Posts da tag

Editora Intrínseca

Stephanie Perkins – Aconteceu naquele verão

Publicado em 22.02.17
Aconteceu naquele verão Resenha do livro

Aconteceu naquele verão
Doze histórias de amor
Stephanie Perkins
Editora Intrínseca, 2017
384 páginas

Submarino Saraiva

Bem-vindos à estação mais ensolarada e apaixonante de todas! No verão, somos todos iguais, diz um dos personagens do conto “Mil maneiras de tudo isso dar errado”. No Brasil, nos Estados Unidos ou em qualquer lugar do globo, uma coisa é certa: no verão, nossos corações ficam mais leves, mais corajosos, impetuosos e confiantes — talvez por isso esta seja a estação perfeita para se apaixonar… e Aconteceu naquele verão é o livro ideal para quem adora histórias de amor.

Mas essa coletânea tem algo ainda mais especial. Algumas histórias têm uma pitada de estranheza, de mistério, um toque sobrenatural. Em “Cabeça, escamas, língua, calda”, a lagoa de uma cidadezinha é morada de um monstro marinho que só uma menina vê. No intrigante “Inércia”, dois grandes amigos há muito afastados vão se encontrar num quarto de hospital para uma última visita. No belo “O mapa das pequenas coisas perfeitas” é sempre dia 4 de agosto. Presos num loop temporal, dois jovens vão comprovar do que a força do amor é capaz.

A lição é simples: o amor não escolhe lugar nem hora para surgir. Coloque seus óculos escuros e abra sua cadeira de praia, porque neste verão você terá doze motivos para suspirar e se apaixonar.

A primeira coletânea de contos organizada por Stephanie Perkins foi O presente do meu grande amor, publicado em dezembro de 2014 pela Intrínseca. Nele, doze autores foram convidados para escrever pequenas histórias de Natal. Seguindo a mesma ideia, a autora lançou agora o Aconteceu naquele verão, uma antologia com histórias de amor que acontecem – adivinhem! – no verão! São doze novos autores apresentando os mais diversos estilos de histórias sobre aqueles amores que acontecem na época mais quente do ano.

Eu adoro Stephanie Perkins, então sempre quero ler tudo o que ela escreve – ou nesse caso, organiza. Eu já tive a experiência da coletânea anterior, que foi positiva pra mim, então nem pensei duas vezes antes de ler este novo livro. Afinal, é sempre bom intercalar um livro de contos entre uma leitura e outra, pois são histórias curtinhas e rápidas de ler. Dessa vez, essa foi uma experiência quatro estrelas.

À primeira vista, o que me chamou a atenção logo de cara, e me surpreendeu positivamente, foi a capa: ela segue o mesmo estilo do livro anterior, e apresenta as ilustrações de todos os doze casais retratados nos contos. É divertidíssimo ler e reconhecer cada personagem, por isso eu fiz o mapinha abaixo:

Aconteceu naquele verão Resenha do livro

  • 1. Cabeça, escamas, língua, cauda, de Leigh Bardugo
  • 2. O fim do amor, de Nina Lacour
  • 3. O último suspiro do Cinemorte, de Libba Bray
  • 4. Prazer Doentio, de Francesca Lia Block
  • 5. Em noventa minutos, vá em direção a North, de Stephanie Perkins
  • 6. Lembranças, de Tim Federle
  • 7. Inércia, de Veronica Roth
  • 8. Amor é o último recurso, de Jon Skovron
  • 9. Boa sorte e adeus, de Brandy Colbert
  • 10. Nova atração, de Cassandra Clare
  • 11. Mil maneiras de tudo isso dar errado, de Jennifer E. Smith
  • 12. O mapa das pequenas coisas perfeitas, de Lev Grossman

  • Como todo livro de contos, existem as histórias que gostamos e as que não curtimos tanto, e a mesma coisa aconteceu com esta coletânea. Alguns contos foram realmente sem sentido pra mim, enquanto outros (oi, Stephanie Perkins!) ganharam cinco estrelas e um favorito no meu coração.

    Tive a sensação de que, nessa segunda coletânea, os autores se inclinaram um pouquinho mais para o sobrenatural. Não é de hoje que me sinto desanimada com histórias que envolvem seres fantásticos e magia, e nos últimos meses, essa tendência a não querer ler nada do estilo tem se intensificado, tanto que não leio nada do gênero há um bom tempo.

    E, logo no primeiro conto eu me deparei com exatamente isso: um ser sobrenatural que vivia nas águas de uma cidadezinha pequena. O conto não foi de todo ruim, mas não é aquela coisa que arrebata meu coração, e não foi o conto perfeito pra eu começar este livro com o pé direito. Isso faz sentido? |D Porém, como a história era curtinha, eu logo estava em outra vibe, curtindo uma história totalmente diferente, e isso é o mais legal em livros de contos: cada leitor encontrará um conto pra chamar de seu, pra amar do fundo do coração, pois tem histórias para todos os gostos e estilos.

    Aconteceu naquele verão é aquele tipo de livro que você lê rapidinho, se apaixona por alguns casais e deixa outros passarem assim, meio sorrateiros. É perfeito pra ler no verão, sentindo aquela brisa no ar, aquele calor que aquece os corações de nossos casais apaixonados. Para quem tem interesse, não perca tempo: o verão ainda está por aí, ainda dá tempo de achar um amor, mesmo que seja apenas nas páginas desse livro. ;P

    Gabi Orlandin
    Post escrito por: Gabi Orlandin

    Sorteio de mimos!

    Publicado em 21.01.17

    Preparados? Vejam só o que eu preparei pra vocês:

     

     

    É isso aí! :D Separei vários mimos super fofos e montei 3 kits, para presentear 3 leitores do blog! Os kits são compostos de caderninhos e fofuras de editoras que são ou já foram parceiras do blog. O sorteio será rapidinho, só até quarta-feira, dia 25 de janeiro, e o resultado sairá aqui nesse post mesmo, no dia seguinte. Para participar, é bem simples: resumidamente, o participante só precisa curtir a fanpage do Fluffy e assinar a newsletter (confirmando a assinatura), e depois preencher o formulário. Mas vamos lá, conhecer os 3 kits, porque depois vou mostrar todos os passos direitinho.

    5 cadernetas e 1 chaveiro.

    1 caderno de tamanho pequeno, 2 cadernetas, 1 bloco de anotações que vira uma maçã e um lápis.

    4 cadernetas.

    Mostrar mais

    Gabi Orlandin
    Post escrito por: Gabi Orlandin

    Sara Pennypacker – Pax

    Publicado em 19.08.16
    Resenha do livro Pax

    Pax
    Sara Pennypacker
    Editora Intrínseca, 2016
    288 páginas

    Submarino Saraiva

    Peter e sua raposa Pax são inseparáveis desde que ele a resgatou, órfã, ainda filhote. Um dia, o inimaginável acontece: o pai do menino vai servir na guerra, e o obriga a devolver Pax à natureza. Ao chegar à distante casa do avô, onde passará a morar, Peter reconhece que não está onde deveria: seu verdadeiro lugar é ao lado de Pax. Movido por amor, lealdade e culpa, ele parte em uma jornada solitária de quase quinhentos quilômetros para reencontrar sua raposa, apesar da guerra que se aproxima. Enquanto isso, mesmo sem desistir de esperar por seu menino, Pax embarca em suas próprias aventuras e descobertas.

    Alternando perspectivas para mostrar os caminhos paralelos dos dois personagens centrais, Pax expõe o desenvolvimento do menino em sua tentativa de enfrentar a ferocidade herdada pelo pai, enquanto a raposa, domesticada, segue o caminho contrário, explorando sua natureza selvagem. Um romance atemporal e para todas as idades, que aborda relações familiares, a relação do homem com o meio ambiente e os perigos que carregamos dentro de nós mesmos.

    Pax emociona o leitor desde a primeira página. Um mundo repleto de sentimentos em que natureza e humanidade se encontram numa história que celebra a lealdade e o amor.

    Admito: o que me fez ler Pax foi a capa. Ela me encantou logo da primeira vez que vi. Então, logo depois de ter decidido dar uma chance ao livro, eu li a sinopse. Um menino à procura de sua raposa. Época de guerra. Aí eu fiquei sabendo que era de capa dura e tinha ilustrações. Gente! É claro que eu ia querer ler! Aliás, eu ainda preciso escrever a resenha depois de dizer isso? Haha! Tá bem, vamos lá!

    Resenha do livro Pax

    A história é basicamente bem simples, mas cheia de significados. Peter é um menino órfão de mãe, que vive com o pai e sua raposa, Pax. Pax está com seu menino desde que foi resgatada, muito filhote e quase à beira da morte. Nós, leitores, não conhecemos a vida dos personagens nesse período, só entendemos pelo contexto, pois o primeiro capítulo já é de cortar o coração: Peter é obrigado a abandonar Pax no bosque, pois o pai está indo para a guerra e o avô do menino, com quem ele ia ficar, não poderia cuidar de um animalzinho.

    Nós tomamos conhecimento dessa história pela visão da raposa que, com sua sagacidade e inteligência, detectou sinais de que as coisas não estavam certas. Isso, porém, não a salvou de ficar à sua própria sorte, no meio de um habitat que ela não conhecia. Por medo, Peter não se opôs ao pai, simplesmente aceitou aquela decisão, embora de forma contrariada.

    Foi somente depois de descobrir um fato novo a respeito de seu pai, que Peter percebeu o erro que tinha cometido. Pax viveu com ele a vida toda, foi parte de sua existência e era seu companheiro em muitas empreitadas. A pequena raposa nunca viveu no bosque, fora de seu cercadinho; nunca precisou procurar comida; nunca precisou se virar sozinha. Como Pax iria sobreviver nesse cenário, e ainda mais com a guerra a caminho?

    Foi com esse pensamento de urgência que Peter arrumou sua mochila e, antes de amanhecer, saiu em uma missão de resgate. Com um bilhete deixado ao avô e o pensamento em Pax, ele tinha fé que iria encontrar o seu fiel amiguinho ainda esperando, no exato ponto em que o viu pela última vez, com o olhar perdido e confuso.

    Resenha do livro Pax

    Mostrar mais

    Gabi Orlandin
    Post escrito por: Gabi Orlandin

    Jojo Moyes – Depois de você

    Publicado em 11.04.16
    Resenha do livro Depois de você

    Depois de você
    Jojo Moyes
    Editora Intrínseca, 2016
    320 páginas
    Conheça o hotsite do livro

    Submarino Saraiva

    Em Depois de você, sequência de Como eu era antes de você, Lou ainda não superou a perda de Will. Morando em um flat em Londres, ela trabalha como garçonete em um pub no aeroporto. Certo dia, após beber muito, Lou cai do terraço. O terrível acidente a obriga a voltar para a casa de sua família, mas também a permite conhecer Sam Fielding, um paramédico cujo trabalho é lidar com a vida e a morte, a única pessoa que parece capaz de compreendê-la.

    Ao se recuperar, Lou sabe que precisa dar uma guinada na própria história e acaba entrando para um grupo de terapia de luto. Os membros compartilham sabedoria, risadas, frustrações e biscoitos horrorosos, além de a incentivarem a investir em Sam. Tudo parece estar se encaixando, quando alguém do passado de Will surge e atrapalha os planos de Lou, levando-a a um futuro totalmente diferente.

    Desde o tempo em que li Como eu era antes de você, tenho a Jojo Moyes em alta conta. E não é para menos: além deste, todos os outros livros que li da autora (A garota que você deixou pra trás, Um mais um e A última carta de amor), ganharam lugares especiais dentre os favoritos da minha estante. Ou seja: todas as histórias da Jojo me encantaram de todas as maneiras. Porém, apesar de eu ansiar como quase nenhum outro o livro Depois de você, sinto que ele não foi tudo aquilo. Não tanto quanto os outros, e não tanto quanto eu esperava.

    Quem leu Como eu era antes de você sabe que Louisa Clark é uma mulher bastante divertida em suas roupas engraçadas e coloridas, mas totalmente sem incentivo próprio; daquelas que precisam de alguém pra lhes dizer o que está há um palmo do nariz. Não posso negar que isso irrita um pouco, e se você se sente como eu, vai querer dar uns tabefes nela nessa continuação. Lou está sofrendo com a perda de Will, já viajou para a Europa em busca de um sentido na vida e agora está morando em um apartamento muito bagunçado de Londres e trabalhando em um pub de aeroporto que a faz usar roupas de borracha e perucas, no mínimo, esquisitas. Bem, digamos que ela não evoluiu muito desde antes de conhecer Will. Ou seja: parece que ele foi um capítulo bom na vida dela, e agora ela não consegue seguir em frente. De novo.

    Tenho a impressão de que este livro é um amontoado de vários acontecimentos que regem a vida de Lou até o último capítulo. Uma queda do terraço é o primeiro deles, que desencadeia toda uma série de outros eventos. Com a queda (que todas as pessoas acharam tratar-se de suicídio), Lou precisou ir para a casa dos pais e, com isso, rever os fantasmas de sua vida com Will que insistiam em voltar com tudo. Para piorar a situação, quando Lou já estava de volta à sua vida parcialmente normal, surge em sua porta uma menina do passado de Will que vai mexer com todas as estruturas da vida de Lou.

    As lembranças de Will não lhe saem da cabeça e parece que tudo fica, de repente, fora do normal. Entre o grupo de reabilitação, a garota misteriosa surgida do nada, o seu superior cada vez mais exigente, sua família tentando ajudar (nem sempre!) e um homem que aparece na vida de Lou, ela vai lutar para deixar tudo andando no ritmo, ou mais ou menos isso.

    Resenha do livro Depois de você

    Mostrar mais

    Gabi Orlandin
    Post escrito por: Gabi Orlandin

    Super sorteio: Páscoa de livros!

    Publicado em 07.03.16

    A Páscoa já está quase aí, no fim desse mês. Além de ser uma época de reflexão, não podemos negar que já até sentimos o cheiro dos ovos de chocolate, não é mesmo? É o que mais queremos na Páscoa, né? NÃO! Bookaholic que se preze deseja LIVROS! Livros de montão pra poder aumentar ainda mais aquela lista de “quero ler” que só cresce e nunca dá sinal de diminuir. Concorda? E é com isso em mente que criei um sorteio muito especial: o Páscoa de Livros! Aqui serão 4 kits para 4 ganhadores. Vem comigo que eu explico melhor.

    sorteio de páscoa

    Montei 4 kits de livros muito especiais para vocês. Cada kit contém dois livros, mais marcadores do Fluffy e da escola Cultura Americana. Gabi, por que da Cultura Americana? Antes de qualquer coisa, deixa eu dizer: não é publicidade paga, ok? Estou divulgando porque conheço e adoro. A Cultura é a escola que escolhi pra continuar o meu curso de inglês, depois de tanto remar em outra escola que nunca diversificava o método de ensino. Na Cultura, eu me sinto realmente feliz indo pra aula, sabe? É, acima de tudo, diversão, aprendendo na prática. E é por isso que vou mandar alguns marcadores deles pra vocês. Além do mais, e o mais incrível: no verso dos marcadores têm uma “colinha” de alguns verbos irregulares no passado, pra quem se interessar. Vou dizer: é útil. Hahaha!

    sorteio de páscoa

    Agora que expliquei a composição de cada kit, só mais um lembrete: os kits serão sorteados separadamente, e você pode optar por participar só do sorteio daquele que te interessa, ou de todos. Mas vale lembrar que, mesmo se você participar de todos, só poderá ganhar um deles, ok? E o link do Tweet poderá ser usado o mesmo para todos os sorteios – nada de spam para os seus seguidores, né? ;)

    E um detalhe bem importante: alguns dos livros que estou sorteando são desapegos da minha estante. O estado de todos eles é novo, mas alguns estão com o meu nome assinado na primeira página. Veja a descrição nas imagens para saber quais são os livros de desapego.

    Recados dados. Vamos ao sorteio:

    Para participar, é só fazer login pelo Facebook no formulário abaixo e seguir as regras (clicando no botão verde e fazendo o que a regra pede). Se você não tem Facebook, pode fazer login com seu nome e e-mail. A primeira regra do formulário é uma entrada “free”, ou seja, você pode participar com uma chance mesmo não tendo conta nas redes sociais. Depois dessa primeira regra, há outras opcionais, mas você não é obrigado a fazer nenhuma delas, só as que quiser. Se você tiver alguma dúvida, acesse o tutorial ou deixe um comentário nesse post. ;)

    Mostrar mais

    Gabi Orlandin
    Post escrito por: Gabi Orlandin
    Subir!