Posts da tag

Resenha: Editora Pandorga

Raiza Varella – O garoto dos olhos azuis

Publicado em 30.04.15
resenha do livro O garoto dos olhos azuis

O garoto dos olhos azuis
Raiza Varella
Editora Pandorga, 2014
352 páginas

Bárbara é linda, loira e bem-sucedida. Desde que assistiu a uma cerimônia de casamento pela primeira vez, ainda criança, seu sonho é apenas um: percorrer o tapete vermelho da igreja, vestida de noiva. Porém, contrariando todas as suas expectativas, ao ser abandonada no altar, a vida de Bárbara desmorona. Ela decide voltar à cidade natal e passa a viver com os irmãos e mais dois amigos. Todos homens. Com a ajuda de Vivian, uma espécie de Barbie Malibu, Bárbara tenta superar sua decepção amorosa recente e uma da adolescência, que volta com tudo à sua memória: o garoto dos olhos azuis. Será que o cavalo branco só passa uma vez?

É impossível não se apaixonar pela capa desse livro, não é mesmo? Posso falar por mim, ao menos, que amei a fotografia e gostei da escolha de fontes para o título e nome da autora. Porém, foi por causa dela que eu imaginei uma história bem diferente, achando que envolveria cavalos, sítios e fazendas. Ledo engano! Porém, o cavalo tem um significado muito bonito e profundo na história – e, de forma geral, é o que eu considerei como a síntese perfeita pra esse romance. Essa frase explica tudo:

Querida, o cavalo branco só passa uma vez na vida, se você deixá-lo escapar não terá outra chance.

Este é o romance de estreia da autora nacional Raiza Varella, e conta a história de Bárbara, uma garota que tem tudo: duas amigas incríveis para dividir o apartamento, um diploma recém conquistado de advocacia e um casamento marcado com o homem dos seus sonhos. Ou não! Babi não pode imaginar que dentro de poucas horas todos os seus sonhos serão desfeitos, uma de suas amigas será sua pior inimiga, a outra será uma traidora da sua confiança e terá que deixar toda a sua vida em São Paulo para trás. Inclusive seu noivo, que teve a pior das atitudes no dia mais importante de sua vida.

Para curar um coração partido, ela volta à casa de sua avó, onde seus pais estão residindo, em Garopaba. Porém, nem ali ela consegue descansar tranquila, pois as memórias do passado insistem em voltar agora: o garoto dos olhos azuis, aquele menino desconhecido que a salvou há tantos anos e quem ela nunca mais viu. Para somar à conta, a sua mãe a deixa louca, o que a impossibilita de ficar muito mais tempo embaixo daquele teto. Então, na primeira oportunidade, ela vai morar com seus dois irmãos super protetores e dois amigos em um apartamento em Florianópolis. Mal sabia ela que tudo estava para mudar.

resenha do livro O garoto dos olhos azuis

Ao iniciar a leitura de O garoto dos olhos azuis, eu me senti presa à narrativa, ansiosa para saber qual foi o acontecimento que deixou a protagonista sem chão. Depois, fui adquirindo uma pequena raiva dela, à medida que enfiava os pés pelas mãos e não media a consequência dos seus atos. Porém, algumas ações impensadas são até compreensíveis, dadas as coisas que ela passou, deixando seu coração em frangalhos. Bárbara não é a melhor personagem que eu já encontrei em livros de ficção, mas não fica longe, por seu temperamento forte, sua determinação em superar o passado e, principalmente, por ter, no decorrer da trama, superado sua mania de fugir de sua própria vida para, no fim, enfrentar os obstáculos do caminho.

Muitos personagens são apaixonantes: além de sua avó, que não sai do salto (ei, nada de assar biscoitinhos e fazer crochê!), temos também a nova amiga Vivian (mais conhecida como Barbie Malibu), seus irmãos protetores-até-demais e Ian, por quem é impossível não se apaixonar (desde que você não coma aquele sorvete de café escondido nos fundos do freezer).

Mostrar mais

Gabi Orlandin
Post escrito por: Gabi Orlandin

Rob Buyea – Por causa do Sr. Terupt

Publicado em 06.04.15
resenha do livro Por causa do Sr. Terupt

Por causa do Sr. Terupt
Rob Buyea
Editora Pandorga, 2015
298 páginas

Saraiva

É o início do quinto ano para sete alunos da Escola Snow Hill. Temos Jessica, a menina nova, esperta e perceptiva, que está tendo dificuldades para se adaptar; Alexia, a encrenqueira, sua amiga num segundo e sua inimiga no próximo; Peter, pestinha da classe e criador de confusão; Luke, o inteligente; Danielle, que nunca se garante sozinha; a tímida Anna, cuja situação familiar faz dela uma garota sem amigos; e Jeffrey, que odeia a escola.

Apenas o Sr. Terupt, o novo e energético professor, parece saber como lidar com todos eles. Ele torna a sala de aula um lugar divertido, mesmo que não deixe os alunos fazerem tudo o que querem… até um dia de neve no inverno, quando um acidente muda tudo — e todo mundo.

Num relato delicado e emocionante, Por Causa do Sr. Terupt é capaz de tocar crianças e adultos.

Talvez você não dê muita bola a esse livro por se tratar de um autor desconhecido por aqui, ou a capa não lhes chame a ateção (não foi o meu caso!), ou mesmo o título e a sinopse não lhe agradem. Mas eu preciso falar uma coisa pra vocês: esse livro vale a pena. Vale cada página, e eu fiquei muito feliz por ter esbarrado com ele. A primeira coisa que me chamou a atenção foi a capa, seguido pela sinopse, que me ganhou totalmente. Sem pensar na minha lista de leituras enorme e obrigações diárias, solicitei “Por causa do Sr. Terupt” à editora Pandorga, parceira do blog, que prontamente me enviou um exemplar. Fiquei tão contente quando ele chegou aqui em casa, que logo comecei a ler. Minha maior surpresa foi que o livro se tornou ainda melhor do que eu pensei!

resenha do livro Por causa do Sr. Terupt

A primeira coisa que me chamou a atenção foi o grande número de narradores: quem conta a história são sete alunos da escola Snow Hill que, ao iniciarem o ano letivo na quinta série, se depararam com um professor novo: o Sr. Terupt. Todo mundo sabe que um professor novo não conhece a turma, então os alunos estavam indiferentes, achando que este seria mais um ano chato e tedioso de aulas igualmente chatas e tediosas. Porém, logo no começo do livro, quando um aluno tenta pregar uma peça no professor, eles percebem que o Sr. Terupt não é um professor comum. Ele é especial.

Conforme acompanhamos a narrativa, contada pelos sete alunos, percebemos como as atitudes do professor ensinaram valores às crianças. Com coisas simples como atividades diferentes em sala de aula e exercícios fora dela, Terupt conseguiu ensinar àquela turma não só o que estava programado como conteúdo daquele ano; ele ensinou coisas valiosas, como não ser má com as pessoas, como aceitar os que são diferentes, como compreender, saber ouvir e, de forma bem geral, como serem pessoas melhores.

Porém, enquanto o Sr. Terupt educa as crianças, lhes dando pequenos prêmios a cada boa ação da turma, acontece um acidente. Não foi culpa de ninguém, mas talvez as consequências desse acidente sejam irreversíveis. Neste momento, as crianças aprendem algumas das lições mais valiosas que levarão para a vida inteira.

resenha do livro Por causa do Sr. Terupt

Ao contrário do que se pensa, o grande número de narradores não atrapalha a leitura. Cada criança tem uma personalidade bem diferente da outra, o que nos ajuda a distinguir um do outro e, aos poucos, vamos nos afeiçoando a cada uma delas. É tão bonito ler a narração de uma criança! Este livro é inocente, puro, sem maldades e preconceitos – mesmo que algumas crianças pratiquem atitudes assim, elas não o fazem por mal, elas só não sabem que isso é errado.

Eu ri, chorei e me emocionei com as atitudes dos personagens. Essa é uma daquelas histórias que a gente quer guardar bem fundo no peito e levar pra sempre conosco. Tenho certeza que minhas palavras não expressaram muito bem o que achei do livro, mas se tiverem a oportunidade, leiam esta história.

Gabi Orlandin
Post escrito por: Gabi Orlandin

Luiza Costa Gonçalves – Pergunte a uma mulher

Publicado em 07.01.15
resenha do livro Pergunte a uma mulher

Pergunte a uma mulher
Luiza Costa Gonçalves
Editora Pandorga, 2014
280 páginas

Saraiva

Um guia prático com dicas e textos re¬flexivos a respeito dos temas mais procurados sobre sexo e relacionamentos. Essa obra promete sanar dúvidas a respeito de coisas que você gostaria de perguntar, mas não sabia onde encontrar as respostas. Pergunte A Uma Mulher é um livro para homens e mulheres interessados em temas que vão desde o básico, até os tabus sociais. É tudo o que você precisa saber para começar a olhar o mundo dos relacionamentos com um olhar diferente. Este será definitivamente o seu livro de cabeceira e servirá para você nunca mais voltar a fazer o que sempre fez.

“Pergunte a uma mulher” foi publicado pela Editora Pandorga no final de 2014 e escrito por Luiza Costa Gonçalves. Ele é originário do blog homônimo, onde a autora fala sobre assuntos do cotidiano das pessoas em relação a relacionamentos amorosos, sem tabus e preconceitos. Desde dicas para um bom papo e como superar a timidez até fetiches “esquisitos”, traição e vida conjugal.

Luiza fala de uma forma direta e sem enrolação: “é assim que é, se você quer seguir isso ótimo, se não o risco é todo seu.”. Particularmente, gostei da forma como ela escreveu este livro, pois trata-se de assuntos tabus sobre os quais pouca gente teria coragem de falar. Se a autora escrevesse de forma diferente, talvez nos sentíssemos “envergonhados de ler”. Com as frases e exemplos engraçados dela, o livro tornou-se muito mais leve e descontraído.

É um livro útil para aqueles que estão à cata do amor, que estão com a pulguinha atrás da orelha sobre o parceiro, para quem está ficando e não sabe a quantas anda o relacionamento, para quem tem dificuldades para conviver com o parceiro, quer saber se vale a pena realizar seu fetiche, enfim… Luiza dá dicas para todas essas dúvidas e ainda mais. É um texto bastante completo que aborda diversas questões, sempre deixando claro que as dicas servem para ambos os sexos: tanto para mulheres quanto para homens, independente do gênero para o qual ela se direcione.

Particularmente, os assuntos relacionados à conquista, fetiches, traição, etc, não tiveram muita utilidade se aplicados na minha própria vida, pois tenho um relacionamento saudável há 6 anos, e nunca tivemos problemas, nem em relação a diálogos. E que bom dizer isso! Porém, as dicas da autora em relação à timidez, autoestima e insegurança são úteis para qualquer pessoa (que tenha essas características, claro) a qualquer momento.

A minha classificação – 3 estrelas – se deve ao fato de eu ter achado o livro um tanto cansativo muitas vezes. Talvez pelos assuntos não se aplicarem muito ao meu dia a dia, talvez porque Luiza escreve as frases longas e eu me perdia no meio delas; mas o fato é que não consegui me prender tanto à leitura. Porém, não posso negar que seja um livro útil, como já disse. Para quem se encaixa em todas as características que citei acima ou mesmo precisa de uma ajudinha na paquera (ou tem curiosidade de ler assuntos tabus de forma descontraída e sem firulas, que por sinal é bem interessante), então eu indico esse livro. Quem sabe, como diz na sinopse, você não enxerga o mundo dos relacionamentos de uma forma diferente e consiga, finalmente, encontrar a pessoa que sempre procurou?

Este livro é indicado para maiores de 18 anos.

Gabi Orlandin
Post escrito por: Gabi Orlandin

Katie Ashley – Música do Coração: série Runaway Train, livro 1

Publicado em 29.11.14
resenha do livro música do coração série runaway train

Música do coração
Runaway Train, livro 1
Katie Ashley
Editora Pandorga, 2014
320 páginas

Saraiva

Para Abby Renard, o plano era simples: se juntar à banda de seus irmãos na última etapa da sua turnê de verão, e decidir se está finalmente pronta para essa vida. É claro que ela nunca imaginou que tropeçar no ônibus de turnê errado na Rock Nation teria acidentalmente pousado-a na cama de Jake Slater, o notório vocalista mulherengo da Runaway Train. Quando ele a confunde com uma de suas groupies, Abby rapidamente esclarece que ela com certeza não está na sua cama de propósito. Jake Slater nunca imaginou que o anjo que caiu na sua cama iria resistir a seus encantos, no mesmo instante o deixou de joelhos. Naturalmente, o fato de que ela parece uma menina certinha do coro poderia ser qualquer coisa, menos o tipo dele. Então, ele está mais do que surpreso quando, depois de apostar com Abby que ela não duraria uma semana no seu ônibus de turnê, ela esta mais do que disposta a provar que ele estava errado. Com a vida pessoal de Jake implodindo a sua volta, ele encontra uma improvável aliada em Abby. Ele nunca conheceu uma mulher que pudesse conversar, brincar, ou o mais importante fazer música com ela. Quando a semana começa a chegar ao fim, nem Abby, nem Jake estão prontos para seguir em frente. Pode uma cantora de country e um bad boy do rock terem um futuro juntos?

Confesso que iniciei a leitura de Música do Coração sem esperar muito; não tinha convicção de que fosse uma história de arrancar suspiros, e em parte foi. Katie Ashley deu vida a dois personagens de mundos diferentes, unidos pela paixão à música que, de uma hora para outra, se vêem em uma confusão de sentimentos que nenhum dos dois esperava sentir.

Abby Renard é uma menina de 21 anos, filha de pais missionários que estava prestes a começar uma turnê como vocalista da banda dos seus três irmãos. Quando entrou no ônibus da turnê e, depois de uma cochilada, pulou na cama que deveria ser do seu irmão, ela se viu deitada com Jake Slater, vocalista tatuado e mulherengo da banda Runaway Train. Ao perceber que os caras ali naquele ônibus não era nadinha seus irmãos, e sim todo roqueiros seminus, Abby apagou. Quando acordou, todos os homens estavam de olho nela e, após uma conversa e vários bate-bocas com Jake, ela apostou com ele que conseguiria sobreviver uma semana dentro daquele ônibus, onde rolava sexo, bebidas e muitos palavrões.

Só que a semana foi cheia de altos e baixos, e o leitor vai acompanhando a viagem de ônibus da banda, ao mesmo tempo em que vê os sentimentos dos dois vocalistas crescendo cada vez mais e a vida de Jake desmoronando à sua volta com um acontecimento que vai lhe derrubar os pilares que construiu. Será que o roqueiro mulherengo seria capaz de sentir algo por uma virgem? Ele apostava que não, e ela não poderia se envolver com alguém assim. Será que Jake conseguirá superar esse grande impasse pessoal? Com ajuda de Abby, ele percebe que consegue ser melhor. Com um enredo que, mais tarde, envolve sexo, fica óbvio, desde o início da trama, que a história vai girar em torno de Jake e Abby, mas o delicioso é ver como tudo isso se desenrola.

Apesar de gostar muito da escrita da autora (que conheci através dessa leitura), a tradução não está muito boa: muitas palavras escritas erradas, outras “comidas” das frases e algumas correções mal feitas. Se o leitor for exigente com esse tipo de coisa, pode perder a vontade de continuar a leitura; no meu caso, a história estava tão boa que isso não aconteceu. Passei por cima e tentei não perceber esses erros. Mas pode atrapalhar a leitura, sim.

Os personagens são bem aprofundados, mesclando capítulos na voz de Abby e Jake, mas me estressei com eles em muitos momentos. Primeiro: Abby é virgem. Sendo assim, ela não precisava ser tão idiota. Ok, tentei entender que ela era inexperiente, e por isso tinha medo. Segundo: Jake é um roqueiro e fala muitos palavrões. Só que os palavrões me cansaram de vez em quando. Coisinhas compreensíveis, mas pode dar nos nervos de vez em quando.

A capa é uma coisa fantástica, e devo admitir que me apaixonei pelo carinha estampado nela. Imaginei um Jack Slater daquele jeito, com aquele cabelo desgrenhado, piercings e tatuagens. E acho que a Abby também foi bem retratada. Mesmo com todos os poréns, me vi obrigada a dar 4 estrelas pelo desenrolar da história, que foi um pouco cliché, sim, mas surpreendente. E adorei, principalmente, ver o desenvolvimento dos personagens. Certamente leria a continuação para viver mais desse universo de bandas de rock, tão diferente de tudo o que tinha lido até então.

Cada um dos livros da série retrata um integrantes da banda Runaway Train, e o segundo, Batida do Coração já foi publicado pela Pandorga e pode ser adquirido pela Livraria Saraiva.

Gabi Orlandin
Post escrito por: Gabi Orlandin

Mauricio Louzada – Pra valer: impossível é somente aquilo que você ainda não tentou!

Publicado em 13.12.13
resenha do livro Pra valer impossível é somente aquilo que você ainda não tentou

Pra Valer
Impossível é somente aquilo que você ainda não tentou
Mauricio Louzada
Editora Pandorga, 2013
232 páginas

Inspirado em fatos reais e baseado em uma das palestras motivacionais mais aplaudidas do Brasil, este livro conta a história de cinco exploradores que entram em uma caverna com o objetivo de conhecer uma das mais belas galerias de estalactites do mundo. Em pouco tempo percebem que estão perdidos. Sem que ninguém saiba que estão ali, com pouca iluminação e comida, a única alternativa é achar o caminho de volta. Em um thriller eletrizante e cheio de surpresas, os integrantes do grupo começam a perceber que aquela aventura os levará para muito além da saída da caverna, em uma viagem para dentro de si mesmos, a qual trará preciosos insights para nossa vida pessoal e profissional. Um livro diferente, emocionante e inspirador, que nos fará descobrir que cada um tem uma “caverna” dentro de si.

“Pra Valer” foi, para mim, um livro diferente e que marcou de uma forma muito positiva. Não esperava o que recebi dele, e a minha surpresa ao perceber uma leitura leve e agradável foi o que me inspirou a continuar. Mauricio é palestrante motivador e escreveu este livro a partir de uma de suas palestras. Aquele momento “Pra Valer” é quando você está dando tudo de si, acreditando e agindo conforme o seu desejo de vencer. O autor mostra, então, que momentos assim estão sempre nos dando caminhos, encruzilhadas e direções e que nós, e apenas nós, podemos escolher o melhor destino.

resenha do livro Pra valer impossível é somente aquilo que você ainda não tentou

Este não é apenas um livro motivacional ou de autoajuda: em primeiro plano, o autor conta a história, baseada em fatos reais, de cinco amigos que resolvem, sem ninguém saber, adentrar uma caverna e ir além da faixa permitida para visitantes. Eles são todos adultos, um deles é espeleólogo (que estuda cavernas), outro é craque em esportes radicais. Eles usam marcações pelo caminho por onde passam, para que possam achar o caminho de volta. Não tem como se perderem, certo? Errado.

resenha do livro Pra valer impossível é somente aquilo que você ainda não tentou

As cavernas são enganosas, pois se você faz o mesmo caminho ao contrário, lhe parece que você nunca passou por ali, segundo o autor. Por isso, por um pequeno erro, eles se perdem na vontade de adentrar cada vez mais a caverna, e acabam enfrentando perigos reais de estarem em um verdadeiro labirinto, sem que ninguém saiba onde estão e com poucas provisões de água, comida e lanternas. Como proceder? É preciso fazer uso de estratégias, além de trabalhar em equipe, saber motivar uns aos outros e permanecer sãos.

“Não se preocupe com o que não está ao seu alcance ou fora do seu poder de decisão. Apenas faça a sua parte, tome atitudes, ouse agir e não passe uma vida inteira preocupado com os problemas que você deixou para amanhã.” Página 61.

No final de quase todos os capítulos, Mauricio faz reflexões sobre o que os amigos passaram e como agiram – ou deveriam agir – para resolver alguma discussão de modo a ainda manter o foco: sair da caverna. O mais bacana é que, com o tempo, nós já conseguimos perceber, antes da reflexão do autor, onde estão os gestos e decisões que foram imprescindíveis para determinadas situações. Começamos a perceber o que tem de ser feito e, no fim do capítulo, temos a chance de refletir um pouco mais sobre isso, usando deste momento fictício como exemplo a ser usado na nossa própria vida, fazendo-nos perceber como estamos lidando com as nossas situações difíceis ou “Pra Valer“.

resenha do livro Pra valer impossível é somente aquilo que você ainda não tentou

Algumas das partes mais bonitas, para mim, foi quando o autor falou sobre felicidade e metas a serem alcançadas. A felicidade não está em coisas futuras, em objetos materiais ou mesmo em outra pessoa. É preciso encontrá-la onde é o lugar dela: dentro de você. É preciso definirmos metas e tempo de realização, determinar ações e agir com confiança e atitude para alcançar nossos objetivos.

“Ao transferir sua felicidade para o futuro ou para as mãos de outras pessoas, não percebemos que a felicidade já está aqui, dentro de nós mesmos.” Página 26.

resenha do livro Pra valer impossível é somente aquilo que você ainda não tentou

Inseri essa realidade na minha vida e percebi como muitas coisas ainda precisam ser mudadas e melhoradas. Este livro, então, é uma ótima oportunidade para quem gosta de aventura, pois a história fictícia que o autor escreveu nos deixa mesmo com medo, ansiosos e torcendo pelos personagens, mas também para os leitores que gostam de refletir, tirando da leitura aprendizados que poderão ser inseridos em atitudes do cotidiano e levados para o resto da vida.

“[…] ao falarmos coisas positivas, o mundo nos devolve energia positiva.” Página 160.

Gabi Orlandin
Post escrito por: Gabi Orlandin
12
Subir!