oi Gabi, já li uma resenha sobre esse livro e achei a proposta bem interessante e diferente, contudo foi o seu comentário: “é o melhor livro do ano pra mim” que me deixou realmente curiosa, deve valer mesmo a pena lê-lo!
    Quanto ao fato dos sentimentos fortes que você teve durante a leitura… bem isso me lembra algo que eu dizia enquanto lia O Preço da Imortalidade: quando um autor te faz querer vomitar durante a leitura, ou ele é muito ruim ou ele é muito FODA! – pois é, no caso da obra que eu citei o autor era realmente muito bom e acredito que aconteça o mesmo com o Corban!
    Adorei a resenha.
    Dá uma passadinha lá no blog?
    Beijos.
    Caroline.
    http://comaliterario.blogspot.com.br

    • Responder

      Fluffy - Gabriela

      09/09/2012

      Muito boa a sua colocação sobre os tipos de autores. No caso do Corban, ele se encaixa no tipo de autor FODA. O cara é o máximo, estou, tipo, querendo muito outro livro dele pra ontem! =p
      Bjos.

  15. Responder

    Erica Ferro

    09/09/2012

    A sinopse já é bem convidativa, mas a tua resenha, meudeus, foi MUITO cativante! Fiquei com muita, mas muita vontade de ler. Li dois livros com uma temática um pouquinho parecida, no que diz respeito a serem tramas sofridas, que tocam profundamente. Foram: “A cidade do sol” e “O caçador de pipas”. Emocionei-me muito com o primeiro, foi mais marcante, digamos assim.
    Tenho quase certeza que esse livro, “Cruzando o caminho do sol”, também me marcaria de uma forma similar.
    Adorei a sua resenha, Gabi. Aliás, quando é que eu não adoro, né? Você invariavelmente faz resenhas bem feitas e emocionantes.

    Beijo! ♥

    Sacudindo Palavras

    • Responder

      Fluffy - Gabriela

      09/09/2012

      êêê que bom que gostou da resenha! =D
      Eu também li os dois que você citou, e amei ambos. A Cidade do Sol é um livro que me tocou de uma forma impressionante. Acho que nunca senti tanta raiva de um personagem quanto senti de um desse livro. Se eu pudesse, entraria na história, encontraria a criatura e a encheria de socos. Sério. Cruzando o Caminho do Sol me deu uma sensação bem parecida.
      Espero que goste do livro, quando ler.
      Beijo!

  16. Responder

    Ellen @

    09/09/2012

    Confesso que estava com dúvidas sobre esse livro…Mas você fez uma ótima resenha me deu uma visão legal quero ver se ele é realmente inesquecível.
    Gabi você gosta de histórias tristes?
    beijocas

    • Responder

      Fluffy - Gabriela

      09/09/2012

      Sabe, eu gosto de livros impactantes. E normalmente os que têm cenas mais tristes são mais inesquecíveis pra mim =)
      Beijos!

  17. Responder

    Fernanda Rocha

    09/09/2012

    Um dos melhores livros que li nesse ano! Emocionante da primeira à última página.

  18. Responder

    Axwell Godoi

    09/09/2012

    UAU! Pela resenha a única palavra que posso descrever este livro é intenso. Consigo ver quão comovente ele é, e infelizmente isso não é 100% ficção, ainda nos dias de hoje existe esta brutalidade em nosso meio. Uma vergonha humana. Não sei como pode haver pessoas com este tipo de pensamento lá fora. Me despertou o interesse por ele, vou lê-lo.

    Axwell Godoi
    http://www.ascronicasdezazuleigo.com/

  19. Responder

    Jacqueline Braga

    09/09/2012

    Oi Gabi
    eu já separei esse livro três vezes para ler, mas sempre chega algum livro de parceria e eu deixo de lado.
    Tenho certeza que vou chorar muito, esta temática sobre tráfico sexual me comove muito.
    ótima resenha
    bjs

  20. Responder

    Raíssa Lins

    09/09/2012

    Poxa, eu já tinha visto esse livro, mas nunca dei muita bola pra ele, mas depois da sua resenha, impossível passar por ele do mesmo jeito. Não imaginava que o livro tratasse de um tema tão denso como tráfico de mulheres. Parece uma história bem triste e marcante, merecendo ser lida com toda a atenção. Fiquei com muita vontade de ler, de verdade.

  21. Responder

    Thami

    09/09/2012

    Então Gabi, o problema lá do menu no meu blog, acho que é tudo questão de carregamento mesmo :s Não sei. Mas aqui ele abre normal, e tem vezes que assim que eu abro meu blog e saio clicando, ele vai pra outra parte (como aconteceu com você) ai tem vezes que eu espero carregar e clico e vai direitinho.

    É a primeira vez que mapeio um menu :B hahahahaha

    • Responder

      Fluffy - Gabriela

      09/09/2012

      Eu ODEIO mapear menus. Nunca consegui fazer direito, haha! Só comentei disso porque talvez esteja acontecendo com outras pessoas, mas não é nada grave, dá pra lidar com isso tranquilamente 🙂

      • Responder

        Thami

        09/09/2012

        É :/ e o pior é que eu não achei outros tipos de menus para colocar no lugar, mas um dia eu acho… Ainda estou na procura. Pra mapear menus, prefiro aqueles que são no meio do banner mesmo sabe, porque esse no estilo que eu botei, pode ser substituído por qualquer ouro na horizontal.

  22. Responder

    Thami

    10/09/2012

    Voltei aqui novamente para avisar da tag que eu te coloquei lá: http://www.likeparadise.com.br/2012/09/tag-onze-coisas-sobre-mim.html

    E também porque eu não consigo sair do seu blog, de tão lindo que ele é hahahahah *-*
    Beijos!

    • Responder

      Fluffy - Gabriela

      11/09/2012

      HAHAHA, que fofa tu é *-*
      Já fiz o meme, mas fui lá comentar nas tuas respostas 🙂

  23. Responder

    Beatriz Gosmin

    10/09/2012

    Eu também adorei ler este livro, me apaixonei mesmo. Mesmo sendo de um assunto forte como este, o autor soube levar ele de modo que passasse a informação sem precisar fazer descrições muito profundas sobre as violencias sofridas.

    A cada capítulo eu torcia pelas duas, e no final fiquei bem feliz!
    Me tornei fã do autor e voltei toda feliz da bienal com o meu autógrafo e foto com ele! 😀

    Beijos!

    Bia | http://www.livroseatitudes.com.br

  24. Responder

    Luara Cardoso

    10/09/2012

    Esse é um livro que eu to tentando deixar um pouco mais para frente. Já sei que ele é bem denso, então estou tentando me preparar para não me decepcionar.

    Um beijo,
    Luara – Estante Vertical

  25. Responder

    Igor Thiago

    10/09/2012

    Eu no lançamento do livro, fiquei com uma super vontade de lê-lo. Só que depois fui lendo resenhas, e fui me desapegando. Eu tenho o emocional muito fraco, então tenho certeza que me desmancharia antes do livro acabar. O ruim, é saber que isso também acontece, ou aconteceu. Uma gora, eu quero, outra não. Me ajude, rs. Esse sim, deve ser o livro que se para de refletir, né?

  26. Responder

    Giulia Ladislau

    11/09/2012

    Eu já tinha lido umas resenhas sobre esse livro, mas não com tanta profundidade. Já fiquei meio chocada com a história só com a sinopse, imagina quando eu for realmente ler. [ugh]
    É a ficção que se baseia na realidade. E é uma pena saber que Sita e Ahalya são apenas o reflexo escrito do que acontece com tantas meninas por aí.
    Quero MUITO ler, só esperando uma promoção pra comprar. rs!
    Beijinhos!
    Giulia – prazermechamolivro.blogspot.com

  27. Responder

    Juliana Guedes

    11/09/2012

    Eu ainda não li esse livro, não é o tipo de leitura que eu gosto. É realmente triste quando lemos coisas desse tipo nós mostra que aquilo é bem real,o bom de livro assim que sempre aprendemos alguma coisa no final.
    Beijos

  28. Responder

    May

    11/09/2012

    Desde que li esse livro tive a mesma sensação que você. Eu nunca escondi de ninguém que meu livro favorito sempre foi A menina que roubava livros, junto com O Caçador de Pipas. Mas Cruzando o Caminho do Sol conseguiu se equiparar à esses dois no quesito emoção, e se me pedirem pra escolher só um, vou continuar citando esses três, pura e simplesmente pelo que eles me fizeram sentir ao lê-los. Acho que também foi o melhor livro do ano pra mim, eu queria e não queria terminar essa leitura, torcia até o meu último fio de cabelo para Ahalya encontrar Sita, e para Thomas se acertar com sua esposa, dentre outras pequenas coisas. AMEI esse livro, e foi a grande jogada da NC do ano!

    beijinhos,
    May :*

  29. Responder

    Lorena Rocco

    12/09/2012

    Concordo que é uma lição para a vida toda, mas não me apeguei muito ao livro.
    Corban escreve muito bem, a história é muito bem amarrada, mas achei que se arrastou em alguns pontos.

    E Thomas, não me ganhou em nenhum momento.

    Enfim, ótima resenha. mesmo.

    Beijo.

  30. Responder

    Michelle

    12/09/2012

    Quando eu vi essa capa eu já me interessei. Saber que a história se passa na Índia e que envolve o submundo só aumentou o interesse. Deve ser bem triste mesmo, mas acho que por ser tão real consegue nos tocar fundo. Quero ler, com certeza!
    bjo

  31. Responder

    Thais - Amiga da Leitora

    12/09/2012

    Ah eu gosto muito de livros assim, vou por na minha listinha com certeza!!

    xoxo
    http://amigadaleitora.blogspot.com.br/

  32. Responder

    Bia

    13/09/2012

    Eu não sou muito fã de dramas familiares, mas curto a ideia de vê-los incluídos em uma cultura diferente da nossa, assim dá para perceber as diferenças na forma de reagir

  33. Responder

    Lívia Carolina

    13/09/2012

    Oi Gabi!
    Este livro, apesar de toda dor e tristeza, parece realmente ser muito bom!
    Ele já está na minha lista de leitura!
    Adorei a resenha!
    Bjos

  34. Responder

    barbara * Sempre Charmosas

    13/09/2012

    Noooossa! Me emocionei com a sua resenha … imagine lendo o livro!
    Obrigada, pela dica!
    Beijos

  35. Responder

    Julia G

    13/09/2012

    Oi Gabi, pelo que tenho lido sobre esse livro, é mesmo quase doloroso lê-lo. Eu gosto muito de histórias assim, mas sofro com elas na maioria das vezes. Mesmo assim, acho que vale a pena, e espero poder ler um dia.

    Beijos

  36. Responder

    Mia Sodré

    13/09/2012

    Eu ganhei esse livro aqui no blog e ele acabou de chegar (há cerca de alguns minutos) e realmente, ele parece ser o tipo de livro que dá a sensação de soco no estômago, mas acho incrível a capacidade de autores ao escreverem histórias como essas.
    Estou ansiosa para lê-lo, mesmo sabendo que ficarei me sentindo meio “afetada” por conta do enredo.

    Beijo!

  37. Responder

    Carolli Márol

    14/09/2012

    Livros assim sempre me fazem chorar..

  38. Responder

    Bianca Karina

    15/09/2012

    Nossa, Gabi. É realmente triste e vou te contar, foi a leitura mais angustiante que fiz na minha vida. O sentimento de angustia e desconforto, por saber que toda a situação é real, se instalou em mim durante toda a leitura. Concordo que Corban colocou ali um sentimento forte nos leitores, né?
    Se eu dizer que eu adorei essa leitura, estou mentindo. Não tem como adorar algo que é real e terrível. Que machuca não só vítimas mas como nós leitores também! E a frustração de ver que as coisas poderiam dar certo, mas só pioravam! Gosh. Corban foi um autor excelente, conseguiu passar toda a realidade e tristeza.

    Beijos

  39. Responder

    Cris Aragão

    16/09/2012

    Eu também adorei esse livro, uma história super marcante e um drama contruído de maneira sóbria, sem melodramas, mas que noa leva e vivenciar todo o sofrimento dos personagens.

  40. Responder

    Ruama

    16/09/2012

    Um ótimo livro! Achei muito legal a maneira como o autor nos apresenta a estória permeada de problemas que são reais, me compadeci muito em relação a situação das personagens, sofri junto com elas durante os momentos angustiantes. Porém tive a impressão que o autor exprimia o sentimento dos personagens de maneira muito superficial, só fazendo uma citação e tals… Senti falta de uma descrição mais saliente. Mesmo assim, não deixa de ser um ótimo livro. Provocou em mim grandes reflexões!
    Bjs, Ruama.
    http://esquiloscorderosa-ruama.blogspot.com.br/

  41. Responder

    Lara

    28/09/2012

    Eu tenho esse livro, porém ainda não o li por falta de tempo. Mas sempre li boas críticas em relação ao livro, e depois de ler sua resenha, fiquei com mais vontade de ler! A resenha está fantástica!!! Um beijoooo! [happy]

  42. Responder

    Marcos Igor

    23/04/2013

    Estava fuçando por ai na web e encontrei o fluffy, estou facinada pelo Blog e pela Autora fora a parte além de Inteligente é linda, com todo respeito. estou fasendo uma listinha de livros a serem comprados por min neste ano de 2013 e pretendo comprar “Cruzando o caminho do Sol” parabéns Gabi pela maravilhosa resenha.

    • Responder

      Fluffy - Gabriela

      24/04/2013

      Oi! Obrigada pelos elogios, fico extremamente contente quando os leitores gostam do que posto por aqui! E compre mesmo o livro “Cruzando o caminho do Sol”, é emocionante! Abraços.

ESCREVA UM COMENTÁRIO