Posts da tag

Editora Pandorga

#Fluffy5anos – Dia 5: 5 anos em 5 livros

Publicado em 12.11.15

Oi, pessoal!

Hoje começa uma série de cinco posts muito, muito legais e eu quero muito que vocês me acompanhem. No dia 16 de novembro, segunda-feira, o Fluffy estará completando 5 anos no ar! Dá pra acreditar já faz tanto tempo? Nossa, é muito conteúdo, muitas experiências e muito carinho que vocês deixam nesse cantinho, simplesmente pela visita de cada um de vocês. *-* E, por tudo isso, esse ano quero fazer uma comemoração maior e mais bacana do que houve nos outros anos – afinal, é meia década, né? Haha! :D Como vai funcionar: esse ano nós iremos ter uma sequência de cinco posts, em comemoração aos cinco anos, e em cada dia teremos um conteúdo especial de retrospectiva. Vai ser uma contagem regressiva, sendo que o primeiro post, esse que você está lendo, é do Dia 5, e o último será do Dia 1.

Falando do último post, do Dia 1, vale comentar aqui que terá um super sorteio muito, MUITO especial! É sério, acho que vocês vão amar. Eu não vou contar o que é, pois quero que vocês me acompanhem nesses 5 posts e descubram somente no dia, ok? Só posso adiantar que vai ser mais do que uma pessoa e mais do que um prêmio. Não vai perder, né? Então eu conto com vocês pra me acompanharem nessa retrospectiva, e espero que vocês curtam tanto quanto eu.

De 2010 a 2015: 5 anos em 5 livros

Indo direto ao ponto de hoje, vamos falar sobre 5 livros em 5 anos. O Fluffy “nasceu” em 2010, e eu escolhi um livro favorito de cada um desses anos online pra comentar um pouquinho com vocês. Vocês devem imaginar que foi extremamente difícil escolher apenas um livro por ano, pois eu teria escolhido uns quatro ou cinco de cada; então, espero que vocês gostem.


2011:
Anna e o beijo francês, de Stephanie Perkins

Um pouco da história: Anna e o beijo francês é escrito pela incrível e apaixonante Stephanie Perkins e, obviamente, a história se passa em Paris, na França. A protagonista é Ana (conhecida também como Ana Banana), que não queria ir à cidade-luz, mas foi obrigada por seu pai, para estudar o último ano em um internato. Porém, tudo começa a ficar incrivelmente melhor (e mais bonito) quando ela conhece Étienne St. Clair. *-*

Por que este livro me marcou: Primeiramente pelos personagens, que são apaixonantes. Anna é uma protagonista que eu amei: decidida sem ser bobinha, doce e encantadora. Étienne, por outro lado, é aquele personagem irresistível: fofo, querido e amigável. *-* Os dois nutrem uma amizade que vai se colorindo aos poucos, e é lindo de se ver. E sim, isso leva à segunda coisa que mais marcou para mim: a história em si, que em poucas palavras é muito fofa. A autora escreve de uma forma surpreendentemente fluida, e quando percebemos, já devoramos várias páginas (isso se aplica a todos os livros da autora). A história é encantadora, com personagens incríveis e ainda em um cenário de tirar o fôlego. Quem não se apaixonaria? Eu recomendo para quem gosta de histórias leves, romances doces (sem serem bobos) e uma leitura para passar o final de semana em boa companhia.


2012:
A culpa é das estrelas, de John Green

Um pouco da história: Acredito que todo mundo conheça essa história – se não pelo livro, então pelo filme lançado em 2014. Basicamente, ela conta sobre dois adolescentes com câncer que se conhecem, se apaixonam, vivem momentos inesquecíveis, desafiam os obstáculos e tentam ser o mais “normal” possível, devido às suas complicações. E os leitores, por outro lado, lutam para manter as lágrimas dentro do corpo enquanto leem/assistem.

Por que este livro me marcou: Por tudo, todos os detalhes e… tudo! É até difícil explicar, mas esta história tem a capacidade de mexer com o coração das pessoas. Me faz pensar: por que eu, muitas vezes, reclamo tanto se tenho tudo no lugar e funcionando? Por que eu encontro problemas em coisas pequenas quando pessoas reais como Hazel e Gus passam por tantas e tantas dificuldades? A história de Hazel e Gus me encantou de verdade; a mensagem de que devemos aproveitar cada momento, viver intensamente cada aventura. A vida pode ser curta, e nunca sabemos quando ela acabará. Por isso, esse livro é especial pois transmite essa mensagem de aproveitar a vida, pois ela é maravilhosa, mesmo com todos os problemas reais e imaginários que temos todos os dias. E gente, dispensa maiores comentários sobre os personagens, né? Até porque se não esse post não vai sair de tanto que vou chorar. D:


2013:
Como eu era antes de você, de Jojo Moyes

Um pouco da história: Jojo Moyes narra, neste livro, a história de um homem que ficou tetraplégico e está fadado a ficar o resto de sua vida em uma cadeira de rodas, sendo cuidado por outras pessoas. Will não quer mais viver, ele já decidiu isso. Até que ele conhece sua nova “enfermeira” Louisa Clark. Será que ela seria capaz de mudar o humor rabugento de Will e fazê-lo querer viver a sua vida, mesmo preso a uma cadeira de rodas?

Por que este livro me marcou: Simplesmente porque a história dele é maravilhosa e nos faz pensar em como as pessoas, e somente elas, podem comandar seus destinos. Me lembro que foi o único livro, até hoje, a me fazer ficar acordada até altas horas da madrugada. Normalmente estou tão cansada que pego no sono, mas era impossível pensar em dormir com essa leitura. Eu chorei muito, fiquei confusa, com raiva, triste, feliz. Tudo ao mesmo tempo! A autora soube mexer com meus sentimentos como poucos livros conseguem. Para vocês terem uma ideia, eu geralmente respondo este título quando alguém me pede qual é o meu livro preferido. É difícil escolher, mas Como eu era antes de você está sempre emplacado nas primeiras posições. Só por isso, me permito uma citação da minha resenha pra finalizar: “Este livro faz você pensar na vida, na essência de quem somos, em decisões que tomamos, em aceitar que nem tudo pode ser decidido por nós… e em como as coisas acontecem de forma inesperada, mudando as pessoas.”.


2014:
O segredo do meu marido, de Liane Moriarty

Um pouco da história: A protagonista Cecilia Fitzpatrick tem a vida perfeita, com a casa perfeita, a rotina perfeita, a família perfeita. Até que algo acontece: ela encontra uma carta de seu marido, endereçada a ela. E o que isso tem de mais, você me perguntaria. O que tem é que essa carta só poderia ser aberta quando o marido morresse – instruções do próprio. Porém, Cecilia encontra esse papel bem antes do tempo. E tudo muda.

Por que este livro me marcou: Sabe aquele tipo de livro que tem uma reviravolta final tão arrebatadora que você fica meio sem chão? O segredo do meu marido é desse tipo de livro, e eu fiquei muito, mas muito surpresa! A autora te envolve num drama impossível de largar, e você fica roendo as unhas para descobrir quem é a pessoa. Além disso, este romance une toda a trama a um romance maravilhoso, e pra mim foi a receita certa. Além do mais, a escrita da autora é muito gostosa de ler, e você não consegue parar. Se você gosta de ficar impressionado, de tentar desvendar mistérios e segredos, vai amar essa leitura.


2015:
Por causa do Sr. Terupt, de Rob Buyea

Um pouco da história: Sr. Terupt é o novo professor de uma turma indomável da quinta série. Temos sete protagonistas, todos com personalidades bem diferentes uns dos outros (para não confundir o leitor, coisa que o autor acertou em cheio) e capítulos intercalados entre todos eles. A história começa no início do ano letivo, quando o novo professor inicia suas aulas com a turma. E ele não é um professor comum, o que faz com que vários alunos gostem dele – diferentemente de todos os outros professores daquela turma até então. Porém, um acidente acontece, e tudo muda para essa turma de pequenos.

Por que este livro me marcou: Este livro foi pouco comentado, pelo pouco que ouvi, mas sempre o incluo em listas e dicas para que as pessoas o conheçam. Admito que ele me chamou a atenção, primeiramente, pela capa, mas depois a história se tornou tão incrível que eu agradeci em pensamento à pessoa que criou essa arte, por ter conseguido me fisgar pra ler este livro. Ah, e a capa tem TUDO a ver com a história, antes que vocês se perguntem. Falando sobre o livro, ele me marcou porque é narrado por crianças, porque é escrito de forma inocente por elas e porque os leitores conseguem perceber, no decorrer da narrativa, que esses pequenos aprenderam lições que estão muito além da grade curricular. Com quem? Com o Sr. Terupt, é claro, que desafiou e modificou as aulas para serem mais dinâmicas e bastante fora do comum. O final, que é uma reviravolta por consequência de um acidente, é emocionante. De forma conclusiva, acredito que este livro me fisgou pela simplicidade e inocência da história, e por ser tão lindamente escrito.


Espero que vocês tenham gostado desse post, que foi a introdução à sequência de posts que teremos até segunda-feira. Não esqueçam de vir aqui conferir o de amanhã, que vou fazer o possível para que seja tão ou mais legal do que esse. Ah, e pra não perder ou esquecer, assina a newsletter! Se você ainda não é assinante, é só preencher seu e-mail e nome no campo à direita do blog. Ah, se você está lendo esse post pela newsletter ou algum lugar fora do blog, dá uma passadinha lá pra conferir o novo topo de aniversário. Tá lindo! *-*

Agora me digam: vocês já leram algum (ou alguns) desses livros?

Gabi Orlandin
Post escrito por: Gabi Orlandin

Vídeo: Leituras de abril

Publicado em 04.05.15

Oi, gente! Está no ar mais um vídeo de leituras do mês, dessa vez com os livros de abril. Esse vídeo ficou um pouco mais longo do que os outros, porque acabei falando demais. Se vocês não curtem vídeos longos, vou tentar reduzir no próximo mês. Agora, aperta o play:

Se você gostou desse vídeo, não esqueça de clicar em “gostei“, no canto superior direito, e assinar o canal! Assim, você me ajuda a continuar – com seu apoio! – e ainda recebe as novidades por e-mail.

Livros e links citados no vídeo:

  • Resenha de Síndrome psíquica grave
  • Resenha de Por causa do Sr. Terupt
  • Resenha de Garota Online
  • Resenha de Azul da cor do mar (mais Simplesmente Ana e De repente, Ana, da mesma autora).
  • Eu li um guia de San Francisco esse mês, mas se você não viu meu post sobre a cidade, clique aqui!
  • Resenha de O garoto dos olhos azuis
  • Compre o livro Eu amo viajar e ajude instituições de turismo (a resenha sai amanhã, fica ligado!).
  • Gabi Orlandin
    Post escrito por: Gabi Orlandin

    Raiza Varella – O garoto dos olhos azuis

    Publicado em 30.04.15
    resenha do livro O garoto dos olhos azuis

    O garoto dos olhos azuis
    Raiza Varella
    Editora Pandorga, 2014
    352 páginas

    Bárbara é linda, loira e bem-sucedida. Desde que assistiu a uma cerimônia de casamento pela primeira vez, ainda criança, seu sonho é apenas um: percorrer o tapete vermelho da igreja, vestida de noiva. Porém, contrariando todas as suas expectativas, ao ser abandonada no altar, a vida de Bárbara desmorona. Ela decide voltar à cidade natal e passa a viver com os irmãos e mais dois amigos. Todos homens. Com a ajuda de Vivian, uma espécie de Barbie Malibu, Bárbara tenta superar sua decepção amorosa recente e uma da adolescência, que volta com tudo à sua memória: o garoto dos olhos azuis. Será que o cavalo branco só passa uma vez?

    É impossível não se apaixonar pela capa desse livro, não é mesmo? Posso falar por mim, ao menos, que amei a fotografia e gostei da escolha de fontes para o título e nome da autora. Porém, foi por causa dela que eu imaginei uma história bem diferente, achando que envolveria cavalos, sítios e fazendas. Ledo engano! Porém, o cavalo tem um significado muito bonito e profundo na história – e, de forma geral, é o que eu considerei como a síntese perfeita pra esse romance. Essa frase explica tudo:

    Querida, o cavalo branco só passa uma vez na vida, se você deixá-lo escapar não terá outra chance.

    Este é o romance de estreia da autora nacional Raiza Varella, e conta a história de Bárbara, uma garota que tem tudo: duas amigas incríveis para dividir o apartamento, um diploma recém conquistado de advocacia e um casamento marcado com o homem dos seus sonhos. Ou não! Babi não pode imaginar que dentro de poucas horas todos os seus sonhos serão desfeitos, uma de suas amigas será sua pior inimiga, a outra será uma traidora da sua confiança e terá que deixar toda a sua vida em São Paulo para trás. Inclusive seu noivo, que teve a pior das atitudes no dia mais importante de sua vida.

    Para curar um coração partido, ela volta à casa de sua avó, onde seus pais estão residindo, em Garopaba. Porém, nem ali ela consegue descansar tranquila, pois as memórias do passado insistem em voltar agora: o garoto dos olhos azuis, aquele menino desconhecido que a salvou há tantos anos e quem ela nunca mais viu. Para somar à conta, a sua mãe a deixa louca, o que a impossibilita de ficar muito mais tempo embaixo daquele teto. Então, na primeira oportunidade, ela vai morar com seus dois irmãos super protetores e dois amigos em um apartamento em Florianópolis. Mal sabia ela que tudo estava para mudar.

    resenha do livro O garoto dos olhos azuis

    Ao iniciar a leitura de O garoto dos olhos azuis, eu me senti presa à narrativa, ansiosa para saber qual foi o acontecimento que deixou a protagonista sem chão. Depois, fui adquirindo uma pequena raiva dela, à medida que enfiava os pés pelas mãos e não media a consequência dos seus atos. Porém, algumas ações impensadas são até compreensíveis, dadas as coisas que ela passou, deixando seu coração em frangalhos. Bárbara não é a melhor personagem que eu já encontrei em livros de ficção, mas não fica longe, por seu temperamento forte, sua determinação em superar o passado e, principalmente, por ter, no decorrer da trama, superado sua mania de fugir de sua própria vida para, no fim, enfrentar os obstáculos do caminho.

    Muitos personagens são apaixonantes: além de sua avó, que não sai do salto (ei, nada de assar biscoitinhos e fazer crochê!), temos também a nova amiga Vivian (mais conhecida como Barbie Malibu), seus irmãos protetores-até-demais e Ian, por quem é impossível não se apaixonar (desde que você não coma aquele sorvete de café escondido nos fundos do freezer).

    Mostrar mais

    Gabi Orlandin
    Post escrito por: Gabi Orlandin

    Rob Buyea – Por causa do Sr. Terupt

    Publicado em 06.04.15
    resenha do livro Por causa do Sr. Terupt

    Por causa do Sr. Terupt
    Rob Buyea
    Editora Pandorga, 2015
    298 páginas

    Saraiva

    É o início do quinto ano para sete alunos da Escola Snow Hill. Temos Jessica, a menina nova, esperta e perceptiva, que está tendo dificuldades para se adaptar; Alexia, a encrenqueira, sua amiga num segundo e sua inimiga no próximo; Peter, pestinha da classe e criador de confusão; Luke, o inteligente; Danielle, que nunca se garante sozinha; a tímida Anna, cuja situação familiar faz dela uma garota sem amigos; e Jeffrey, que odeia a escola.

    Apenas o Sr. Terupt, o novo e energético professor, parece saber como lidar com todos eles. Ele torna a sala de aula um lugar divertido, mesmo que não deixe os alunos fazerem tudo o que querem… até um dia de neve no inverno, quando um acidente muda tudo — e todo mundo.

    Num relato delicado e emocionante, Por Causa do Sr. Terupt é capaz de tocar crianças e adultos.

    Talvez você não dê muita bola a esse livro por se tratar de um autor desconhecido por aqui, ou a capa não lhes chame a ateção (não foi o meu caso!), ou mesmo o título e a sinopse não lhe agradem. Mas eu preciso falar uma coisa pra vocês: esse livro vale a pena. Vale cada página, e eu fiquei muito feliz por ter esbarrado com ele. A primeira coisa que me chamou a atenção foi a capa, seguido pela sinopse, que me ganhou totalmente. Sem pensar na minha lista de leituras enorme e obrigações diárias, solicitei “Por causa do Sr. Terupt” à editora Pandorga, parceira do blog, que prontamente me enviou um exemplar. Fiquei tão contente quando ele chegou aqui em casa, que logo comecei a ler. Minha maior surpresa foi que o livro se tornou ainda melhor do que eu pensei!

    resenha do livro Por causa do Sr. Terupt

    A primeira coisa que me chamou a atenção foi o grande número de narradores: quem conta a história são sete alunos da escola Snow Hill que, ao iniciarem o ano letivo na quinta série, se depararam com um professor novo: o Sr. Terupt. Todo mundo sabe que um professor novo não conhece a turma, então os alunos estavam indiferentes, achando que este seria mais um ano chato e tedioso de aulas igualmente chatas e tediosas. Porém, logo no começo do livro, quando um aluno tenta pregar uma peça no professor, eles percebem que o Sr. Terupt não é um professor comum. Ele é especial.

    Conforme acompanhamos a narrativa, contada pelos sete alunos, percebemos como as atitudes do professor ensinaram valores às crianças. Com coisas simples como atividades diferentes em sala de aula e exercícios fora dela, Terupt conseguiu ensinar àquela turma não só o que estava programado como conteúdo daquele ano; ele ensinou coisas valiosas, como não ser má com as pessoas, como aceitar os que são diferentes, como compreender, saber ouvir e, de forma bem geral, como serem pessoas melhores.

    Porém, enquanto o Sr. Terupt educa as crianças, lhes dando pequenos prêmios a cada boa ação da turma, acontece um acidente. Não foi culpa de ninguém, mas talvez as consequências desse acidente sejam irreversíveis. Neste momento, as crianças aprendem algumas das lições mais valiosas que levarão para a vida inteira.

    resenha do livro Por causa do Sr. Terupt

    Ao contrário do que se pensa, o grande número de narradores não atrapalha a leitura. Cada criança tem uma personalidade bem diferente da outra, o que nos ajuda a distinguir um do outro e, aos poucos, vamos nos afeiçoando a cada uma delas. É tão bonito ler a narração de uma criança! Este livro é inocente, puro, sem maldades e preconceitos – mesmo que algumas crianças pratiquem atitudes assim, elas não o fazem por mal, elas só não sabem que isso é errado.

    Eu ri, chorei e me emocionei com as atitudes dos personagens. Essa é uma daquelas histórias que a gente quer guardar bem fundo no peito e levar pra sempre conosco. Tenho certeza que minhas palavras não expressaram muito bem o que achei do livro, mas se tiverem a oportunidade, leiam esta história.

    Gabi Orlandin
    Post escrito por: Gabi Orlandin

    Vídeo: Leituras de janeiro

    Publicado em 05.02.15

    Obaaaaa, tem vídeo novo no ar!

    E a partir de agora vai ter, pelo menos, um novo vídeo a cada 30 dias! Todos os primeiros dias do mês, vou falar um pouquinho sobre todos os livros que li no mês anterior. Gostou? Então dá play que eu já falei sobre os livros de janeiro no primeiro vídeo! :)

    Se você curtiu o vídeo, não se esqueça de me ajudar clicando em gostei, e se inscreva no canal pra receber os novos vídeos!

    Obrigada por me assistir e até a próxima! *-*

    Gabi Orlandin
    Post escrito por: Gabi Orlandin
    Subir!