John Green – Cidades de Papel

resenha do livro Cidades de Papel

Cidades de Papel
John Green
Editora Intrínseca, 2013
366 páginas

Em Cidades de papel, Quentin Jacobsen nutre uma paixão platônica pela vizinha e colega de escola Margo Roth Spiegelman desde a infância. Naquela época eles brincavam juntos e andavam de bicicleta pelo bairro, mas hoje ela é uma garota linda e popular na escola e ele é só mais um dos nerds de sua turma. Certa noite, Margo invade a vida de Quentin pela janela de seu quarto, com a cara pintada e vestida de ninja, convocando-o a fazer parte de um engenhoso plano de vingança. E ele, é claro, aceita. Assim que a noite de aventuras acaba e um novo dia se inicia, Q vai para a escola, esperançoso de que tudo mude depois daquela madrugada e ela decida se aproximar dele. No entanto, ela não aparece naquele dia, nem no outro, nem no seguinte. Quando descobre que o paradeiro dela é agora um mistério, Quentin logo encontra pistas deixadas por ela e começa a segui-las. Impelido em direção a um caminho tortuoso, quanto mais Q se aproxima de Margo, mais se distancia da imagem da garota que ele pensava que conhecia.

É claro que todos conhecem John Green, aquele cara que tem a incrível e inestimável capacidade de ganhar o leitor mais crítico e fazê-lo rir, chorar e se emocionar com suas histórias diferentes de tudo, e que fazem pensar. John, em seu novo livro intitulado “Cidades de papel”, publicado pela editora Intrínseca, exerce mais uma vez sua maestria em forma de palavras, compondo uma trama cheia de aventuras, mistérios, ação e, principalmente, metáforas, que são, para mim, a marca registrada do autor.

“Eis o que não é bonito em tudo isso: daqui não se vê a poeira ou a tinta rachando ou sei lá o quê, mas dá para ver o que este lugar é de verdade. Dá para ver o quanto é falso. Não é nem consistente o suficiente para ser feito de plástico. É uma cidade de papel.” – Página 68.

Quentin Jacobsen poderia ser qualquer um, como ele mesmo se descreve nas primeiras páginas do livro. Mas não. Ele foi vizinho de Margo Roth Spiegelman. De qualquer pessoa no universo inteiro – ou em toda a Flórida -, Q foi vizinho de Margo. Apesar de serem amigos de qualquer hora, a garota sempre foi um mistério… mas ele era platonicamente apaixonado por ela.

Apesar de Q poder enxergar a janela de Margo de seu quarto e de se cruzarem todos os dias no colégio, seus destinos tomaram rumos diferentes e ela tornou-se uma desconhecida para ele. Até o dia em que Margo bateu em sua janela durante a noite, com a cara pintada de preto, convidando-o para uma aventura noturna. Quentin, é claro, foi. E, durante aquela noite, Q pensou que as coisas mudariam entre eles. Elas mudaram, mas não do jeito previsto: quando o dia amanheceu, Margo não apareceu mais na escola. E pela próxima dezena de dias.

Mas ela lhe deixou dicas e, com a ajuda de seus excêntricos e engraçados amigos, inicia uma busca pelos lugares mais remotos da Flórida à busca da menina que era um total mistério para ele. Mas a busca pode revelar mais do que um paradeiro, mas a personalidade de quem é procurado e, principalmente, de quem procura.

“Fazer as coisas nunca é tão bom quanto imaginá-las.” – Página 90.

Cidades de Papel é um livro de aventura e busca: você se sente ligando os pontos das pistas junto a Quentin para descobrir onde está Margo e, principalmente, o que a levou a desaparecer. Mas, acima de tudo, essa é uma história de descobertas. John Green nos ensina que as pessoas nunca são o que pensamos ser (elas nunca serão nós, e nós nunca seremos elas), e que, quando tentamos defini-las, é a nós mesmos que definimos e conhecemos. As descobertas mostram mais de nós do que de qualquer outra coisa. Q, neste livro, descobre mais de si mesmo enquanto procura por Margo.

“São tantas pessoas. É tão fácil se esquecer de como o mundo é cheio de pessoas, lotado, e cada uma delas é imaginável e sistematicamente mal interpretada.” – Página 296.

John Green é mestre em trabalhar com metáforas e mistérios envolvendo a nossa própria personalidade e a vida em geral. Quentin adorava seus dias tediosos, e estava vivendo a vida apenas querendo envelhecer tranquilamente, mas Margo o mostra que a vida está aqui para ser vivida de outra forma.

“Talvez ela fosse esquisita, ou talvez o restante de nós é que éramos esquisitos.” – Página 141.

Em todo o decorrer do livro, Quentin liga os fatos para encontrar Margo; mas não pensem que, pelo livro quase se definir por este único objetivo, seja um livro tedioso. John Green tem a habilidade de escrever, por longos capítulos, sobre apenas um assunto sem que ele se torne chato. O humor está presente em dose certa, nos fazendo rir de verdade em alguns trechos – e, admito, ficar com muita raiva em outros!

O final do livro não foi o que esperei, e tenho que dizer que me decepcionei um pouco. Porém, analisando no contexto geral, não teria como ser diferente. E é isso o que faz esse livro ser genial: o fato de o autor escrever essa obra tão óbvia que você não tem como dizer que não gostou – porque qualquer outro final estaria mal encaixado e seria infeliz! Por isso, mesmo que o leitor diga que não gostou, Green ainda foi genial em sua finalização da história – e de toda ela, de uma forma geral.

Cidades de Papel não é, para mim, um livro tão emocionante quanto A Culpa é das Estrelas, mas é igualmente merecedor de ser lido, ganhando minhas cinco estrelas. Leia este livro porque ele vai fazer você rir de verdade (do jeito que só John consegue fazer!), porque vai fazer você pensar, e porque vai fazer você não querer desgrudar da história! E, de quebra, se você ainda quiser escrever uma resenha depois de ter lido, por qualquer motivo, vai ver como é difícil colocar em palavras toda a genialidade e a grandiosidade das histórias de John Green, e o que sentimos ao lê-las. Esse é um daqueles livros que eu só digo: leia!

POSTS RELACIONADOS

66 comentários

  1. Responder

    Beatriz Cavalcante

    14/10/2013

    Sempre que eu vejo uma resenha de algum livro do John Green eu penso assim: “John Green pode escrever o que for e ele sempre vai ser John Green”. Eu percebo que mesmo com alguns decepções ou falhas no livro, é impossível você não dizer que as ideias dele são geniais. Pode ter sempre alguma coisinha faltando mas quando você analisa o livro no geral é sempre 5 estrelinhas e as pessoas na maioria das vezes sempre gostam dos livros dele. Eu acho isso muito awesome. ♥

    Ontem eu fui num evento do Literatura Solidária aqui em SP e foi especial do John Green e sei lá, até quem não gostou muito dos livros dele admitiram que ele é um super escritor e também tiveram essa mesma opinião sobre Cidades de Papel. Ai como eu não gosto nadinha do John Green… eu peguei e comprei esse livro que estava faltando para mim e vou começar essa semana. hehehe [love]

    Acho que vou gostar! *u*

    Beijos!

    • Responder

      Gabi { fluffy }

      15/10/2013

      É isso mesmo, Bia. John Green é sempre genial, mesmo que a gente não goste do livro – o que não foi meu caso, pois eu gostei, no geral, como você disse. Ah, como eu queria ir nesses eventos literários! Infelizmente eu só consegui ir nos encontros da Intrínseca, porque acontecem mais perto da minha cidade (perto é 2h de carro!) Bom saber que o pessoal de lá teve a mesma opinião que eu, assim fico mais sossegada, hehe.
      Você vai gostar do livro, sim! Afinal, é John Green, hehe *-*
      Beijos!

  2. Responder

    Michelle

    15/10/2013

    Quem é que nunca se enganou achando que conhecia uma pessoa e, depois, descobriu que ela era totalmente diferente? Gosto do tema. E saber que o livro também envolve atividades detetivescas me deixa ainda mais animada para ler. 🙂
    bjo

  3. Responder

    Daniela

    15/10/2013

    Aí ela diz que o final não foi o que ela esperava, mas que o autor foi genial em terminá-lo assim, ou seja, vou ter que ler pra matar a curiosidade!
    [dead]

    Adorei a resenha Gabi, ficou ótima! Parabéns por alimentar meu espírito compulsivo, rs.
    Bjos, bjos

  4. Responder

    Michelly Melo

    15/10/2013

    Oii, Gabi!
    Ah, eu estou super ansiosa para ler! Tenho lidos tantos comentários positivos sobre os livros do John que fica difícil não se animar e ler também! Concordo com o que você disse e acho que todo mundo concorda com o fato dele ter uma escrita incrível! Realmente ele sabe como tocar o leitor e isso, hoje, não é uma tarefa fácil. Espero poder ler muito em breve!

    Beijão!
    18-primaveras.blogspot.com.br

  5. Responder

    Tainá Eugênio

    15/10/2013

    Eu me tornei fã do autor John Green após ler dois dos seus livros e simplesmente me apaixonar. Quando vi o lançamento de “Cidades de Papel” eu senti necessidade de ler ele o quanto antes, mais também me decepcionei muito. No começo me prendi totalmente, e quando chegou o final, fiquei tão magoada por não ter sido aquilo que esperava. Praticamente engoli o livro e quando menos esperei, já havia acabado e ficado com cara de “boba” na frente do computador. Não se tornou e nem chegou perto de se tornar meu livro preferido, mais não posso esquecer dos momentos de risada e algumas metáforas citadas pelo John que eu fiz questão de destacar e me encantar. Tirando tudo isso! O livro é bom. Mais como sempre digo aos meus leitores, não coloquem expectativas neste livro. [wink]

  6. Responder

    Angelica Brunatto

    15/10/2013

    Nossa, faz séculos que eu não passo por aqui!
    Adorei a sua resenha, e me deixou ainda com mais vontade de ler o livro.
    John Green é realmente demais né?
    Quase fiz um trabalho para a pós graduação sobre A Culpa é das Estrelas, mas no último minuto troquei por um com uma capa mais cheia de cores, índices e símbolos para analisar…
    Beijos
    Angelica
    http://www.angelicabrunatto.com.br

  7. Responder

    Luana r. farias

    15/10/2013

    Ainda não li esse livro eu quero muuuito ler, pois havia lido outro livro do mesmo autor e adorei, e achei a mesma coisa ele adora uma metáfora kkk.

    Beijos

  8. Responder

    Catarina

    15/10/2013

    Caramba, Gabi! Esse livro parece muito bom. Pela sinopse, eu já tinha gostado, com sua resenha então … Ficou perfeito! Estou morrendo de vontade de ler.
    John Green é realmente sensacional, acho que não tem um livro que eu tenha ouvido falar que é ruim. Espero o quanto antes poder le-lo e fazer uma ótima resenha quanto a sua.
    Beijos

  9. Responder

    Mirelle

    15/10/2013

    Oi Gabi, amei a sua resenha, faz tempo que quero ler Cidades de Papel porque acho John fantástico. Incrível como ele consegue me envolver com a sua escrita e humor sarcástico. Quero só ver o que ele aprontou dessa vez.. hehe Beijos, Mi

    http://www.recantodami.com

  10. Responder

    Raone Araujo

    15/10/2013

    Gabi, por coincidência do destino ou não, comprei esse livro HOJE! Hahah! Foi tão espontâneo e imprevisível: fui no centro comprar uma revista e, quando vi Cidades de Papel na banca, resolvi comprar. O curioso é que eu não fazia ideia do que se tratava a história, só conhecia o autor pela sua fama (no momento estou lendo um de seus livros*). Quando cheguei no trabalho de tarde e abri a caixa de entrada do meu e-mail, vi o post de atualização do seu blog com a resenha do livro. A prova incontestável de que eu PRECISAVA ter comprado, porque tenho certeza que foi uma confirmação (pode parecer esquisito, mas é que geralmente eu penso um zilhão de vezes antes de comprar alguma coisa, rs). Enfim, li sua resenha pela minha caixa de entrada mesmo e agora corri aqui no blog pra lhe contar esse ocorrido.
    Estou muito empolgado para iniciar a leitura. Só fiquei curioso pra saber mais sobre esse final que “decepcionou” você, mas acredito que irei me surpreender. E espero que eu possa me descobrir muito através do livro.
    *Ah, no momento estou lendo O Teorema de Katherine do J.G. e quando finalizar vou ler Cidades de Papel. [smile]

    • Responder

      Gabi { fluffy }

      17/10/2013

      Oi Raone! Maratona John Green então? Hehe, o autor é demais e, como uma leitora comentou aqui, não importa o que ele escreva, ele sempre consegue ser genial, porque ele é JG. Ué! 😀
      Muita coincidência mesmo. Também sempre peso todos os prós e contras antes de comprar alguma coisa (não tudo, alguns livros eu compro pelo preço!) e bom, é muito “awesome” saber que fizemos uma boa compra! 😀
      Beijos!

  11. Responder

    Nana

    16/10/2013

    Hey Gabi
    O Fluffy vai fazer 3 anos? Nem imaginava que já estava esse tempo todo no ar. Amei o banner comemorativo!

    Sobre a resenha: Eu estava doida pra ler uma resenha sobre esse livro, estou participando do Clube do Livro de uma amiga e sortearam ele.
    Gostei do que li, eu não gostei muito de ‘Teorema’ mas parece que esse vai chamar mais minha atenção.
    Mas não vou negar que o autor é bem inteligente, as metáfora são ótimas, imagino sua dificuldade pra quotar esse livro, para a resenha HAHAHA

    Ótima resenha Gabi

    bjs
    Nana – Obsession Valley

  12. Responder

    Carolina

    17/10/2013

    Toda vez que leio uma resenha de um livro do John Green me pergunto quando vou parar de enrolar pra ler os livros dele. Tenho Looking For Alaska há quase 2 anos e até hoje não tomei coragem pra ler. Cidades de Papel não está no topo da minha lista, mas A Culpa é das Estrelas e O Teorema Katherine eu quero MUITO ler o mais breve possivel!

    Beijão

  13. Responder

    Mariana

    29/10/2013

    Não vejo a hora de ler Cidades de Papel. Aliás, me sinto assim em relação a todos os livros do John Green. Estou lendo Will, Will no momento e não cheguei nem a página 100 mas já me diverti bastante. [wink]

  14. Responder

    Ingrid Sodré

    29/10/2013

    No momento só conheço a escrita de John Green pelo livro “A culpa é das estrelas”. Por mais que a história seja narrada em primeira pessoa, gostei bastante da forma “descontraída” que ele escreve. Ele consegue ser cômico em momentos desesperadores. rs Levando isso em consideração, não duvido que trata-se de uma boa leitura. A forma que escreve flui naturalmente, quando menos se espera, o livro já terminou. Gostei do enredo de “Cidades de Papel”, parece ser uma história instigante.

  15. Responder

    André

    01/11/2013

    Ainda não li nada do John Green, só trechos de A Culpa é das Estrelas e achei um pouco forçado. Cidades de Papel parece ser diferente, mas ainda assim… sei lá, pé atrás rsrsr

  16. Responder

    Tianisa

    04/11/2013

    Nunca li nada do John Green, mas essa resenha me deixou com vontade de experimentá-lo! 🙂
    O que me chamou mais a atenção foi essa coisa toda de dicas e mistérios. Eu gosto muito de escrever deixando aquelas entrelinhas para a imaginação viajar, acho que isso prende bastante o leitor. Estou animada para ler esse livro e outros do autor!

    Beijo!

  17. Responder

    Denise Crivelli

    04/11/2013

    Ainda não tive a chance de ler um livro dele, mais morro de vontade. Toda vez que vejo uma resenha dele me a mais vontade ainda de ler.

  18. Responder

    Thais M

    04/11/2013

    Muito ansiosa para ler este livro!

  19. Responder

    Amanda Melanie

    04/11/2013

    Como sempre, sua resenha só me fez ter (mais ainda) vontade de ler o livro.
    Que o John Green é genial, eu já sei. Li “A culpa é das estrelas” e “Will e Will” e sei que a escrita do autor é fantástica. Mas esse enredo que você descreveu… UAU! Me deu muita vontade de ler, de verdade. Parece ser muito bom.

    Parabéns pela resenha. 🙂

    Beijos

  20. Responder

    Mary anne

    04/11/2013

    John Green é John Green. Todos os livros dele nos arrebatam em risadas e lágrimas. Tão paradoxal e tão perfeito. AMO! <3 [love]

  21. Responder

    Ingrid Sodré

    04/11/2013

    No momento só conheço a escrita do John Green pelo livro “A culpa é das estrelas”. Por mais que a história seja narrada em primeira pessoa, gostei bastante da forma “descontraída” que ele escreve. Ele consegue ser cômico em momentos desesperadores. rs Levando isso em consideração, não duvido que trata-se de uma boa leitura. A forma que escreve flui naturalmente, quando menos se espera, o livro já terminou. Gostei do enredo de “Cidades de Papel”, parece ser uma história instigante.

  22. Responder

    Larissinha Parente

    05/11/2013

    Os livros de John Green tem tudo para serem clichês e bobos, mas não são.
    Estou na expectativa para ler esse livro!

    Beijos!

  23. Responder

    Juh Claro

    05/11/2013

    Eu só li “A Culpa é das Estrelas” até agora (esperando meu “Teorema Katherine” chegar <3), mas o John me encantou demais com a sua escrita e esse humor em medidas certas. Cidades de Papel é um livro que tem a minha curiosidade de todas as reviews que já li quando ainda nem tinha sido lançado no Brasil. Olha, mesmo lendo só ACEDE, sei como é difícil fazer uma resenha sobre uma obra dele.
    Quero muito ler esse logo também!

    Beijos.

  24. Responder

    Airane Fernandea

    05/11/2013

    Depois de ler essa resenha fiquei louca pra comprar o livro! Parabéns Fuffly!

  25. Responder

    Thalita Melo

    05/11/2013

    Eu gostei mto de A culpa é das estrelas, e agora vou ler o Teorema Katherine. Ele escreve mto bem 😀 espero que esse livro seja bom que nem os outros *-*

  26. Responder

    Maíra

    05/11/2013

    John Green é perfeito! eu li a culpa é das estrelas, e depois queria ler todos os livros dele, com esse não foi diferente, apaixonei pelo enredo e pela história, aventuras e com aquela pitada de lição de vida, é sensacional! *-*

    com certeza irei gostar 🙂
    eu fiquei com muita vontade de ter esse livro ahauhau

    beijos :*

  27. Responder

    Solange Antuano

    05/11/2013

    Eu sou apaixonada por John Green, e com certeza amarei tanto essa história como todas as outras dele!
    Essa foi a primeira resenha que li sobre cidades de papel, e gostei muito dela, mas devo dizer que o que mais me chamou a atenção no livro foi a capa, é simplesmente linda *-*
    Eu espero ter a oportunidade de ler logo esse livro!!
    Beijos

  28. Responder

    Luna Grilli

    05/11/2013

    Todos falam de John Green, eu tenho A Culpa das Estrelas no idioma original e é meio difícil de ler. Mas sempre gostaria de ler outras obras do JG, tanto que fiquei em dúvidas qual ler primeiro… Leio resenhas no Skoob o que só me deixa com mais vontade. Se você Gabi, está indicando é porque é bom e que vale a pena perder (talvez ganhar?) horinhas antes de dormir apreciando esta obra!

    Beijinhos e estou morrendo de vontade de ler! [smile]

  29. Responder

    Carol Mascarenhas

    05/11/2013

    Geralmente não leio resenhas e nem nada mas eu amei essa resenha, muito bem escrita deu mais vontade ainda de ler o livro! Parabéns e sucesso linda (:

  30. Responder

    Lara Andrade

    06/11/2013

    Que resenha fofa!
    Quando terminei de ler A Culpa É das Estrelas eu chorei tanto e depois quando tentei explicar o porquê de ter me emocionado tanto, só conseguia dizer que o livro era incrível e não conseguia dizer mais nada a respeito. O senhor Green provoca isso nas pessoas. Adoro o jeito metafórico que ele escreve e fico mega feliz em saber que a narrativa dele continua com esse jeitinho cativante e especial.
    Quero muuito ler este livro porque o enredo é super inusitado e diferente e também porque amo histórias que me fazem conhecer ou admirar algo em especial. O John não decepciona e duvido que algum dia ele consiga chegar perto disso. Enfim, sua resenha foi muito bem feita e me deixou super animada e feliz pior querer tanto esta obra na minha estante ♥♥♥

    • Responder

      Gabi { fluffy }

      07/11/2013

      Oi, Lara! Também senti a mesma coisa em relação a ACEDE, e hoje eu digo que é um livro que a pessoa tem que ler pra saber do que se trata, não adianta falar sobre ele. Acho que Cidades de Papel é muito bom, mas não é tão bom quando ACEDE. Mas vale a pena a leitura, afinal, é John Green ♥

  31. Responder

    Déborah Alexandrias

    06/11/2013

    O livro tem uma história absolutamente perfeita,e dá pra notar que John Green quis mostrar como é uma paixão platônica mas de uma jeito superficial. Realmente adorei sua resenha sobre o livro, mostrou bastante o seu ponto de vista sobre ele, acho que todos deveriam ser assim mesmo, mostrar e essência do autor na resenha ao escrever o livro. está de parabéns mais uma vez Gabi… ;D

  32. Responder

    Giovanna Oliveira

    07/11/2013

    Suas resenhas sempre me deixam com mais vontade de ler os livros, essa então… <3 É impossível não se apaixonar e não se envolver com qualquer livro do John, afinal as ideias dele são extremamente ótimas! Claro, como todo autor e todo livro, sempre tem uma falha aqui ou alguma decepção ali, mas no geral as histórias são perfeitas. Apenas repetindo: suas resenhas são perfeitas a aumentam a vontade e expectativa de leitura de qualquer um :3

  33. Responder

    Luiza Reis

    07/11/2013

    “Cidade de papel” parece ser um bom livro, já tive a oportunidade de ler “A Culpa é Das Estrelas” e me emocionei bastante, tenho me planejado para adquiri este livro mais ainda não achei. Amo John Green ele é um ótimo escrito. A e claro gostei muito da resenha [love]

  34. Responder

    Thais lima farnco

    08/11/2013

    É maravilhoso ler John Green e sempre muito emocionante, ele sempre consegue mexer em algum ponto em nosso coração e o sentimento não passa despercebido!
    Amor as obras dele!

  35. Responder

    TAÍS INÁCIO DA SILVA

    08/11/2013

    Amei a resenha!!! Ouço falar muito bem desse livro, já está na minha lista de desejados à tempos mas nunca me sobra recursos para comprá-lo rsrsr.

  36. Responder

    Manu Hitz

    09/11/2013

    Essa habilidade do autor de nos conduzir por uma trama bem contada, com fatos que vão se ligando e deixando o leitor cada vez mais interessado… é o que me fascina na leitura!
    Adorei a mescla de situações divertidas e esse mistério, que levará Q e seus amigos a descobrirem coisas novas sobre Margo, sobre si mesmos e sobre a vida, ao mesmo tempo em q leva o leitor à reflexão.
    Particularmente eu amo quando um autor faz isso comigo: pede q eu pare a leitura para saborear trechos que mexem comigo ou para pensar no q acabei de ler.
    Gostei muito das suas observações, às vezes algo escapa e uma resenha aponta, me fazendo relembrar.
    Quanto ao final, é mesmo interessante qdo é coerente, mesmo q não seja o esperado. Gosto de me surpreender, quando a trama é boa e ficar repetindo: por quê?

  37. Responder

    Gislayne Perez

    09/11/2013

    Quero muito ler esse livro…

  38. Responder

    Bianca Remohi

    09/11/2013

    Eu achei esse livro muito interessante, já pensou você acordar num dia e está tudo bem, e no outro você está envolvido numa aventura ? Procurar o paradeiro e o porque a sua vizinha – ao qual ele está, digamos, “apaixonado” – sumiu da noite pro dia.. eu estou mega curiosa, e tenho amigos que leram esse livro e o elogiaram pra caramba! Estou louca para ler. (e também pq só ouço elogios sobre o John Green e nunca li nada dele), amei a resenha 😀

  39. Responder

    cinthia Santos

    10/11/2013

    NECESSITO

  40. Responder

    Beatriz

    10/11/2013

    Eu amo John Green e sempre que vejo resenha sobre os livros dele, adoro ler. Me tornei fã [wink]

  41. Responder

    Isabella Gonçalves

    10/11/2013

    John nunca falha… Por mais que em algum momento do livro ele nos decepcione,logo reverte a situação e nos deixa totalmente apaixonada e alucinada pela história! As renhas de Cidades de Papel não deixam a desejar,tenho certeza que vou me enlouquecer como em todos os outros do nosso querido Green [heart]

  42. Responder

    Genédja de souza costa

    11/11/2013

    Ainda não li nenhum livro de Jonh Green mas tenho ouvido muito falar que os livros dele são ótimos.

  43. Responder

    Talita Ramos

    11/11/2013

    [love] estou apaixonada por esse livro..

  44. Responder

    Carolina scopel

    11/11/2013

    To querendo MUITO ler Cidades de Papel, todas as minhas amigas que leram estão elogiando. E com essa resenha me deu mais vontade ainda! hehehe *-* [heart]

  45. Responder

    Fernanda Santos

    15/11/2013

    Fiquei meio com medo de ler a resenha por poder ter muitos spoilers, e eu tô querendo ler o livro, mas você deu uma resumida e me fez ficar com ainda mais vontade de ler o livro. Só me chateei quando você disse que o final te decepcionou. Eu, como antiga romântica, odeio finais tristes, mas vou ler pra tirar minhas próprias conclusões. A resenha ficou perfeita! Beijos ^.^

  46. Responder

    Bianca reis

    15/11/2013

    Tudo que vem de John Green não tenho medo de não gostar. Cidades de papel não deve ser exceção! ♥

  47. Responder

    ELIZABETH MACHADO SALLES

    15/11/2013

    Estou bastante curiosa com este livro, principalmente em se tratando de um romance de John Green. Seus livros são apaixonantes e viciantes. Preciso dessa maravilha em minha residência. Show.

  48. Responder

    Liana poggian

    23/11/2013

    Olá! Eu me apaixonei por John Green quando li “A culpa é das estrelas” e eu realmente estou ansiosa para ler esse livro pois atiçou minha curiosidade. Os livros dele são encantadores, eu realmente adoro!

  49. Responder

    Mayara Mendes

    24/11/2013

    Não importa o tema abordado, John Green consegue ser genial. Já li três livros do Green e estou ansiosa por mais essa literatura. [heart]

    • Responder

      Letícia Sgalbiero

      25/11/2013

      Comecei a ler esse livro no celular, mas não é a mesma coisa né? Então eu parei. Mas o livro é incrível, eu dei altas risadas (pelo menos, até onde eu li hehe). Eu gosto do modo de escrever do John Green, porque a cada livro é de uma forma totalmente diferente, única. Então a cada livro novo te surpreende e te prende na história, sabe? É bom demais isso!

  50. Responder

    vera

    26/11/2013

    Eu nunca li nada de John Green, mas estou muito curiosa para ler Cidades de Papel e com essa resenha bem escrita me deixou muito curiosa para saber o paradeiro da garotinha.

  51. Responder

    Thainá Lima

    26/11/2013

    Eu queria realmente entender o final da história, achei completamente confuso, não sei se minha mente que está cheia de coisas e informações ou se não fui capaz de entender a mensagem final do livro. Se pudesse me ajudar, por email (thainaferreira1996@hotmail.com), ficaria agradecida. E sem sombra de dúvidas, livro maravilhoso.

  52. Responder

    Bárbara Arruda Costa

    27/11/2013

    Eu leria até a lista de compras do John. Cidades de papel óbviamente é mais uma obra maravilhosa do autor. Como não amar?!

  53. Responder

    Ana Venturelli Inocenti

    27/11/2013

    Resenha bem escrita, abordando de forma inteligente o conteúdo do livro, sintetizando o que interessa, facilitando o entendimento e despertando o interesse dos leitores.

  54. Responder

    Kamila Wozniak

    28/11/2013

    Acho que só eu não conheço John Green, né?! :/
    Meio vergonhoso, eu sei…. mas vou tentar mudar essa situação rsrs

    Fiquei bem curiosa com a sinopse do livro e sua resenha está muito boa Gabi!! Adorei, me fez ter mais curiosidade de ler o livro!!! 🙂

    Mas em um ponto já posso concordar … as pessoas realmente não são como pensamos e nem nós tbm somos como nos pensamos… tem sempre uma situação que pode nos surpreender!!

    Beijoss!!

    Ka Wozniak
    Cinco das Artes

  55. Responder

    Gabriela sad

    29/11/2013

    eu to mega apaixonada por esse livro, e pelo John Green também!
    Dizem que ele é ótimo e a história é mega empolgante! Preciso comprar com urgencia! hahaha

  56. Responder

    Jhulia

    29/12/2013

    Menina, vc escreve bem demais!!! Depois de ler uma resenha sua, qualquer um fica com vontade de ler o livro, a primeira resenha que li sua e já me apixonei!! [love]

    • Responder

      Amanda karine

      10/01/2014

      Eu estou lendo esse livro, ele já me prendeu. Estou na parte que eles foram no primeiro lugar procura-la, ai que ansiosidade :3 Na verdade eu to com medo de continuar lendo, porque o livro é da minha cunhada, e eu acabei descolando um pouco a capa dele, me cortou o coração, não foi por mal, ai to pensando em devolver logo, para não promover mais estragos e dps continuar a leitura on line. Só sei que John “Verde” é John “Verde” rs, sem mais, ele é demais *-*

  57. Responder

    samanta borges

    19/01/2014

    Nossa, esses dias eu vi um vídeo do John Green falando sobre seu livro Cidades de Papel. Ele falou c tanta naturalidade, rapidez, e tudo isso c um olhar (não tenho outra palavra) simples. E eu fico pensando nas outras pessoas famosas q existem. Parece q elas sabem q são famosas e se gabam por isso. Já o John não. Por alguma razão, ele sabe q seus livros estão (e não vão sair tao rápido) da lista dos dez mais vendidos e não se acha por isso. Imagino ele andando pelas ruas de NYC tomando um Starbucks e pensando no seu próximo livro, como uma pessoa normal. É isso q me encanta nele. Se normalizar diante das situações do dia a dia vivenciada por muitos arrogantes. Sua criatividade é sem limites.

    • Responder

      Gabi Orlandin

      19/01/2014

      Oi, Samanta!
      É exatamente isso! O John é super simples, diferentemente de vários autores que vemos por aí, em que a fama já subiu à cabeça. Espero mesmo que seus livros nunca saiam dos mais vendidos, pois eles necessitam ser lidos! Realmente, ele já deve estar com a mente a mil, pensando em mais um livro, enquanto toma um Starbucks e faz anotações, haha! Demais!

  58. Responder

    fabiana

    24/01/2014

    sempre fui apaixonada por livros , principalmente os de John Green , digamos que cada um tem seu mentor , ele e o meu e o de muita gente , um legado . Estava procurando outro livro dele , e ctz meu escolhido de agora,vai ser Cidades de papel .

  59. Responder

    Roberta

    09/05/2014

    Sou apaixonada por esse livro, John Green escreve muito bem e é um dos poucos escritores que traz a emoção com o livro, mesmo errando as vezes ele sempre será o REI dos livros

  60. Responder

    Luisa F. Rodriga

    23/09/2014

    Eu adorei o seus resumos é bom de mais você é uma ótima inventora …..
    Gabi Orlardin ………… [wink] [wink] [wink]

ESCREVA UM COMENTÁRIO